Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Sistemas de desmame dos cordeiros

Por Cledson Augusto Garcia
postado em 28/05/2008

5 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os cordeiros quando nascem são considerados lactentes, alimentando exclusivamente de leite, entretanto após 7 a 10 dias já iniciam o consumo de alimentos sólidos, em pequenas quantidades. À medida que ele cresce o leite não vai sendo suficiente para atender sua exigência, pois a ingestão do mesmo é proporcional ao peso vivo, com média de 10 %. Como exemplo um cordeiro de 10 kg precisaria de aproximadamente 1 litro.

O pico de produção de leite da ovelha varia de 30 a 40 dias, dependendo da raça, pois as específicas para leite têm maior persistência de lactação, desta maneira tendo o pico mais tardio, ocorrendo o inverso com as menos especializadas. Devido a essa situação fisiológica, a partir desse momento, o cordeiro aumenta drasticamente o consumo de alimentos sólidos, pois o leite já não é mais suficiente para atender sua exigência nutricional.

Por esse motivo, o creep feeding (comedouro privativo), local inacessível às ovelhas em que os cordeiros conseguem passar por esse espaço previamente determinado; no mesmo possibilita o fornecimento de ração concentrada, com teor de proteína variando de 18 a 22 % PB. Esta técnica possibilita um incremento no ganho de peso, pois nessa fase o cordeiro tem elevado ritmo de crescimento, devido à deposição dos tecidos ósseos, muscular e também adiposo.

Para adotar a melhor idade para o desmame precisa ser levado em consideração qual é o objetivo da criação, pois temos 3 tipos, sendo o precoce, o semi precoce e o tardio. O precoce é realizado quando os mesmos possuem idade oscilando de 25 a 45 dias, sendo realizado principalmente na Europa, em rebanhos leiteiros, pois os mesmos são desmamados e as ovelhas continuam sendo ordenhadas. Nesse caso o objetivo principal é a produção de leite, para elaboração de derivados, principalmente os queijos finos.

O semi precoce é o desmame realizado quando os cordeiros estão com 46 a 90 dias de nascidos, sendo o mais indicado e usado no Brasil, principalmente na criação destinada à produção de carne. As ovelhas com maior produção leiteira devem ser secadas entre 70 a 80 dias, pois quando esta prática é realizada precocemente propicia o relaxamento do esfincter (válvula do canal o teto), o que propícia à entrada de bactérias e conseqüentemente podendo ocasionar uma mastite.

O desmame tardio é considerado quando acontece acima dos 91 dias de idade, o que não é recomendado, pois são praticados em rebanhos criados extensivamente, por esse motivo não deve ser adotado, pois nessas propriedades geralmente possuem baixo nível tecnológico, conseqüentemente tendo baixa produtividade e rentabilidade.

Na Figura 1 podemos observar a curva de lactação de ovelhas (parte da tese de doutorado do autor); na 2 e 3 podemos observar dois modelos de comedouro privativo adotado na Universidade de Marília (Cabanha UNIMAR).

Para aumentarmos a rentabilidade da ovinocultura devemos desmamar cordeiros com pelo menos 16 kg de peso vivo (aos 60 dias), permanecendo por mais 60 a 90 dias confinados, possibilitando que o mesmo seja abatido com idade variando de 120 a 150 dias, desta maneira obtendo carne de excelente qualidade. Já existem alguns trabalhos de pesquisas com resultados de abate dos cordeiros com idade média de 60 a 65 dias de vida, ou seja, os mesmos atingem o peso de 30 a 31 kg de peso vivo dias já no desmame. Nessa linha de pesquisa, a UNIMAR é pioneira, com o uso de cordeiros com a raça Suffolk, alimentados em comedouros privativos, esses resultados tem sido alcançado desde 1996. Esses trabalhos podem ser consultados nas referências citadas.

Figura 1. Curva média de lactação das ovelhas Suffolk (Garcia et al. 2003).


Figura 2. Comedouro privativo metálico móvel para cordeiros (UNIMAR).


Figura 3.

Referências bibliográficas

ALMEIDA JÚNIOR, G.A., COSTA, C.; MONTEIRO, A.L.G.; GARCIA, C.A.; MUNARI, D.P.; NERES, M.A. Desempenho, características de carcaça e resultado econômico de cordeiros criados em creep feeding com silagem de grãos úmidos de milho. Revista Sociedade Brasileira de Zootecnia, v.33, p.1.048-1.059, 2004.

BORTOLETTO, D.B., NERES, M.A., GARCIA, C.A. et al. Efeito da suplementação alimentar com feno de alfafa no desempenho de cordeiros em aleitamento. In: SIMPÓSIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, 1, 1997, Marília. Anais... Marília: UNIMAR, 1997. p.39.

CIDRÃO, K.; GARCIA, C.A., GUIMARÃES, A.M.; BONATTI, C. Desempenho e características da carcaça de cordeiros alimentados com níveis de proteína bruta no suplemento mineral em sistema de "creep feeding". REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 42, Goiânia- GO, 2005, Anais... CD ROM.

GARCIA, C.A., ORTIZ, J.S.; SPERS, R.C., CARVALHO, S.M. R., ANDRADE, C. B. Desempenho de cordeiros alimentados e terminados em creep feeding com níveis de resíduo de soja em substituição ao farelo de soja. REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 41, Campo Grande- MS, 2004a, Anais... CD ROM.

GARCIA, C.A., ORTIZ, J.S.; COSTA, C.; GIANLORENÇO, V.K., DIAZ, I.D.P.S. Níveis de suplementação restrita no desempenho de cordeiras criadas em creep feeding. REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 41, Campo Grande- MS, 2004b, Anais... CD ROM.

GARCIA, C.A.; COSTA, C.; MONTEIRO, A.L.G.; NERES, M.A.; ROSA, G.J.M. Níveis de energia no desempenho e características da carcaça de cordeiros alimentados em creep feeding. Revista Sociedade Brasileira de Zootecnia, v.6, p.1.371-1.379, 2003.

NERES, M.A.; GARCIA, C.A.; MONTEIRO, A.L.G. et al. Níveis de feno de alfafa e forma física da ração no desempenho de cordeiros em creep feeding. Revista Brasileira de Zootecnia, v.30, n.3, p.941-947, 2001.

ORTIZ, Jessé Siqueira, COSTA, Ciniro, GARCIA, C. A., SILVEIRA, L. V. A. Efeito dos diferentes níveis de proteína bruta na ração sobre o desempenho e as características de carcaça de cordeiros terminados em creep feeding. Revista Brasileira de Zootecnia / Brazilian Journal of Animal Science. , v.34, p.2390 - 2398, 2005.

SILVA, J.J.; COSTA, C.; MONTEIRO, A.L.G.; GARCIA, C.A.; CROCCI, A.J. Contribuição do leite de ovelhas Suffolk no desempenho dos cordeiros, em dois sistemas de produção. REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE ZOOTECNIA, 39, Recife- PE, 2002, Anais... CD ROM.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Sérgio Mangano de Almeida Sanros

Londrina - Paraná - Consultoria/extensão
postado em 21/07/2008

Caro prof. Cledson.

Quando utilizamos o creep através da adaptação da mangueira dos animais, qual seria a melhor altura da porta de entrada dos cordeiros? Obrigado

Resposta do autor:

Prezado Sérgio,

Desculpe a demora (estávamos de férias)...a largura (17 a 20 cm dependendo a raça - Sta Inês e Morada Nova menor distância) é mais importante que a altura (35 a 40 cm).
Grande abraço

hemerson dos santos de andrade

Guajará-Mirim - Rondônia - Instituições governamentais
postado em 29/10/2012

Qual o tempo ideal que eu posso deixar meus cordeiros separados do rebanho para desmame? Obrigado.

lourenço martins

Ponta Porã - Mato Grosso do Sul - Revenda de produtos agropecuários
postado em 10/01/2013

bom dia como devo fazer para iniciar a desmama dos cordeiros eo tempo certo ?


obrigado att. lourenco

marcelo de oliveira guimares

Limoeiro do Norte - Ceará - Produção de ovinos de corte
postado em 10/07/2013

como devo proceder pra desmamar cordeiros aos 60dias sem ocorrer mamite nas ovelhas?

Cledson Augusto Garcia

Marilia - São Paulo - Área de ovinocultura - Pesquisa/Ensino
postado em 10/07/2013

Prezado Marcelo Guimarães e demais interessados o ideal é desmamar os cordeiros com idade de 60 a 90 dias. Com 60 dias é recomendado quando a ovelha não esteja com boa condição corporal e com 90 para aquelas matrizes com maior produção de leite, ou seja, para aquelas que tenham maior habilidade materna e esteja numa melhor condição corporal. O ideal é diminuir a qualidade da alimentação das mesmas uma semana antes do desmame, para que no dia de tal prática ela já tenha diminuído à sua produção de leite. Continue com essa alimentação por mais 3 dias pós desmame, para que não aumente sua produção. Após a retirada do cordeiro 24 horas coloque o mesmo novamente para mamar por uns 10 minutos e depois não deve ter mais contato com a ovelha. att

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário

Copyright © 2000 - 2014 AgriPoint Consultoria Ltda. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade