Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Especiais

Exportações de carne ovina argentina para o Brasil crescem

postado em 10/01/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Em 2010, o Brasil importou uma maior quantidade de carne ovina da Argentina comparado a 2009. Este fato pode ser explicado pela redução de carne ovina uruguaia exportada para o Brasil, visto que o Uruguai (atualmente o maior exportador de carne ovina para o Brasil) abriu mercados de maior valor em 2010 e reduziu a quantidade destinada ao Brasil. A demanda aquecida no mercado brasileiro também incentivou o aumento das exportações realizadas por outros países.

Em 2010, a Argentina exportou para o Brasil carne ovina desossada e congelada e carne ovina não desossada congelada. O Uruguai também exporta para o Brasil estas opções, além de carcaças de ovinos, frescas ou refrigeradas e carcaças de cordeiro congeladas.

Carne ovina desossada e congelada

Em 2010 (janeiro a novembro), o Brasil importou da Argentina 0,02 mil toneladas, crescimento de 116,2% frente a 2009 (0,009 mil toneladas). Apesar do Uruguai ter diminuído 52,5% as exportações de carne ovina desossada e congelada para o Brasil, de janeiro a novembro exportou 0,14 mil toneladas (quantidade significantemente maior que a da Argentina).

Gráfico 1



Junto ao crescimento das exportações argentinas, houve aumento no preço por kg. Em 2009, a média do preço por kg foi de US$ (FOB) 4,32 e em 2010, US$ (FOB) 5,39, aumento de 24,89%. Analisando as exportações do Uruguai, o aumento foi maior ainda. Em 2009, a média de preços foi de US$ (FOB) 3,97 e em 2010, US$ (FOB) 6,44, crescimento de 62,3%.

Carne ovina não desossada e congelada

Em 2010 (janeiro a novembro), o Brasil importou da Argentina 0,27 mil toneladas, crescimento de 42,3% frente a 2009 (0,19 mil toneladas). Mesmo diminuído 11% as exportações de carne ovina não desossada e congelada para o Brasil, o Uruguai exportou 4,2 mil toneladas, ante 4,8 mil toneladas em 2009.

Gráfico 2



Também houve aumento nos valores para a carne ovina não desossada e congelada. Em 2009, o kg custou US$ (FOB) 2,97 e em 2010, US$ 3,66, crescimento de 23,4%. O aumentos nos preços também foi verificado nas exportações do Uruguai, resultando no aumento de 72,6%. Em 2009 o kg custou US$ (FOB) 3,1 e em 2010, US$ (FOB) 5,35.


Raquel Maria Cury Rodrigues, Equipe FarmPoint, com dados do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade