Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Espaço Aberto

O crescimento total e o agronegócio

Por Geraldo Sant´Ana de Camargo Barros , Adriana F. Silva e ARLEI LUIZ FACHINELLO
postado em 27/06/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O IBGE divulgou no último dia 10, estimativas para o PIB brasileiro referente a março de 2008, apontando um crescimento de 5,8% se comparado os primeiros trimestres de 2008 e de 2007. Para a agropecuária, o dado novo é de 2,4% entre os primeiros trimestres de 2008 e 2007. Esse resultado, porém, não reflete bem o conjunto das atividades agropecuárias, principalmente as que se desenvolvem em outros trimestres do ano.

O Cepea, da Esalq/USP, calcula o PIB do agronegócio a preços reais, decompondo-o em vários segmentos: agropecuária (correspondente ao segmento primário considerado pelo IBGE), bem como insumos, agroindústria e distribuição. Com base em dados até março, estima-se que o crescimento em volume da produção vegetal neste ano será de 6,4% e o da produção animal, de 4,8%1.

Quanto aos preços, também com base em dados até março, estima-se elevação real de 15,7% para as lavouras e de 8% para a pecuária. A estimativa do crescimento real somente da renda dos agricultores (lavouras) feita pelo IBGE para este ano é de 17,9%2. O resultado ao final do ano dependerá de como se comportarão os preços e a produtividade até lá.

Existem, portanto, fortes evidências de um crescimento significativo da agropecuária em 2008. Quanto ao abastecimento de alimentos, na média do ano, esperam-se aumentos razoáveis para cereais e carnes; a exceção é o feijão, que poderá ter pequena queda de produção. Apesar disso, não há sinais de retração dos preços no restante do ano por causa da forte demanda interna e externa.

Quanto ao restante do agronegócio, o Cepea trabalha com estimativas para 2008 de crescimento no faturamento de 24,6% para o segmento de insumos e de 5,6% para a agroindústria. Este será, portanto, o ano dos insumos agropecuários. Isso evidentemente ocasionará efeitos distributivos não desprezíveis nas cadeias produtivas, com o segmento de insumos se beneficiando em detrimento dos demais elos das cadeias produtivas. Assim, produtores de algumas culturas agrícolas, como cana-de-açúcar e algodão, deverão ter dificuldades face ao comportamento desfavorável da relação de trocas produto/insumos. Na pecuária, merecem cuidados os casos de frangos e suínos. Quanto à agroindústria, várias ficarão espremidas pela alta das matérias-primas; são os casos de açúcar, beneficiamento de grãos, têxtil, vestuário e calçados. No geral, porém, é fundamental não confundir preços elevados com altos lucros, principalmente tendo em conta essa agressiva evolução de custos dos insumos.

Da mesma forma, não se deve confundir preços elevados com inflação. Caso a alta de preços agropecuários - assim como de petróleo e minérios - seja bem administrada do ponto de vista macroeconômico, a inflação pode ficar próxima da meta do Banco Central. Porém, até o momento, percebe-se um espalhamento da inflação por toda a economia. Não há como adiar rigor maior ainda das autoridades, mormente na área fiscal. É claro que isso poderá frustrar o crescimento do PIB total, especialmente da indústria e serviços.

1 Cálculos do Cepea com base em dados do IBGE, Conab e CNA
2 A estimativa do crescimento real somente das lavouras feita pelo IBGE é de 17,9% entre 2007 e 2008. Fonte: IBGE - Levantamento Sistemático da Produção Agrícola - LSPA, maio/2008; FGV - Preços Recebidos pelos Produtores, março/2008. Elaboração: AGE/Mapa

Saiba mais sobre os autores desse conteúdo

Geraldo Sant´Ana de Camargo Barros    Piracicaba - São Paulo

Pesquisa/ensino

Adriana F. Silva    Piracicaba - São Paulo

Pesquisa/ensino

ARLEI LUIZ FACHINELLO    Piracicaba - São Paulo

OUTRA

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade