Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Pontos básicos para iniciar a criação de ovinos

Por Cledson Augusto Garcia
postado em 10/07/2006

44 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O ovinocultor deve fazer um bom planejamento antes de iniciar a criação. A nutrição é de extrema importância, porém muitos produtores, ao ingressarem na atividade, invertem a seqüência da realidade técnica, ou seja, primeiro compram os animais, em seguida preocupam-se com a alimentação.

Existem várias raças de ovinos criadas no Brasil, sendo as mais difundidas a Suffolk, Hampshire Down, Texel, Ile de France e Dorper (lanadas e específicas para carne). A Corriedale e Romney Marsh seriam as de dupla aptidão (carne e lã), além das nacionais deslanadas, como a Santa Inês e a Morada Nova (carne e couro).

Nos lanados há necessidade de se efetuar a tosquia uma vez por ano (outubro a janeiro). Como a lã é considerada um excelente isolante térmico, protegendo os ovinos tanto do frio quanto do calor, as raças lanadas podem ser criadas tanto em regiões frias como nas mais quentes (áridas e semi áridas).

Para criarmos qualquer raça, devemos levar em consideração a fertilidade do solo e o valor nutritivo do pasto, pois as exigências nutricionais das mesmas variam de acordo com a sua aptidão: as específicas para carne são mais exigentes, enquanto que as de duplo propósito têm média exigência nutricional.

Dentre as gramíneas mais indicadas para os ovinos destacam-se as seguintes: Estrela branca e/ou roxa, Tifton-85, Coast cross, Matogrosso, Aruana e Tanzânia. Deve-se evitar a Brachiaria decumbens, pois esta pode resultar em fotossensibilização nos animais. Além disso, sempre é importante lembrar da importância de sombra na pastagem, pois protege os animais da forte radiação solar nas horas mais quentes do dia, momento que aproveitam para ruminar.

A fertilidade do solo é um ponto imprescindível que deve ser levado em consideração, pois antes de implantar uma pastagem cultivada (gramínea e/ou leguminosa) devemos saber qual sua exigência em nutrientes e quanto o solo tem a oferecer (V% - saturação de bases).

Para isso antes de tudo deve-se fazer uma análise química do solo. Após essa prática, devemos então fazer o preparo do solo, calagem, adubação (química e/ou orgânica) e posteriormente a realização do plantio da forrageira.

O ideal é usar a técnica de pastejo rotacionado (divisão do pasto em piquetes), pois este promove a diminuição da verminose dos ovinos, uma vez que aproximadamente 80 a 90% dos vermes estão no pasto e somente 10 a 20% nos animais. Além disso, o pastejo rotacionado respeita o hábito de crescimento das gramíneas, deixando um período sem animais na área (período de descanso), conseqüentemente aumentando a produtividade da mesma e permitindo maior lotação animal.

Para controle da verminose, devemos coletar as fezes de 5 a 10% de cada categoria animal (carneiros, ovelhas, borregos e cordeiros) a cada 28 dias, que deverá ser encaminhada para contagem de ovos por grama de fezes (exame de OPG), proporcionando um melhor monitoramento da endoparasitose,. Além disso, um profissional da área deverá instruir qual princípio ativo deverá ser usado, pois este deve ser alterado nas vermifugações para evitar ao máximo os casos de resistência dos vermes aos anti-helmínticos

As cercas para os ovinos devem possuir aproximadamente 1,2 a 1,4 m de altura, podendo ser de tela, arame liso (paraguaia) ou até mesmo elétrica. Lembrando que a melhor cerca é um bom pasto, para evitar que os animais ultrapassem a cerca. Entretanto, quando se pretende fazer a integração de ovinos com bovinos devemos usar a mesma para bovinos, acrescentando mais dois fios na parte inferior.

Os ovinos são bastante dóceis, comumente sendo manejados por mulheres. No período noturno a maioria dos criadores recolhem os animais em local protegido para evitar ataque de predadores (cães bandoleiros, lobos, etc.) Existem, porém, raças de cães ovelheiros, que auxiliam no manejo com os ovinos.

O casqueamento deve ser realizado quando necessário, geralmente duas vezes ao ano. A vacina mais recomendada é a contra as Clostridioses (carbúnculo e tétano), porém dependendo do local da criação pode haver a necessidade de outras vacinas. Para maiores informações, o criador deve procurar orientação técnica na casa da agricultura do município ou em consultoria veterinária. Lembrando do velho e conhecido ditado: "é melhor prevenir do que remediar".

O rebanho médio nacional é de 40 ovelhas por criador, mas nos últimos anos tem aumentado o número de criadores ingressando na atividade, inclusive com rebanhos mais numerosos. Atualmente já é comum encontrarmos criatórios com 1000 ovelhas ou mais.

O número de reprodutores necessário deve basear-se na média de um para cada 40 ovelhas. A idade média do desmame dos cordeiros é de 60 a 80 dias, dependendo da raça e sistema de produção.

Para ter sucesso na criação devemos ter sempre um bom manejo nutricional, reprodutivo e profilático, além de uma boa genética, para iniciar e permanecer na atividade ovinícola.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

David Antonio CArvalho de Oliveira

jussara - Goiás - Consultoria/extensão
postado em 31/07/2006

Sou um iniciante na arte de criar ovinos de forma econômica. Tenho plantel de 50 ovelhas e pretendo ampliar para 200 ovelhas e assim secessivamente, sempre permeando o limiar dos aspectos nutucionais, reprodutivos e sanitários.

Minha propriedade fica no Jaú do Tocantins, onde ainda estou adaptando minhas áreas de pastejos com associação com leguminosas, observo que será o futuro maximizando os resultados de carne por hectares.

Luiz Antonio B. Pavoni

Colíder - Mato Grosso - Pecuária de corte e leite
postado em 27/10/2006

Gostaria de ressaltar que em Mato Grosso, especificamente na região norte, o capim quiaria brizantha tido ótima aceitação para o pastejo de ovinos, e não conhecemos nenhum caso até agora de fotossensibilização.

Daniel Pimentel Gomes

Fortaleza - Ceará - Produção de caprinos de leite
postado em 05/01/2007

Meus caros,

O grande problema dos iniciantes de criação de caprinos e ovinos são os conhecimentos especificos destes belos animais, pois carecemos de livros e de técnicos que nos ajudem a prosperar nossas criações. Ainda bem que temos este grande site especifico de caprinos e ovinos, para que tenhamos um apoio para tirarmos nossas dúvidas e aliviar nossas angústias.

Forte abraço,

Daniel Pimentel Gomes

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade