Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Queijo de leite de ovelha rico em CLA melhora saúde do coração

postado em 03/06/2009

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Consumir queijo feito a partir de leite de ovelha, rico em ácido linoléico conjugado (CLA) pode reduzir os marcadores relacionados a doenças do coração, sugeriram resultados de um pequeno estudo italiano.

Pesquisadores da Universidade de Florence reportaram que o leite de ovelha, rico em CLA cis-9, trans-11, produziu mudanças favoráveis nas citocinas inflamatórias e na agregação plaquetária, ambos fatores associados com aterosclerose, ou endurecimento das artérias devido ao acúmulo de depósitos de gordura nas paredes das artérias. A aterosclerose é a causa principal da doença coronariana cardíaca (CHD, da sigla em inglês).

"Essas observações, apesar de preliminares e obtidas em um grupo limitado de estudo, parece ter relevância para implicações práticas em termos de nutrição e saúde da população em geral", disseram os pesquisadores no Nutrition, Metabolism e Cardiovascular Diseases. "Se os efeitos dos produtos lácteos naturalmente enriquecidos por seus teores de CLA cis-9, trans-11 forem confirmados por mais exames, isso provavelmente terá importantes implicações para a nutrição humana e a indústria de alimentos".

Os pesquisadores, liderados por Francesco Sofi, recrutaram 10 pessoas com idade média de 51,5 anos e aleatoriamente distribuídos para consumir uma dieta contendo 200 gramas por semana de queijo de leite de ovelha (queijo pecorino), naturalmente rico em CLA, ou queijo de leite de vaca (placebo), por 10 semanas.

Sofi e seus colaboradores reportaram que o consumo de queijo de leite de ovelha rico em CLA produziu reduções significantes nos marcadores inflamatórios, incluindo 43% de redução na interleucina-6 (IL-6), uma redução de 36% na IL-9 e uma redução de 40% no fator de necrose tumoral alfa (TNF-alfa). Não foram observadas mudanças após 10 semanas de placebo.

Além disso, uma redução de 10% na extensão da agregação plaquetária, induzida pelo ácido araquidônico, foi observada no grupo que consumiu queijo com CLA, comparado com o placebo.

"Os CLAs foram anteriormente reportados como atenuantes da expressão da citocina inflamatória em animais e humanos e foi recentemente reportado que eles são capazes de inibir a expressão de moléculas de adesão induzida por citocinas nas células endoteliais e da musculatura lisa".

"Dessa forma, é concebível a hipótese de que os CLAs são capazes de atenuar o processo de aterosclerose através da inibição das citocinas inflamatórias iniciais, como as medidas em nosso estudo".

A reportagem é do Nutraingredients.com, traduzida e adaptada pela equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade