Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Leite & Mercado > Giro Lácteo

Laboratórios agropecuários terão R$ 120 milhões para obras de modernização

postado em 05/06/2013

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A presidenta Dilma Rousseff anunciou ontem (4) investimento de R$ 120 milhões para ampliar e modernizar os seis laboratórios nacionais agropecuários (Lanagros) do governo federal. O objetivo é garantir que as unidades sejam capazes de produzir diagnósticos mais rápidos e precisos sobre a qualidade dos produtos agropecuários produzidos e exportados pelo país.

"A concorrência do mercado internacional é crescente e extremamente agressiva e não nos permite ter lacunas ou insuficiência na nossa política de sanidade. Quanto mais transparente, firme e segura for a nossa sanidade agropecuária, melhor para os produtores e exportadores brasileiros. Com isso, evitamos constrangimentos que não têm a menor razão de ser nesta etapa do desenvolvimento do país", disse, durante lançamento, nesta terça-feira, do Plano Agrícola e Pecuário 2013/2014.

A presidenta ressaltou que esse é um tema que preocupa o governo brasileiro e tem impactos nas relações geopolíticas do país. Dilma destacou que agropecuária nacional tem condições de apresentar uma "sanidade respeitada em todo o mundo". Apesar de o Brasil ter classificação de risco "insignificante" para o mal da vaca louca, confirmado na semana passada pela Assembleia Mundial de Delegados da Organização Mundial de Saúde Animal, e ter a maior parte de seu território livre de febre aftosa, com vacinação, os exportadores do país têm enfrentado embargos nos últimos anos de grandes consumidores de carne.

Devido à morte súbita de um animal em Sertanópolis (PR), em 2010, com suspeita de doença neurológica, 17 países e territórios anunciaram algum tipo de restrição a produtos brasileiros de origem bovina. Na avaliação de especialistas, a proibição do uso de rações de origem animal na alimentação dos bovinos brasileiros e o fato de não haver relato de novas suspeitas do mal da vaca louca desde então são fatores de segurança para o consumidor. 

A matéria é da Agência Brasil, adaptada pela Equipe AgriPoint. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

RONALDO CARVALHO SANTOS

Curitiba - Paraná - Mídia especializada/imprensa
postado em 05/06/2013

Com humildade devemos aplaudir medidas que com seriedade se tomam, ao momento em que estamos sendo alvo de verdadeiras máfias que, organizadas , bem se postam com as ações  próprias  dos meliantes infiltrados em todos os segmentos. Lesa Pátrias expõem ao ridículo o Brasil e suas Autoridades, e ainda a Saúde Pública a riscos, fraudando alimentos e até usando-os como vetores de tráfico de drogas, como do conhecimento com o pescado com recheio de  cocaína  que sairia do Rio Grande do Sul para o exterior. A tomada desta decisão no sentido de reaparelhar os LANAGROS é uma das medidas salutares, mas muito ainda precisa ser feito, como, Escolha Técnica de Agentes Públicos,e seus Gestores, com escopo para o acompanhamento das ações a desenvolver e, eventuais desvios de conduta. Da mesma forma que criticamos , parabenizamos, Que não fique apenas na obstinada e sagrada intenção,

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade