Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Comunidade > Fique Atento

Definida edição 2012 da Feira Internacional de Ovinos e Caprinos (Feinco)

postado em 28/11/2011

Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Agrocentro divulgou a data da IX Feinco - Feira Internacional de Ovinos e Caprinos: será de 12 a 16 de março de 2012. Para essa edição, o foco principal será Produção de Carne de Cordeiro e Cabrito, Leite e Derivados de Leite de Cabra, Exportação de Carne, Programas de Incentivo ao Produtor de Diversos Estados e Região.

Um dos destaques da programação da Feinco é a agenda de leilões, com oferta diversificada e muita qualidade. Na 8ª edição da Feira Internacional de Caprinos e Ovinos - Feinco 2011, os oito leilões movimentaram R$ 2.654.340 com a venda de animais e genética de várias raças ovinas, além de caprinos Anglonubianos e alguns lotes de equinos Quarto de Milha (que renderam mais R$ 196.320).

Vitrine da cadeia produtiva do setor, a Feinco é a maior feira indoor da ovinocaprinocultura. Em 2012, é estimada a participação de mais de 4.000 animais das raças importantes de produção (Santa Inês, Ile de France, Suffolk, Merino Australiano, Bergamácia, Romney Marsh, Border Leicester, Lacaune, Karakul, Texel, Dorper, Poll Dorset, Hampshire Down, Crioula, Boer, Saanen, Alpina, Anglo Nubiana, Toggenburg, entre outras).

O Agrocentro espera receber mais de 25 mil visitantes, entre criadores, empresários, técnicos, zootecnistas, veterinários, estudantes e outros profissionais interessados pela ovinocaprinocultura. Estão previstos mais de 100 eventos paralelos. Além disso, cerca de 180 empresas e 250 criadores apresentarão numa área coberta de aproximadamente 25.000 m2 as tendências
do mercado que mais crescem no País.

Expansão

A ovinocaprinocultura é uma atividade em expansão no Brasil, garantindo emprego e renda em várias regiões. Envolve o trabalho de profissionais que vivem da atividade, tais como, professores de universidades a técnicos de registro, técnicos agrícolas, juízes, zootecnistas, veterinários, empregados rurais, cabanheiros, e comerciantes de animais e carne de caprinos e ovinos. Vale ainda destacar a indústria de equipamentos e insumos diversos e serviços voltados para o setor.

O Brasil detém o 2º maior rebanho de ovinos e de caprinos e é o 2º maior produtor de ambas as carnes do mundo. Mas, como existe uma demanda crescente de consumo interno, é grande a participação do País no mercado internacional de carne ovina como importador. Esse quadro sinaliza potencial e oportunidade de investimento na cadeia produtiva.

Mesmo assim, a eficiência da ovinocaprinocultura brasileira ainda está aquém da Nova Zelândia, Uruguai e Austrália, grandes líderes mundiais na exportação de caprinos e ovinos e referência na produção. Essa liderança decorre de uma combinação de condições favoráveis para a produção e indústria preocupada em melhorar continuamente a eficiência de produção e a qualidade da carne para suprir as exigências do consumidor.

Eficiência

Segundo Décio Ribeiro, diretor do Agrocentro, o Brasil está seguindo o caminho de aumento de eficiência, mas, para deslanchar, falta, além da organização da cadeia produtiva, mais investimentos em genética, tecnologias de melhoramento e aumento de produtividade através da utilização de ferramentas modernas como biotecnologia, DEPs, índices de seleção, entre outras. "Precisamos melhorar cada vez mais a produção de carne de alta qualidade, para atender os consumidores."

O Brasil produz apenas 20% desse da carne ovina e caprina, os restantes são supridos pelo abate informal e pelo mercado externo. De acordo com estimativas, mais de 90% do consumo do País provém de abate informal. Além disso, apenas 7,6% do total produzido são de carne inspecionada. O produto importado corresponde a 9% do consumo formal brasileiro, de 86 mil toneladas anuais. Com a abertura das exportações para os Estados Unidos, o Uruguai, que era o principal fornecedor brasileiro reduziu o envio de carne ovina para o Brasil, o que refletiu na melhora dos preços ao produtor.

"É enorme o potencial de crescimento da ovinocaprinocultura brasileira. Precisamos reduzir a clandestinidade, com investimentos em plantas frigoríficas, para incentivar o produtor a investir na atividade e garantir escala para o abate", afirma Carla Tuccilio, gerente do Agronegócio do Agrocentro.

"O Brasil tem todas as condições para se tornar referência mundial em ovinos e caprinos", acrescenta Décio Ribeiro que convida o setor para conhecer as novidades e as oportunidades na Feinco 2012.

As informações são da Feira Internacional de Ovinos e Caprinos, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Entre em contato com o autor deste artigo através do formulário abaixo!

deve ter o formato de 10 a 11 dígitos (ddd + telefone ou 0800, 0300, etc.)
Por favor digite o código de verificação contido na caixa ao lado:

3000 caracteres restantes

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade