Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Especiais

Análise do desenvolvimento do rebanho ovino e caprino no Brasil em 2011

Por Raquel Maria Cury Pereira (FarmPoint)
postado em 09/11/2012

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O FarmPoint fez uma análise dos dados apresentados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre a Pesquisa de Produção da Pecuária Municipal de 2011 (PPM 2011). O efetivo de ovinos em 2011 foi de 17,6 milhões de cabeças, crescimento de 1,62% frente as 17,3 milhões de cabeças de 2010 e o efetivo de caprinos foi de 9,38 milhões de cabeças, crescimento de 0,77% comparado as 9,31 milhões de cabeças de 2010.

Ovinos

O efetivo de ovinos em 2011 foi de 17,6 milhões de cabeças, crescimento de 1,62% frente as 17,3 milhões de cabeças de 2010. Em 2011, a região Nordeste deteve o maior número de cabeças ovinas, totalizando 10,11 milhões de cabeças, crescimento de 2,56% frente a 2010. A região Sul apresentou o segundo maior rebanho, 4,94 milhões de cabeças e crescimento de 1,23% comparado a 2010. A região Centro-Oeste apresentou o terceiro maior rebanho, 1,20 milhões de cabeças, queda de 4,62%, seguido da região Sudeste 768.210 cabeças (queda de 1,75% frente a 2010) e da região Norte com 627.563 cabeças, aumento de 7,05%.

Regiões

Gráfico 1 - Participação percentual das regiões brasileiras no rebanho ovino.



Estados

Em 2011 o Rio Grande do Sul se manteve na liderança e totalizou 4 milhões de cabeças, crescimento de 0,53% frente a 2010. A Bahia manteve o segundo lugar no ranking, com um efetivo de 3,07 milhões de cabeças e queda de 1,71% frente a 2010. A terceira posição foi ocupada pela Ceará, com 2,14 milhões de cabeças, crescimento de 2,08%. Pernambuco permanece apresentando grandes crescimentos. De 2010 a 2011 o rebanho cresceu 14,41%. Em quinto lugar está o Piauí, com 1,39 milhões de cabeças.

Gráfico 2 - Participação da produção efetiva dos 5 maiores estados produtores.



Destaque: região Norte

Na região Norte, todos os estados contribuíram com o crescimento do rebanho ovino. Em Amazonas, o crescimento foi de 22,82% frente a 2010, seguido de Amapá, crescimento de 11,77% e Rondônia, aumento de 8,87%.

Gráfico 3 - Variação do rebanho de ovinos de 2010 a 2011 da região Norte.



ps: os dados de Roraima não constavam no IBGE.

Tabela 1 - Os 20 municípios com maior rebanho de ovinos em 2011.



Caprinos

O efetivo de caprinos em 2011 foi de 9,38 milhões de cabeças, crescimento de 0,77% comparado as 9,31 milhões de cabeças de 2010. Em 2011, a região Nordeste deteve o maior número de cabeças caprinas, totalizando 8,53 milhões de cabeças, crescimento de 0,94% comparado a 2010. A região Sul apresentou o segundo maior rebanho, 341.637 cabeças, queda de 0,49% comparado a 2010. A região Sudeste também apresentou queda (de 3,40%) totalizando 225.463 cabeças. Na região Centro-Oeste houve crescimento de 0,75% e na região Norte crescimento de 0,74%.

Regiões

Gráfico 4 - Participação percentual das regiões brasileiras no rebanho caprino.



Estados

Em 2011, a Bahia permaneceu na liderança e totalizou 2,74 milhões de cabeças, queda de 3,70% frente a 2010. Pernambuco manteve o segundo lugar, totalizando 1,92 milhões de cabeças caprinas. O rebanho pernambucano teve um crescimento considerável de 10,99%. A terceira posição ficou com o Piauí (1,38 milhões de cabeças), seguido do Ceará (1,04 milhões de cabeças) e Paraíba (580.867 cabeças).

Gráfico 5 - Participação da produção efetiva dos 5 maiores estados produtores.



Região Nordeste: maior crescimento

A região Nordeste foi a que mais cresceu. O crescimento de destaque ficou para o Estado de Pernambuco, 10,99%, seguido de Alagoas 3,38% e Ceará 1,99%.

Tabela 2 -Variação do rebanho efetivo de caprinos de 2010 a 2011.



Tabela 3 - Os 20 municípios com maior rebanho de caprinos em 2011.





Em 2011, foram tosquiados no Brasil 3,93 milhões de ovinos, crescimento de 0,78% em relação ao número de 2010, resultando na produção de 11,80 mil toneladas, crescimento de 1,35% em relação a produção de 2010. A criação de ovinos para tosquia ocorre principalmente na região Sul (em 2011, por exemplo, foi responsável pela produção de 98,50% da lã nacional). O mínimo restante produzido, localiza-se na região Centro-Oeste e Sudeste.

Tabela 4 - Os 20 municípios com maior rebanho de ovinos tosquiados em 2010.



Conclusão

A região Nordeste continua detendo os maiores rebanhos de ovinos e caprinos. Destaque para o Estado de Pernambuco, já que o número de cabeças de ovinos e caprinos vem crescendo consideravelmente.

O maior crescimento do rebanho ovino ocorreu na Região Norte, com destaque para Amazonas e o maior crescimento do número de caprinos ocorreu na Região Nordeste, com destaque para a Bahia.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

William George dos Santos

São José dos Campos - São Paulo - Médico Veterinário
postado em 09/11/2012

Porque o estado de São Paulo, não consegue de fato aumentar o numero efetivo de cabeças? Existe algum preconceito com relação a ovinocultura na região Sudeste,ou há na verdade uma falta de mão de obra especializada?!

Desde já obrigado

Sara Rodrigues

Cláudio - Minas Gerais - Estudante
postado em 14/11/2012

William, talvés seria o fato da produção de rebanhos de elite ser superior a de rebanho comercial, uma vez que o que engorda o gráfico é número de cabeças, porém, se você pensar em valor agregado por animal, esse resultado pode ser diferente e São Paulo pode aparecer nos gráficos!

joiane

Sobral - Ceará - Zootecnista
postado em 14/07/2014

o que acontece é a falta de organização das cadeias produtivas da região sudeste, em são paulo existem mais produtores de bovinos, e poucos acreditam na ovinocaprinocultura, fazendo com que a região nordeste detenha em maior numero de animais para carne e leite, a região sul já entra no caso cultural, o consumo de leite, carne e lã é mais comum. na região de São Paulo existem centros de estudos e núcleos, ainda com esses animais em adaptação como por exemplo o caso da raça ovina da Morada Nova. Eu ainda acho que há um preconceito por parte dos produtores, é preferível na região o boi, ao carneiro ou bode.

Marcos da costa teixeira

Nina Rodrigues - Maranhão - Estudante
postado em 29/09/2014

Porque o maranhao nao tem uma prducao satisfatoria no ramo?

Filipe souza Cavalcante

Maceio - Alagoas - Pesquisa/ensino
postado em 23/07/2015

Filipe Souza Cavalcante - Zootecniasta- Mestrando em produção de ruminantes- Universidade Federal de Alagoas.

Gostaria de saber se há a possibilidade de você me enviar essa pesquisa da Farmpoint em forma de artigo ou pdf, para que eu posso referenciar esses dados da construção de artigos científicos e dissertação?

desde já agradeço
Att,
Filipe Souza Cavalcante

Paulo R.C.Cordeiro

Nova Friburgo - Rio de Janeiro - Indústria de laticínios
postado em 23/07/2015

Filipe
Recebi o email solicitando informações de um trabalho que não e meu, e sim de
Raquel Maria Cury Rodrigues    Piracicaba - São PauloZootecnista pela FMVZ/Unesp de Botucatu e Coordenadora do FarmPoint.

Sem mais atenciosamente
Paulo R C Cordeiro

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade