Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Confira a 17ª cotação mensal do preço do cordeiro realizada pelo FarmPoint

postado em 26/10/2012

7 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Desde janeiro de 2011, o FarmPoint está realizando a cotação mensal do preço do cordeiro. O objetivo inicial é coletar informações com agentes de mercado de alguns Estados, de modo a estabelecer um entendimento claro de como está funcionando a ovinocultura brasileira.

Este conteúdo é inédito, as perspectivas são de crescimento e uma das metas é coletar informações de outros Estados que ainda não estão incluídos na nossa pesquisa. Para a elaboração desse projeto, realizamos um levantamento e entramos em contato com frigoríficos e produtores de carne de várias praças (associações, cooperativas e produtores que possuem uma marca de comercialização de carne) e órgãos estaduais que realizam cotações regionais de carne de cordeiro. Com o formulário elaborado pelo FarmPoint e divulgado no site, também pretendemos aumentar a nossa lista de informantes de mercado para que o resultado das cotações mensais realizadas seja cada vez mais preciso e de acordo com a realidade brasileira.

Tabela 1 - 17ª Cotação Mensal do Preço do Cordeiro - agosto. (ps: variação
comparando com os preços cotados no mês de setembro de 2012).

*Fonte: Formulário de Cotação do FarmPoint, Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), Emater/RS, Secretaria da Agricultura, da Pecuária e do Desenvolvimento Agrário (Seagro), Centro de Abastecimento Alimentar de Pernambuco (Ceasa), Informativo Semanal do Preço do Cordeiro - UNICETEX/FZEA/USP, frigoríficos dos estados participantes, cooperativas, associações e produtores de ovinos. PS: cotação realizada entre os dias 19/10 e 25/10.

Comentários de destaque

- Um informante do Espírito Santo comentou que na sua região o preço varia entre R$3,50 à R$6,50, quando são animais cruzados. "O grande problema é que não há uma rede de comercialização formal e o abate é praticamente todo clandestino, no caso de mercados (1º caso) e churrascarias (2º caso, precisam de carne macia). Portanto, não há um frigorífico que compre os cordeiros para venda direta. Com isto, o kg/vivo/cordeiro no ES é um mercado praticamente clandestino. Quem não quer sofrer com problemas de ilegalidade importa cortes de outros estados (SP, MS) e países", completou ele.

- Um produtor de ovinos de Juazeiro/BA citou que a região é regida em grande parte pelo regime de chuvas. "Nesse momento em que estamos passando por uma estiagem bastante prolongada poucos produtores estão tendo animais com peso para serem abatidos. A tendência é que o preço venha em uma subida crescente", finalizou ele. Corroborando com essa ideia, um produtor cearense disse que o preço do produto em questão, teve um acréscimo na região e está em torno de R$5,00 chegado a R$6,00 em alguns casos. "Este preço se dá em virtude da falta do produto. Tivemos um grande seca em nosso Estado. Em determinadas áreas já está há dez meses sem chuva. A produção de cordeiros está em baixa. O preço da ração em alta. Assim, os poucos rebanhos que sobraram estão somente em manutenção. Este é o retrato da nossa ovinocultura".

- Um informante do Paraná disse que o há um aumento de novos criadores de cordeiro e com isso, uma maior oferta e queda de preços.

- Dois produtores, um do Paraná e outro de São Paulo comentaram sobre a ausência de frigoríficos nas proximidades de suas propriedades: "Temos um grande problema para colocar a carne no mercado visto que não há frigoríficos que abatam cordeiros" e "Existe muita dificuldade em encontrar frigoríficos para o abate de ovinos; Aqui na minha região, num raio de 150 km não conheço nenhum". Além disso, um produtor de Formigueiro/RS frisou que tem uma dificuldade enorme de comercializar para frigoríficos pela baixa oferta de cordeiros e pela falta de organização do setor.

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade