Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Especiais

8ª cotação mensal do preço do cordeiro: preços continuam em ascensão

postado em 26/08/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Desde janeiro deste ano, o FarmPoint está realizando a cotação mensal do preço do cordeiro. O objetivo inicial é coletar informações com agentes de mercado de alguns Estados, de modo a estabelecer um entendimento claro de como está funcionando a ovinocultura e futuramente, elaborar artigos com análises e tendências. Este conteúdo é inédito, as perspectivas são de crescimento e uma das metas é coletar informações de outros Estados que ainda não estão incluídos na nossa pesquisa. Esta é a 8ª Cotação Mensal do Preço do Cordeiro realizada pelo FarmPoint.

Para a elaboração deste projeto, realizamos um levantamento e entramos em contato com frigoríficos e produtores de carne de várias praças (associações, cooperativas e produtores que possuem uma marca de comercialização de carne) e órgãos estaduais que realizam cotações regionais de carne de cordeiro.

No início do ano, o FarmPoint também lançou um formulário (clique aqui) para aumentar a rede de informantes, captar as tendências de mercado dos estados brasileiros e levar informações relevantes ao leitores. Este formulário permanecerá em aberto e também será utilizado para as próximas cotações.

Tabela 1 - 8ª Cotação Mensal do Preço do Cordeiro - agosto de 2011.



* Fonte: Formulário de Cotação do FarmPoint, Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), Emater/RS, Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário (Seagro), Centro de Abastecimento Alimentar de Pernambuco (Ceasa), Informativo Semanal do Preço do Cordeiro - UNICETEX/FZEA/USP, frigoríficos dos estados participantes, cooperativas, associações e produtores de ovinos. PS: cotação realizada entre os dias 22 a 24 de agosto de 2011.

Comentários de destaque

Um dos informantes do Estado de São Paulo comentou que com a entrada de carne do Uruguai nos supermercados e casas de carne, está havendo uma grande oferta de produtos importados. "A minha venda de carcaças diminui nestes meses de julho e agosto. Mantenho um confinamento de cordeiros no meu sítio e o mercado está competitivo. O custo do meu confinamento hoje é de R$5,80 kg/vivo e fica bem claro que hoje é mais interessante comprar o animal pronto a R$5,50 do que comprar uma desmama por R$4,50. Um frigorífico me ofereceu R$ 11,00/kg/carcaça, mas por esse preço a minha conta não fecha".

De acordo com um outro informante de São Paulo, "não existe reposição (compra de desmamados); sem escala para o final do ano; carcaças não homogêneas. Estimativa de preço carcaça à partir de novembro/2011: R$ 20,00 (proibitivo); conclusão: haverá a venda de matrizes, descartes e borregos reservados para venda em pé (reprodução SRD) que passarão a ser abatidos. Haverá a venda de muita carne de carneiro (cortes) como cordeiro, infelizmente".

Um informante do Mato Grosso citou que há uma forte procura por animais jovens na região norte do estado para serem abatidos em São Paulo. "O fator seca tem atrapalhado bastante a engorda", completou ele.

Informantes da Bahia comentaram que não estão tendo dificuldades de oferta de animais e estão abatendo normalmente.

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade