Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Mapa exonera superintendente de Agricultura no Rio Grande do Sul

postado em 14/05/2015

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O superintendente do Ministério da Agricultura no Rio Grande do Sul, Francisco Signor, foi exonerado ontem pela ministra Kátia Abreu, em cumprimento à ordem do juiz federal José Paulo Baltazar Júnior, da 11ª vara federal de Porto Alegre, por suspeita de participar de um esquema de corrupção investigado pela Operação Semilla. Há 12 anos no cargo, Signor foi afastado junto com o servidor Sérgio Luiz da Silva Sobrosa.

A superintendência foi assumida interinamente pelo adjunto José Euclides Severo. A operação conjunta da PF, do Ministério Público Federal (MPF) e da Controladoria Geral da União (CGU) incluiu o cumprimento, em Porto Alegre e Sapucaia do Sul, de seis mandados de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva. Além de Signor e Sobrosa, os demais envolvidos são Elidiana Maróstica, ex­assessora de Signor, e o marido dela, Ricardo Souza Lemos, dono da empresa Delta Compensados, que também teria participação no recebimento e na distribuição de propinas. Os crimes investigados incluem corrupção ativa e passiva, advocacia administrativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Segundo a Polícia Federal, o grupo agia em benefício de empresas do setor agropecuário e agroindustrial "mediante a redução dos valores de multas aplicadas, manutenção de processos de autos de infração sobrestados por longo espaço de tempo, avocação de processos para evitar a cobrança das multas, e em determinados casos, agilização de procedimentos de liberação".

E que "em algumas circunstâncias havia um tratamento diferenciado para empresas e empresários que solicitavam providências não convencionais à administração estadual do órgão, tais como a remoção de fiscais federais agropecuários muito rigorosos". Algumas empresas eram inclusive avisadas das fiscalizações.

"Outra prática também flagrada na investigação envolveu pagamentos de propina a agentes públicos por empresa prestadora de serviços relacionados aos eventos promovidos" pela superintendência regional do Ministério da Agricultura no Rio Grande do Sul, informou a Polícia Federal. Conforme o MPF, as investigações começaram em novembro de 2013. O procurador da República Adriano dos Santos Raldi acrescentou que "supostas influências" no andamento das fiscalizações relativas à Operação Leite Compen$ado, do Ministério Público Estadual, que apura casos de adulteração de leite no Estado, reforçaram ainda mais as evidências contra os suspeitos.

A seção do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa) no Rio Grande do Sul informou que alertou o MPF, em setembro de 2013, sobre a "interferência do superintendente na atividade de fiscalização". De acordo com a Anffa, Signor não é fiscal agropecuário de carreira e é proprietário de uma empresa de transporte de alimentos. 

As informações são do Jornal Valor Econômico.

Abaixo a nota divulgada pelo Assessoria de Comunicação Social do MAPA:

"O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento está tomando conhecimento dos elementos do processo relacionado à Operação Semilla e, com base neles, adotará as providências cabíveis.

Em cumprimento à ordem do juiz federal José Paulo Baltazar Júnior, da 11ª vara Federal de Porto Alegre, o ministério exonera dos cargos comissionados que ocupavam o superintendente Francisco Natal Signor e o servidor Sérgio Luiz da Silva Sobrosa. A pasta também afasta o servidor Sérgio Sobrosa.

Ainda em cumprimento à ordem judicial, Signor, Sobrosa e a ex-servidora do Mapa Elidiana Maróstica estão proibidos de ter acesso à Superintendência Federal do Mapa no RS e a qualquer outro prédio que funcione a serviço do ministério.

Além disso, o ministério suspendeu quaisquer pagamentos pela Superintendência Federal de Agricultura do RS, em decorrência de contratos administrativos, à empresa Ícone Eventos e Viagens, conforme determinação do juiz federal"
.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Wagner Beskow

Cruz Alta - Rio Grande do Sul - Pesquisa/ensino
postado em 15/05/2015

Eis mais um caso da raposa sendo colocada a cuidar do galinheiro, prática que parece ter se tornado comum, num Brasil corrupto que não para de nos surpreender.

Este senhor era o chefe de todo o Ministério da Agricultura do RS, órgão dos mais antigos e respeitados da federação. Como pode ser colocado nas mãos de alguém que não é de carreira (leia-se afilhado político), dono de empresa do setor?

Onde está a responsabilidade de quem o nomeou? Os FFA chegaram a paralisar suas atividades em protesto a esse senhor, pedindo nomeação de pessoal de carreira. O que fez o então ministro da época? O que fez a atual, ao assumir? Vão nomear outro "político", novamente, para um cargo eminentemente técnico e sensível como este?

Dona Kátia, estamos de olho. É hora de mostrar seriedade nesse governo e alguém tem que começar.

A pergunta que não quer calar: e o que está sendo feito em outras UF? Só o RS tem gente corrupta? Interessante.

Wolmar Ferreira

OUTRA - OUTRO - Produção de leite
postado em 15/05/2015

Responder à pergunta que não quer calar é fácil ... Está sendo feita a mesma coisa que no RS! Não se esqueça que a exoneração só foi feita por Ordem de Um Juiz Federal! Se não estava tudo do mesmo jeito até hoje e não se sabe até quando! Não adianta protesto da Anfa que já havia alertado a dois anos atras, como o próprio texto menciona. Quanto à responsabilidade de quem o nomeou, vamos ter a mesma resposta que ouvimos a 13 anos: " Eu não sabia de nada", " Eu não sabia de nada", " Eu não sabia de nada". O Brasil é uma das poucas nações do mundo onde " Eu não sabia de nada" te isenta de qualquer responsabilidade sobre seus atos e dos seus subordinados que você indicou ....   

edelson lemos

OUTRA - OUTRO - Revenda de produtos agropecuários
postado em 15/05/2015

Parabéns Sr. Wagner Beskow, concordo com tudo que o Sr. colocou.
Vergonha NACIONAL este tipo de problema.
Edelson Lemos.
Alta Floresta - MT

Izequiel Marcelino da Silva

OUTRA - OUTRO - Agricultor.
postado em 15/05/2015

Esse é os problemas do Brasil: Coloca Ministro da pesca que não sebea nem mesmo iscar um azol; Ministro da agricultura, que não tem formação nenhuma em agricultura tem que ser no minimo um Engenheiro Agrônomo.
Grandes Ministros: do STF, com formações ilibadas Doutorado em Direito,
colocados em seus gabinetes por políticos corruptos; tem Eles hoje em ler pela cartilha do analfabeto.

Juracy

Carandaí - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 15/05/2015

Parabéns Ministra: todos os Ministros e Ministras tem que ter essa autonomia de ver o que está errado e tomar as devidas providências, não tem que deixar tudo para a Presidente resolver, ela já lhe deu o cargo e autonomia, então ajam, nós eleitores esperamos que todos errados paguem pelos seus erros, nada de jogar por debaixo do tapete, a zorra acabou.

Wolmar Ferreira

OUTRA - OUTRO - Produção de leite
postado em 15/05/2015

Juracy, A referida Ministra não tem que ser parabenizada. Nem ela nem seu antecessor fizeram nada, o caso já era notório, houve inclusive manifestação da Anffa, vide texo: "A seção do Sindicato Nacional dos Fiscais Federais Agropecuários (Anffa) no Rio Grande do Sul informou que alertou o MPF, em setembro de 2013". A praticamente dois anos atras!!! Agora ela teve que obedecer uma ordem de um Juiz Federal do RS. Se não fosse esta Ordem do Juiz Federal os envolvidos estavam lá até hoje!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade