Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Espaço Aberto

O leite de cabra - Capítulo 3

Por Neyd M M Montingelli
postado em 14/09/2007

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O leite como fonte de alimento, sendo humano ou de animais, sempre foi pesquisado, trabalhado, especulado, rotulado e alvo de folclore, mas nunca deixou de ser utilizado.

Para alguns produtos são dados valores espetaculares, verdadeiras panacéias que depois do estudo científico e da comprovação de que não passam de engodo, caem no esquecimento de todos, até dos mais velhos que acreditavam. Com o leite de cabra isto nunca aconteceu. Primeiro porque os muitos mitos e folclores atribuídos apesar de poucas pesquisas, não foram ainda, estudados a fundo para a sua real comprovação científica e mesmo a possível desmistificação.

Fica então o dito popular, o conhecimento dos antigos usado atualmente, comprovado pela prática, não pela ciência, sendo a nossa verdade absoluta. Pelo menos para os criadores de cabras e para os consumidores do leite esta é a verdade absoluta, a premissa verdadeira: "mito ou não, o leite de cabra alimenta, cura, ajuda a curar e previne doenças e sintomas de doenças"

Partindo deste estudo e concepção, percebi que os meus clientes que vinham buscar o leite para as crianças ou para os adultos, sempre faziam algum comentário sobre este ou aquele "remedinho caseiro" para tosse, para cabelo oleoso, para dor de estômago, etc.

Os ingredientes eram os mais variados possíveis e como a maioria deles era composta de alguma quantidade de leite, sempre vinha a pergunta: E se colocar leite de cabra, não vai ficar muito mais eficaz? Não vai fazer muito mais efeito? Mais uma vez, abri mais um arquivo, com mais fichas, desta vez com o nome de remédios caseiros.

Passei a incomodar novamente os clientes, os vizinhos, a avó, as tias, os mais velhos conhecidos, desconhecidos, qualquer pessoa. Eu precisava de dados sobre os remédios feitos em casa, com ingredientes tirados do quintal, da horta, do jardim, do armário, do que se tinha em casa.

Tudo que fizesse parte daquelas milagrosas poções, aqueles terríveis ardidos, azedos chás, daqueles ungüentos fedidos e gosmentos, geralmente com cor de terra ou pior, que as vovós insistiam em passar sobre as costinhas e barriguinhas branquinhas das crianças ou sobre aqueles cortes profundos que qualquer médico daria pelo menos 5 pontos.

No tempo de nossas avós e bisavós, quem não se lembra, ou ouviu falar, de um chazinho com cheiro doce e aparência de poção do mago Merlin, ou de uma pomada, tirada de uma latinha suspeita, com cheiro de barba de bode que a velhinha vinha passar nos machucados, que bem verdade dava mais medo do remédio do que da dor. E a criança, sob protestos, tomava o chá, o xarope, passava o ungüento e nunca mais lembrava do ocorrido.

Eu queria saber do que eram feitas aquelas melecas que eram passadas sobre a pele queimada, ralada, furada, aberta, com feridas, enquanto a criança ou adulto gritava de dor e que depois de alguns minutos, conversava calmamente explicando como havia se machucado.

Descobri que o leite não era a matéria prima principal da maioria dos remédios, mas era o veículo diluente de muitos deles, ou então era usado para começar uma das terapias, aquecendo e fervendo até diminuir de volume ou usava-se a manteiga ou o creme de leite.

O leite era a base de fortificantes, antiácidos, digestivos, calmantes estomacais, tônicos, xaropes, garrafadas e a manteiga era a massa base (excipiente) de pomadas, ungüentos e cataplasmas.

No uso de terapias caseiras, o cuidado com o doente, a preocupação com o ferimento ou com a doença, toda aquela procura pela erva, planta ou pó certo, o trabalho em preparar o remédio, o ritual para tomar, massagear ou colocar as pomadas, transformava a dor em ocorrência familiar, cujo movimento das pessoas já trazia um bem estar ao doente.

Hoje em dia, o que fazemos? Está com dor de cabeça? Por que ainda não tomou um comprimido? E a preocupação e o cuidado com a dor, com a pessoa? Esquecemos. Ficou no passado. A ciência transformou em pílulas e injeções.

Se há séculos os remédios eram esses e curavam, talvez possamos usar novamente alguns deles para o nosso bem estar, para as doenças simples, conhecidas, sem precisar de produtos químicos ou de sair de casa. E, talvez, com um pouco mais de atenção ao doente, ao buscar e preparar esses remedinhos, a recuperação fique mais rápida.

Com a informação de muitas senhoras, parentes, vizinhas, clientes, pesquisas em livros antigos, novos, revistas e internet, reuni estas receitas de remédios caseiros, que podem ser comprovadas pelo caro leitor, ou quem sabe, algum dia por um pesquisador com muito tempo.

Remédios Caseiros

Apesar dos remédios caseiros serem na maior parte inofensivos, uso indiscriminado de ervas e plantas, pode levar a sérias conseqüências médicas, deixando de ser um bem para tornar-se um transtorno e até uma doença maior.

Quando conversava ou trocava idéias ou receitas com os amigos, sempre deixei bem claro que o médico nunca deve ser deixado de consultar em casos que não sejam "caseiros". Problemas com qualquer tipo de febre, diarréias, vômitos, quedas, convulsões, não são tratadas com remedinhos, pois nem mesmo o leite de cabra tem tanto poder assim. Como o nome diz, remédio caseiro serve para tratar de doenças e males leves, corriqueiros, conhecidos, "de casa".

Outro detalhe diz respeito ao uso indiscriminado de ervas e plantas, muitas vezes sem conhecimento, com base no parece. Cada erva e planta tem sua característica e seu uso. Para isso, transcrevo dados da Resposta Técnica produzida pelo Serviço Brasileiro de Respostas Técnicas (SBRT), a respeito da manipulação de plantas para uso medicinal.

"Alguns cuidados são necessários para evitar problemas:

- Utilizar plantas botanicamente identificadas;
- Não coletar plantas em beiras de estradas, lavouras e outros locais que ofereçam risco de contaminação. Cultivá-las ou adquiri-las de locais de idoneidade comprovada;
- Usar somente as partes recomendadas da planta, manipulando-a e utilizando para a terapêutica indicada, pois algumas apresentam efeitos tóxicos e alucinógenos.
- Usar sempre utensílios de vidro ou porcelana (louça) para manipulação de plantas medicinais"

Receitas

Vermes: amassar bem 2 dentes de alho, colocar em um copo de leite de cabra, deixar agir por 20 minutos e tomar antes de dormir, por 3 dias seguidos.

Diabetes: tomar leite de cabra com 1 colher de sobremesa de farinha de maracujá pela manhã, todos os dias.

Diabetes(2): 1 maçã pequena, 1 ramo de alecrim, 3 folhas de alface crespa e um caju. Pique e bata no liquidificador com um copo de leite de cabra e tomar em jejum durante pelo menos 21 dias seguidos, para completar o ciclo da lua. Deixa passar 7 dias e volta a tomar mais 21 dias. Repete assim até sentir-se bem, depois vai diminuindo para apenas uma semana por mês.

Gastrite: bater no liquidificador 1 folha de couve, ½ xícara de dente de leão e 1 copo de leite de cabra, coar e tomar em jejum por 3 dias seguidos. Repetir a cada 5 dias

Tosse: Colocar em panela grande, um punhado de saião, agrião, capim limão, erva cidreira, guapo, 5 folhas de laranjeira da terra e 3 paus de canela com 1 litro de água. Tampe bem e aqueça por 15 minutos, sem ferver. Deixe esfriar e coe. Para cada copo, coloque 2 colheres de sopa de açúcar e faça uma calda fina. Retire e ainda quente acrescente uma colher de sopa de manteiga de cabra. Tomar 1 colher de sopa toda noite, até ficar sem catarro. No dia seguinte não pode tomar gelado nem sair sem agasalho.

Bronquite: coloque 2 copos de leite de cabra em caneca alta, acrescente 2 figos secos grandes picados bem miudinhos, deixando ferver por 15 minutos em fogo bem baixinho para não subir. Retire e junte uma colher de mel. Tomar ao deitar, bem quente, por 3 dias seguidos ou quando tiver as crises.

Abatimento físico e falta de vigor: em 1 copo de leite de cabra, colocar 2 colheres de manteiga de cabra, 2 colheres de mel, 1 colher de sobremesa ginseng pó, 1 colher de sobremesa de alcaçuz pó (equivalente a 1 colher de sopa das raspas da raiz das duas ervas), levar para aquecer por 10 minutos sem ferver e tomar morno, 2 vezes ao dia, 3 goles, por 5 dias.

Crise de bronquite: coloque em um pote de vidro com tampa de rosca, 2 gotinhas dos seguintes óleos: eucalipto, cravo da índia, óleo essencial de pinho e 3 colheres de sopa de óleo de amêndoas. Misture e reserve. Pegue 1 colher de sobremesa de manteiga de cabra e passe nas mãos (de quem vai fazer a massagem no doente) até começar a derreter. Comece a massagem no peito do doente só com a manteiga, em círculos, até aquecer a pele. Quando acabar a manteiga, besunte a mão com a mistura dos óleos e continue a massagem até acalmar a crise. Esta massagem pode repetir quantas vezes quiser. Limpar com papel absorvente e colocar uma fralda ou um pano fino sobre o peito. Não pode tomar friagem.

Herpes simples, eczemas, coceiras, seborréia do couro cabeludo: pegue folhas de bardana, lave bem, esmague em tigela de cerâmica com o fundo de um copo de vidro e divida em duas partes. Uma parte misture com um pouco de nata de leite de cabra fazendo um creme mole e a outra só as folhas esmagadas. Aplique uma fina camada das folhas esmagadas sobre o local afetado espere secar um pouco, abanando com uma revista. Não assopre para não contaminar. Em seguida passe a camada com o a nata e coloque por cima uma gaze. Deixe por 30 minutos. Retire e lave com água corrente. Não guarde o preparado porque azeda. Repita a operação 2 vezes por dia até sarar.

Acne, eczema úmido com coceira, espinhas com pus: corte 2 folhas de bardana em pedaços pequenos e coloque em 1 copo de leite de cabra e ferva por 5 minutos. Retire e acrescente 1 colher de sopa de mel e algumas gotas de própolis (3 a 5). Deixe amornar e faça compressas com algodão nos locais 3 vezes por dia, durante 5 dias ou até secarem. Não use quente.

Hemorróidas: coloque em panela funda, 4 folhas de bardana e 2 de confrei picadas com 2 copos de leite de cabra, em fogo baixo, sem tampar até quase virar doce de leite, mexendo sempre, sem deixar queimar. Quando tiver virado quase um creme, deixar amornar, aplicar como cataplasma, dentro de uma gaze no local, deixando por quanto tempo agüentar. Repetir várias vezes, até diminuir de tamanho as hemorróidas e parar de doer.

Queimadura de sol: misture mel e manteiga de cabra, ou sumo de pepino com a banha do cabrito.

Eczema leve: pegue um prato de sobremesa de erva sete sangrias picada e coloque em 1/2 copo de água e deixe ferver. Quando ferver, acrescente um copo de leite de cabra e ferva por mais 10 minutos. Retire e deixe esfriar. Se o eczema for fechado passe só o caldo com algodão, se estiver com casca, faça um cataplasma com gaze e coloque em cima, deixando por uns 15 minutos, repetindo até mudar a cor da casca e sair tudo.

Furúnculo: pegue ½ copo de leite de cabra fervido e deixe amornar. Coloque o leite em um prato e embeba uma fatia de pão de forma neste leite. Esprema o excesso e coloque 1 colher de chá de sal no centro do pão. Aplique este pão quentinho sobre o furúnculo e deixe agir. Repita a operação sempre com o pão quentinho até o pus sair. Não coloque a mão na ferida. Use algodão ou lenço de papel. É contagioso. Depois que sair todo o pus, lave com água morna e sabão neutro e seque com lenço de papel.

Fortificante: 1 ovo de pata, suco de limão cravo, 1 lata de leite condensado de cabra, 1 copo de leite de cabra, 1 colher de mel, 1 colher de sobremesa de geléia real, 1 vidro pequeno de Biotônico (do novo, sem álcool). Lavar bem o ovo de pata com escova e detergente. Colocar o ovo dentro de um copo e cobrir com o suco de limão. Deixar de molho por 3 horas ou até formar uns 'cabelos' na casca do ovo. Jogue o suco e coloque todos os demais ingredientes no liquidificador juntamente com o ovo com casca. Bata tudo muito bem. Retire e coe em peneira fina. Coloque em garrafa escura com tampa bem firme e guarde na geladeira por até 30 dias. Dar 1 colher de sopa para todos da família, por dia. Crianças a partir de 4 anos. Aumenta o apetite e dá vigor físico e mental.

Dor de estômago sem causa: pegue um pedaço de babosa de uns 15 cm, lave bem e corte os espinhos e a ponta. Corte em pedaços pequenos e coloque no liquidificador junto com 1 e ½ copo de leite de cabra, 1 colher de mel, 1 maço de boldo de quintal, bater bem retirar e coar. Conservar na geladeira. Tomar 1 colher de sopa quando estiver com dor ou fazer um tratamento tomando 1 colher de chá 4 vezes por dia, durante 3 dias, não toma 1 dia, recomeça mais 3 dias, não toma 2 dias e toma mais 3 dias. Não pode tomar muito por dia porque dá diarréia e compromete as hemorróidas.

Dermatite atópica: 1 maço de tanchagem, 1 maço de chapéu de couro, 1 colher de manteiga de cabra, gotas de própolis. Pique as folhas e esmague bem com um pilão. Quando virar uma papa, junte a manteiga e a própolis e misture até formar um creme. Passe sobre as feridas.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

Neyd M M Montingelli    Curitiba - Paraná

Pesquisa/ensino

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Gláucio José Araujo Vaz

Recife - Pernambuco - Produção de leite
postado em 14/09/2007

Parabéns, fico feliz por encontrar pessoas importantes e capazes que acreditam e divulgam bons remédios caseiros, pois se hoje chegamos a globalização devemos agradecer aos nossos avós que tantas vezes curaram e se curaram com estas poções mágicas. Meu pai ficou bom de uma doença maldita com o caldo do cozimento do inhame misturado ao leite de cabra e uma maçã. Batia no liquificador e tomava em jejum. Algum tempo depois o médico pediu para refazer o exame em outro laboratorio com as lâminas do 1º resultado.

Abraço e parabéns,

Gláucio Vaz

Resposta da autora:
Prezado Gláucio,
Como temos historias familiares destas para contar não é mesmo? Algumas vezes um simples remedinho caseiro, preparado com carinho, traz tanto alívio a um problema crônico que causa espanto. Imagino quantas pessoas já usaram o leite de cabra, a manteiga e a carne para ajudar na cura e prevenção de muitos males. É o nosso leite de cabra, de novo e sempre!

Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

Rodrigo Carlos Wansovicz

Mafra - Santa Catarina - Produção de caprinos de corte
postado em 19/09/2007

Neyd mais uma vez como seu amigo e admirador, venho parabenizá-la. Sempre com artigos que falam sobre nós, povão, com certeza estamos no limiar de um novo tempo em que a ciência já está revendo conceitos (ex. ovo de galinha libarado, banha de porco, e tantos outros). Com certeza nossos remédios e nosso leite de cabra terão novamente seu valor reconhecido e incentivado.

Como caprinocultor, gostaria de parabenizá-la também por estar difundindo nosso produto e nossa missão.
Espero ansioso pelo próximo arquivo.
Grande Abraço.
Rodrigo
Capril Vô Lilo

Resposta da autora:
Rodrigo,
É uma satisfação receber seu comentário. Gosto muito de divulgar as propriedades de nosso leite de cabra porque já comprovei na prática estas qualidades.

Minha avó sempre dizia que "se você sabe de alguma coisa boa, conte pelo menos para uma pessoa, porque se for boa mesmo, esta pessoa também vai fazer o mesmo e assim todo mundo fica sabendo".

E nós apaixonados por caprinos, sabemos o quanto nosso leite é "uma coisa boa".

Neyd Maria Makiolka Montingelli

Anisio Ferreira Lima Neto

Teresina - Piauí - Pesquisa/ensino
postado em 20/09/2007

Parabens! A cada artigo confrima-se a eficiência deste alimento, é chegado o momento dos governantes olharem mais para o leite de cabra. Digo não só eles, mas os profissionais de saúde devem procurar ver e conhecer a importância deste aliemnto para segurança alimentar e a melhoria da qualidade de vida de nossa sociedade, dos membros excluidos ou não.

Resposta do autor:
Anísio,

O leite de cabra é uma alimento do passado, para ser pesquisado e usado no presente e no futuro. Nós temos que deixar de ser egoístas e fazer com que as outras pessoas saibam também das qualidades e dos diversos usos do nosso leite de cabra, não é mesmo?

Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

Marília A. Pasin P. Rangel

Guaratinguetá - São Paulo - Produção de caprinos de leite
postado em 01/10/2007

Parabéns, mais uma vez!
O leite de cabra precisa de pessoas como você, pessoas que conhecem, acreditam e divulgam a sua qualidade! obrigada
abraço

Resposta da autora:
Marília,
Agradeço o comentário. Pode contar que eu sempre vou divulgar o nosso leite de cabra. Nos que trabalhamos com o leite e sabemos de suas qualidades temos a obrigação de compartilhar com a comunidade que estiver ao nosso alcance.
Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

Bruna

Itaguaí - Rio de Janeiro - Produtor Rural
postado em 27/07/2012

porque o leite da cabra sai azedo

julia mendes

Rio Grande - Rio Grande do Sul - Estudante
postado em 07/01/2013

Olá, eu tenho uma criação de cabras e tem uma leiteira que dá apenas leite azedo, toda vez que vou ferver e coalha, o que será?


desde já obrigada

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade