Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Características importantes de um lote de feno

Por Rafael Camargo do Amaral e Thiago Fernandes Bernardes
postado em 25/05/2009

7 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Durante o período seco do ano os produtores sofrem com a falta de pastos, e a maneira para aliviar a escassez de alimento se encontra no fornecimento de silagem ou feno para os animais. Quando o planejamento alimentar é baseado na utilização de feno, este geralmente não é produzido na fazenda, tendo que ser comprado, o que eleva os custos da dieta.

Algumas dicas que devem ser observadas no lote para não comprar palha por feno:

a) Os fardos devem apresentar elevada quantidade de folhas e pouco caule;
b) Deve ser de cor verde marcante. Feno com aparência amarelada e/ou marrom pode ter sofrido elevado tempo de secagem no campo ou a armazenagem não foi adequada;
c) Os fardos não devem conter material estranho, como plantas daninhas;
d) O odor deve ser agradável e o material deve ter boa flexibilidade. Feno mofado, com outros odores, empoeirado e excessivamente seco devem ser evitados.

Além de todas as características visuais citadas anteriormente, é de grande importância que seja realizada análise química desse material. Dessa forma, o produtor terá a garantia que estará fornecendo alimento de boa qualidade e a um custo acessível.

Ao optar pelo conhecimento da composição química do feno, o técnico não deve se basear somente em teores de proteína bruta (PB), geralmente o mais comum, e como os comerciantes de feno têm realizado suas propagandas. Os valores de nitrogênio ligado a parede celular (NIDA), fibra em detergente neutro (FDN), bem como a digestibilidade in vitro da matéria seca (DIVMS) também devem ser conhecidos, pois estas análises apresentam baixo custo e ainda dispomos de vários laboratórios no Brasil de fácil acesso.

Os teores de PB até podem estar dentro dos níveis que achamos adequados para determinadas espécies de forrageiras, porém, é necessário saber se essa proteína estará disponível para o animal. Quando analisamos um determinado alimento, consideramos que sua qualidade é função da sua composição, mas também é importante conhecer qual a disponibilidade biológica que este nutriente tem para o animal que for ingeri-lo. No caso dos fenos, podem ocorrer reações não enzimáticas entre os carboidratos solúveis e grupos aminas dos aminoácidos, resultando em compostos denominados produtos de reação de Maillard. A formação de produtos de Maillard em fenos promove diminuição acentuada na digestibilidade da proteína, uma vez que se pode observar aumento considerável nos teores de nitrogênio ligado a parede celular (NIDA), o qual não é disponível para os microrganismos do rúmen.

Em relação a análise de fibra, é importante ressaltar que no caso dos capins do gênero Cynodon (Coastcross, Tifton 85, Estrelas) os teores de FDN apresentados são geralmente elevados (65-70 % MS), o que é normal para as gramíneas de clima tropical, porém, estas espécies apresentam uma particularidade de possuir a fibra mais digestível em relação a outros gêneros (Panicum; Brachiaria). Para estas forrageiras o teor de FDN não deve ser o parâmetro ideal para rejeitar um lote de feno, devendo ser analisadas outras características do fardo.

Portanto, no momento de adquirir feno para a propriedade, vários fatores devem ser considerados em conjunto, como análises sensitivas (cor, odor, tato) e químicas do lote conforme foi comentado anteriormente. Feno é um alimento que não se compra por telefone, como geralmente é feito com concentrados (farelo de soja, milho e etc.), que têm poucas variações em sua composição química.

A seguir, encontra-se uma tabela para ser utilizada na avaliação visual do feno. Esta não possui a propriedade de definir a qualidade do alimento, porém pode auxiliar no ranking de determinados lotes no momento da compra.

Tabela para avaliação visual de feno

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Edykwerton

Arapiraca - Alagoas - Produção de leite (de vaca)
postado em 25/06/2009

Tenho dúvidas no farelo de soja, milho e de algodão... se eles juntos são os melhores farelos para o gado leiteiro, e se ajuda na produção leiteira.

Rafael Camargo do Amaral

Piracicaba - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 30/06/2009

Prezado Edykwerton,

Com certeza esses ingredientes são excelentes para produção leiteira, o que deve ser feito é o balanceamento adequado da ração e a escolha do ingrediente tanto por seu valor nutritivo, mas o preço deve ser levado em consideração.

O principal é saber qual será o lucro da produção.

Atenciosamente

Rafael e Thiago

Júlia D. Lima Dias

Belo Horizonte - Minas Gerais - Consultra Técnica Educampo Danone
postado em 13/08/2009

Excelente artigo!
Gostaria de sugerir que publicassem algo a respeito da produção de feno na própria fazenda, tanto o lado da técnica como da viabilidade economica. Penso que a produção de feno é mais viável para as condiçoes brasileiras do que imaginamos, e que é ainda relativamente incomum no campo por falta de informação.

Gostaria de aprender mais sobre o assunto.
Atenciosamente.

Rafael Camargo do Amaral

Piracicaba - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 15/08/2009

Prezada Júlia D. Lima Dias,

A produção de feno dentro da propriedade é um grande desafio para o produtor, por vários motivos.

Um grande agravante para as condições de nosso país é a precipitação volumétrica, a qual tem maior incidência justamente quando estamos colhendo um capim para ser fenado.

Um outro fator que inicialmente também pode ser agravante é que o processo de fenação requer grande quantidade de maquinários, os quais demandam investimento inicial elevado.

Por outro lado, caso a propriedade tenha competência em produzir feno, o custo de produção de um fardo de feno é por volta da metade do preço de um fardo vendido comercialmente.

Atenciosamente
Rafael e Thiago

Edmar de Queiroz Machado

Quixadá - Ceará - Produção de leite (de vaca)
postado em 18/10/2009

Gostaria de obter informações sobre o RAMI, como forrageira, tendo em vista o elevado indice de proteina encontrada nesta planta e da possibilidade de plantio no semi-árido cearense, mesmo com irrigação e como conserguir mudas de qualidade.


Grato.

Carlos Ismael Fumo

Maputo - Mocambique - Moçambique - Consultoria/extensão
postado em 28/09/2010

Considero o artigo interessante. Porem, gostaria de apelar que publicassem mais informacoes em volta de producao de feno nas proprias empresas, dando maior enfase ao periodo de corte do capim, fabrico de fardos de feno/armazenamento e amonizacao de fenos.

Como se sabe Mocambique se situa em Africa. E, portanto, dispoe de um vasto leque de pasto tropical natural. Mas, as tecniocas de gerenciamento de alimentos para uso no periodo de estiagem ainda nao estao difundidos, dai o subaproveitamento deste recurso e as consequentes perdas ciclicas de peso dos animais-para nao falar de mortes-neste periodo.

No meu Pais o periodo chuvoso ocorre de Outubro a Marco. E o periodo seco de Abril a Setembro. sendo que este e mais severo nos ultimos 3 meses, devido a falta de pasto natural.

Grato.
Carlos Fumo
Maputo/ Mocambique

Rafael Camargo do Amaral

Piracicaba - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 04/10/2010

Prezado Carlos Ismael Fumo,

Grato pela mensagem. Não sei como são as condições no seu país, mais na minha opinião a produção de silagem possa ser mais interessante em relação ao feno, rpincipalmente em relação a redução de custos no processo.

Dependo da categoria animal, a silagem de capim pode ser tecnologia interessante na alimentação dos animais.

Atenciosamente

Rafael e Thiago

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade