Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Especiais

Cruzamento entre raças - você utiliza?

postado em 18/04/2011

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

De maneira geral, os sistemas de produção mais eficientes são aqueles que otimizam os recursos genéticos, os recursos ambientais, as interações entre eles, as práticas de manejo e as exigências de mercado. Algumas estratégias podem ser mais adequadas para determinadas exigências de tal forma que a definição do objetivo do sistema de produção seja fundamental para a tomada de decisões. Hoje uma estratégia de produção bastante utilizada pelos produtores de ovinos e caprinos é o cruzamento entre raças.

No início do mês o FarmPoint realizou uma enquete com o intuito de saber a opinião dos produtores sobre o cruzamento de raças e se eles utilizam essa técnica. Leitores de 7 estados (BA, MG, PE, PR, RS, SE e SP) brasileiros participaram e deixaram as suas opiniões.

Dos leitores que participaram, 80% utilizam cruzamentos em sua propriedade e 20% não utilizam.

Gráfico 1



Eduardo Piccoli Machado, produtor rural de Alegrete/RS, comentou que é criador da raça Ideal. "Meu rebanho possui pureza genética de mais de 40 anos de seleção e melhoramento. Sou adepto da filosofia de Joaquim Francisco de Assis Brasil que dizia que aptidão se faz com seleção e não com mestiçagem". Leonardo Rohrsetzer de Leon, produtor de ovinos da raça Merino Australiano de Bagé/RS, também não realiza cruzamento assim como Edgenalvo Azevedo Feitosa, produtor de ovinos de Garanhus/PE. Este último destacou que pretende iniciar cruzamentos em breve.

Dentre os produtores que participaram da pesquisa, Laudelino de Sousa Filho, produtor de ovinos de Salvador/BA, Vladson Dalla Costa, produtor de ovinos de Bauru/SP e Luiz Carlos Nunes dos Santos de Salvador/BA, produtor de ovinos de Salvador/BA, utilizam cruzamentos entre as raças Dorper e Santa Inês. Costa citou que hoje está usando animais 3/4 Dorper e está conseguindo ótimas carcaças para o abate assim como ótimas mães com fêmeas 7/8. Luiz Carlos também comentou que está tendo resultados bastante satisfatórios na terminação de carcaças. Já de acordo com José Dagoberto Franco de Oliveira, produtor de Bagé/RS, excelentes resultados são obtidos com cruzamento entre fêmeas Corriedale e carneiros Dorper.

Dois produtores cruzam animais da raça Santa Inês com raças especializadas na produção de leite. Heron Reger de Carvalho, consultor de Minas Gerais, comentou que cruza animais da raça Santa Inês com East Friesian e Isaias José Coelho, sócio da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos de Dormentes/PE, cruza Santa Inês com Bergamácia. Os dois também disseram que estão introduzindo animais da raça Dorper no rebanho.

Igor Vaz, produtor de ovinos de Pelotas/RS, disse que seu rebanho é muito diversificado. "No meu rebanho, predominam as raças Corriedale, Texel, Romney Marsh e Merino. Estamos introduzindo cruzamentos com gene Booroola para aumentar o número de crias por matriz". Tiago Schultz, produtor de ovinos de Mafra/SC, também cria animais da raça Texel e utiliza-os nos cruzamentos. "Eu crio fêmeas Texel e utilizo reprodutor Ile de France. Estou precisando repor as carneiras que estão ficando velhas ou que apresentam falhas na produção, por isso estou pensando em adquirir um reprodutor Texel para cruzar com algumas fêmeas que se destacam no rebanho e com as futuras fêmeas que substituirão as fêmeas de descarte". Já o produtor de de ovinos de Mariópolis/PR, Marco Aurélio Steffani, realiza cruzamentos alternados com Texel e Suffolk.

O produtor de caprinos de corte, Alcindo Pava de Porto Alegre/RS, citou que está criando caprinos com finalidade carne, então, cruza animais da raça Savana com animais SRD.

E você? Utiliza cruzamentos na sua propriedade? Qual é a sua opinião sobre esse assunto? Participe deixando um comentário!

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Silvio Iran da Costa Melo

Nova Alvorada do Sul - Mato Grosso do Sul - Ovinos/Caprinos
postado em 18/04/2011

>>Caros amigos,

>>Em minha propriedade venho selecionando matrizes bergamácia (com boa produção de leite), cruzadas com Ile de Franced (aptidão carne), obtendo neste cruzamento, fêmeas F1 com maior produção de leite, pela adição da característica produtiva da raça no cruzamento, esta fêmea fornece os nutrientes necessários durante o período em que os cordeiros mamam, potencializando assim a fase de crescimento dos cordeiros.

>>Um forte abraço!

João Alberto Haag Luiz

Santa Maria - Rio Grande do Sul - Produção de ovinos de lã
postado em 18/04/2011

Na minha formação acadêmica(Zootecnia)sempre ouvi dos meus mestres que nas raças produtoras de Lã, não seria interessante cruzar. Talvez entre as raças Ideal e Merino fosse permitido cruzar uma com a outra para buscar uma característica desejável:Finura(Merino) ou comprimento de mecha(Ideal).Mas, quando o objetivo for produção de carne,o cruzamento é uma ferramenta importante.
João Alberto Haag Luiz
Zootecnista,formado pela PUC-Uruguaiana-RS

Pedro Henrique do Nascimento Ruete

Adamantina - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 17/05/2011

Estamos fazendo cruzamentos entre as raças Santa Ines (fêmeas) x Dorper (machos) para obter fêmeas 1/2 sg Dorper/Santa Ines, para posterior acasalamento com reprodutores Sufolk, 100% dos produtos obtidos no segundo acasalamento são destinados ao abate (produtos Tricross). Fêmeas 1/2 Dorper mostraram habilidade materna superior e os produtos Tricross um excelente rendimento (geral) em confinamento.

Rodrigues da Silva Pires Neto

Jardim - Mato Grosso do Sul - Produção de ovinos
postado em 23/11/2012

Estou Usando o Cruzamento Desenvolvidos a Partir do do cruzamento entre Machos da Raça (Dorper) e fêmeas da raça (Sta. Inês), A raça dorper tem um ganho de peso muito bom, media de 30kg entre 3 a 4 meses. E a raça santa Inês é Provida  da raça Bergamacia, otima produtora de leite. Então creio que o a Genética das duas raças seria a melhor, o ganho de peso excelente da raça Dorper mais a alta produção de leite da raça Santa Inês criaria um rebanho para cria, e engorda de ovinos muito Satisfatória. Principalmente Aqui No Estado do Mato Grosso Do Sul, onde o clima é muito quente, e as raças se adaptam muito bem ao clima quente.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade