Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Entrevistas

Especial Associações: Alexandre Toloi, do N.O.B.R.E

postado em 25/08/2010

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

No último dia 13, o FarmPoint esteve presente no I Encontro de Lideranças do Setor da Ovinocaprinocultura do Estado de São Paulo, durante a 4ª Expo N.O.B.R.E, em Bauru/SP. O encontro buscou coletar dados regionalizados e uniformes para o Estudo do Complexo da Cadeia Produtiva de Ovinos e Caprinos. Durante o evento, a analista de mercado do FarmPoint, Raquel Maria Cury Rodrigues, entrevistou o presidente do Núcleo de Ovinocultores de Bauru e Região. Na entrevista, Alexandre fala sobre as parcerias e as dificuldades do núcleo, mercado de ovinos e conscientização da união dos produtores.

O N.O.B.R.E (Núcleo de Ovinocultores de Bauru e Região, formalizado como um núcleo da ASPACO (Associação Paulista dos Criadores de Ovinos) em 01 de Agosto de 2006, tem, por objetivo, a produção de cordeiros de qualidade e baixo custo para abate.

Atuação

Abate em conjunto: redução de custos de abate e maior viabilidade para pequenos produtores.
Classificação de reprodutores e matrizes: para produção de melhor carcaça.
Parceria com empresas do setor agropecuário: viabilizando ações e conhecimentos para os produtores.
Palestras técnicas: focadas na necessidade do produtor.
Compra conjunta: redução de custos de insumos, alimentação, vacinas, etc.

Figura 1 - Alexandre Toloi, presidente do N.O.B.R.E.



Destaques da entrevista

FarmPoint - Qual é a história e os objetivos do núcleo?

Alexandre - "O N.O.B.R.E é um núcleo que nasceu em 2005 e desde a sua criação a gente vêm buscando trabalhar a estruturação interna dos produtores, visando maior desfrute dos animais. Nós fazemos um trabalho bastante focado na parte técnica com um suporte muito grande principalmente do SEBRAE e do Sindicato Rural de Bauru. Nós visamos buscar a maior eficiência dos índices zootécnicos, principalmente número de cordeiros nascidos por matriz, redução de índices de mortalidade junto com a estruturação e organização do núcleo, que são os custos e o fomento da união dos produtores. Desde o começo nós fazemos um trabalho focado nisso, pois acreditamos que trará uma maior sustentabilidade para o negócio".

Figura 2 e 3 - Animais expostos duranta a 4ª Expo N.O.B.R.E



FarmPoint - Quais as vantagens e a importância da união dos produtores na comercialização de produtos/e animais e na compra de insumos?

Alexandre - "Dentro do nosso grupo nós temos muitos pontos que foram bastante trabalhados, principalmente na parte de redução de custos na área de alimentação, por exemplo. Hoje a gente tem um parceiro, que é uma empresa que bate ração para nós e temos um suporte de uma outra empresa que formula as rações. Nós compramos matéria prima do mercado, formulamos nossa ração com um suporte de técnicos e com isso a gente consegue reduzir bastante os custos do alimento, porém, mantendo qualidade e um bom valor nutricional. Com a troca de experiências e visitação dos produtores nas propriedades dos outros produtores do núcleo, conhecemos a realidade do outro companheiro. Nós tentamos fazer um trabalho para que todos os produtores do núcleo possam interagir, ver as dificuldades, e tentar buscar soluções bem práticas".

FarmPoint - Quais as dificuldades encontradas hoje pela entidade?

Alexandre - "A maior dificuldade hoje é trabalhar a conscientização da união dos produtores. Ainda nós sentimos que num momento de maior aperto, alguns produtores não tem o conhecimento do trabalho em conjunto bem claro na cabeça, e isso é o que fortalece. Uma outra coisa que estamos trabalhando é a padronização dos animais para serem vendidos para o mercado consumidor de qualidade. Então, o nosso maior desafio é trabalhar o associativismo, trabalhar custos e também ajudar a padronizar o que vamos oferecer para o mercado".


FarmPoint - Recentemente houve um decréscimo de carne ovina uruguaia exportada para o Brasil devido a abertura de novos mercados pelo Uruguai. Alguns profissionais do setor estão dizendo e alguns dados mostram que este é um grande momento para a ovinocultura brasileira. Qual é a sua opinião sobre isso?

Alexandre - "Independente da carne importada ou não, nós temos que fazer um trabalho bem forte na padronização da carcaça que nós podemos oferecer para o mercado. O mercado sempre vai acontecer, é um mercado forte e em expansão, a gente tem um mercado crescente sem fazer nenhum trabalho de marketing em cima disso. Independente do mercado uruguaio estar oferecendo para nós ou não, isso é um momento, e que ajuda bastante a melhorar o preço, porém o acredito que a gente tem que fazer um trabalho dentro de casa para fortalecer a cadeia e conseguir ofertar um produto de qualidade para o consumidor".

Figura 4 - Divulgação N.O.B.R.E.



Confira o vídeo da entrevista



Você participa ou conhece algum núcleo ou associação de ovinos e caprinos? Participe do Especial Associações entrando em contato pelo box abaixo:

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Carlito Nóbrega

Presidente Prudente - São Paulo - Produção de ovinos
postado em 25/08/2010

Só vocês do FarmPoint para reunir tantas informações de tantas associações. Parabéns! É bom saber que por trás dessa atividade há pessoas sérias e que realmente conhecem as falhas do setor.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade