Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Entrevistas

Especial Associações: Jair Menezes, da APCO

postado em 16/09/2010

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O entrevistado do Especial Associações desta semana é Jair Menezes, zootecnista da Associação dos Criadores de Ovinos do Paraguai (APCO). Jair também trabalhou com a atividade no Brasil: foi técnico da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos (ARCO) por vinte anos e presidente da mesma entidade por dois anos. A entrevista foi realizada no 1º Congresso Internacional de Produção Pecuária, organizado pela ABEXPO (Associação Baiana dos Expositores), ACCOBA (Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos da Bahia) e o Sistema FAEB/SENAR e o SEBRAE, no Bahia Othon Palace, nos dias 23 a 25 de agosto de 2010, em Salvador/BA.

Sobre a Associação Paraguaia de Criadores de Ovinos

A Associação Paraguaia dos Criadores de Ovinos (APCO) foi fundada em outubro de 1980 em Assunção, capital do Paraguai. A fundação foi concebida após motivação de um grupo de criadores de ovinos e foi criada com o propósito de assessorar os sócios e interessados no manejo adequado de seus rebanhos, assim como estabelecer o melhoramento genético das raças, manejo sanitário, tosquia, classificação de lã, avaliar a qualidade dos reprodutores que serão importados da Argentina, Uruguai e Brasil, organizar feiras com frequência, além de criar um registro para os animais puros por cruza e mestiços. O primeiro presidente eleito foi o Dr. Hugo Gonzáles Martínez e hoje, quem gerencia é Raimundo Vargas Finestra. Todo produtor de ovinos, independentemente da quantidade de animais que cria e da raça que explora, pode participar da associação.

Destaques da entrevista


FarmPoint - Qual é o histórico e os objetivos da APCO?

Jair - "A ovinocultura no Paraguai se organizou através da fundação da Associação Paraguaia dos Criadores de Ovinos (APCO). A associação foi fundada no mês de outubro de 1980 e ficou por um tempo sem uma evolução significativa. Eu fui por vinte anos técnico da ARCO e dois anos presidente da ARCO, e na minha gestão nós fizemos o cruzamento absorvente com controle de geração, e quando eu cheguei no Paraguai, eu propus à APCO que nós desenvolvêssemos lá esse regulamento. Naquele momento o Paraguai não tinha condições de importar ovinos de qualquer país, pois a ovinocultura era muito incipiente, inclusive o preço da ovinocultura lá era quase nada. Passaram oito anos e hoje a ovinocultura é uma realidade devido a esse cruzamento e ao controle de geração, e hoje nós temos preços muito bons".

"Realizamos nossa exposição agora no último mês de julho, inclusive um dos jurados foi o atual presidente da ARCO, Paulo Schwab e o outro foi o presidente Gerardo García Pintos do Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL), que fizeram o julgamento de seis raças presentes. Tivemos preços muito bons".

"O Paraguai tem uma população aproximadamente de 500 mil ovinos. Nós fizemos um levantamento não muito preciso e hoje, desses 500 mil ovinos, nós temos aproximadamente 100 mil ovinos da raça Santa Inês e cruzas Santa Inês e isso é muito significativo para nós brasileiros porque é a raça que foi criada aqui por nós".

FarmPoint - Quais são as vantagens de estar associado e as principais dificuldades?

Jair - "O programa de desenvolvimento da APCO é o grande desafio para os próximos anos, pois foi uma diversificação que se criou dentro da própria agropecuária do Paraguai, e eu digo realidade porque hoje já há muitas empresas grandes, muitos empresários grandes acreditando no setor. O empresário sempre pensa com o bolso e se não tivesse uma perspectiva de futuro, de bom investimento e de bom retorno, certamente esse empresário não estaria pensando em investir na ovinocultura".

"A participação do Schwab e do García Pintos do SUL realmente foi o marco inicial para que o produtor paraguaio sentisse, com o exemplo desses dois países, o que é a ovinocultura. Nós assinamos também um convênio com o Senacsa, que é o orgão da sanidade paraguaia, e estamos hoje esperando uma promessa, um comprometimento, de grandes empresários no país já pensando em construir um frigorífico, e se isso acontecer, num curto espaço de tempo, será um outro impulso para a ovinocultura paraguaia".

"Temos uma ovinocultura paraguaia que se iniciou com força, com muita organização, a mais ou menos oito anos atrás e hoje já foi o motivo de aquisição de bons animais e de muito bom preço para as cabanhas paraguaias".



Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade