Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Entrevistas

Especial associações: Eduardo Amato da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos Naturalmente Coloridos (ABCONC)

postado em 12/05/2010

10 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O entrevistado do Especial Associações desta semana é Eduardo Amato Bernhard, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos Naturalmente Coloridos (ABCONC). Na entrevista, Eduardo fala sobre a importância da união dos produtores, os planejamentos e projetos para 2010 e sobre os nichos de mercado dos produtos dos ovinos naturalmente coloridos. Confira também o vídeo da entrevista com Eduardo Amato Bernhard na 7ª FEINCO - Feira internacional de ovinos e caprinos.

Especial Associações

1 - Quais as vantagens e a importância da união dos produtores na comercialização de produtos e/ou animais e na compra de insumos?

A tradicional e popular expressão: "a união faz a força", não é por acaso. Unidos, os criadores aumentam seu poder de negociação e exercem maior pressão nos diferentes elos da cadeia. No nosso caso, que é uma atividade nova e muitas vezes não aceita por muitos criadores tradicionais, essa integração é fundamental para atingirmos nossos objetivos. O ovino naturalmente colorido, ou a tradicional ovelha preta, surge como uma nova oportunidade, um nicho de mercado, que pode agregar renda em pequenas, médias e grandes propriedades, seja através do pelego ou da lã, com a mesma qualidade e potencial de produção de carne das raças da qual se origina.

2 - Quais as dificuldades encontradas hoje pela associação?

Atualmente ainda existe uma grande desconfiança da maioria dos criadores quanto às vantagens de estar associado ou integrado numa associação ou cooperativa, que acabam por ficarem prejudicadas pela falta de força e de recursos para realização de suas atividades. Infelizmente a maioria das associações acaba entrando num círculo vicioso, onde existe desinteresse dos criadores e falta de motivação por parte das diretorias. Fora o fato de a grande maioria estar sempre pronta a fazer críticas, mas não dão qualquer tipo de auxílio quando são convidados. Em algumas situações, nos deparamos também com pessoas despreparadas a frente destes grupos, que acabam por prejudicar qualquer tipo de ação construtiva.

3 - O que vocês tem feito para fortalecer a atividade?

Diferente do que alguns acreditam, o ovino naturalmente colorido não é nenhum modismo ou uma excentricidade. A ideia surgiu inicialmente com as raças Karakul e Crioula, que produzem uma grande variedade de cores e que permitem criar belíssimas peças de artesanato ou peças industrializadas como carpetes, cortinas e outro utilitários. Porém, a lã destas raças, pela grossura e conforto, não podem ser utilizadas para roupas e peças mais delicadas.

Dessa forma, através da participação no VI Congresso Mundial de Ovinos Coloridos, na Nova Zelândia, em 2004, vimos o potencial já explorado de ovinos de diversas raças na sua "versão colorida", como Merino, Polwarth (Ideal), Romney Marsh, Lincoln, Border, entre tantas outras, em países como a Inglaterra, França, Estados Unidos, Canadá, África do Sul, Japão, Suécia, Finlândia, Austrália e Nova Zelândia e vislumbramos isto como uma alternativa de geração de renda e agregação de valor em peças artesanais e tecidos industriais, com apelo ecológico e sustentável, visto que são produtos livres de tingimento ou outros químicos.

Desta forma, a ABCONC vem trabalhando para demonstrar e incentivar, além de conscientizar os criadores e artesãos, sobre esta nova proposta, que vem ganhando mais e mais adeptos a cada dia. Estamos trabalhando para congregar os elos envolvidos na cadeia para potencializar e organizar esta atividade de forma que possa ser atraente e lucrativa para todos. Nós acreditamos que esse trabalho poderá alavancar o mercado da lã como um todo, fortalecendo e demonstrando as qualidades desse produto tão nobre.

4 - Quais os serviços que a associação oferece aos seus associados?

Em 2009 a ABCONC, em parceria com a ABC Ovinos Crioulos, ABC Border Leicester e outros, realizaram no Brasil , o VII Congresso Mundia de Ovinos Naturalmente Coloridos, de 04 a 09 de setembro, em Gramado/RS. Foi uma excelente oportunidade de trocarmos experiências com criadores de vários países e apresentar aos criadores brasileiros, as potencialidades desse nicho de mercado. A ABCONC ainda é responsável pela seleção dos rebanhos, para futuro registro. Infelizmente não temos conseguido atender a demanda adequadamente, visto que o trabalho é realizado de forma voluntária, por veterinários membros da associação, que possuem outros compromissos pessoais e profissionais. Também estamos participando há alguns anos de diversas feiras regionais e nacionais, com a exposição de animais e produtos, como EXPOINTER, FEINCO, FENOVINOS, FEOVELHA, FENOVELHA entre outros.

Além disso temos conseguido mostrar nosso trabalho através da mídia especializada, com matérias em diversas revistas, sites, TV etc. Para este ano estamos em conversações com diversas entidades e centros de pesquisa para a realização de projetos que demonstrem as qualidades e o mercado para esses animais e estamos planejando criar um Selo de Qualidade para os produtos dentro de padrões estabelecidos. Estamos avaliando também a importação de embriões e animais vivos de diversas raças, com o objetivo de garantir a abertura dos livros de registros. Atualmente já existem ovinos da raça Romney Marsh, de embriões importados da Nova Zelândia, que provavelmente abrirão o caminho para o registro das demais raças naturalmente coloridas.

Vídeo da entrevista com Eduardo Amato Bernhard na 7ª FEINCO



Destaques da entrevista realizada na 7ª FEINCO

"Os ovinos naturalmente coloridos nada mais são que as tradicionais ovelhas pretas, as ovelhas negras. Os animais são de vários tons, a maioria com tons de marrom, mas, seguem um leque de cores"

"Atualmente a ABCONC possui 70 criadores associados que estão selecionando os seus rebanhos naturalmente coloridos de várias raças, como Merino, Corriedale, Texel, Ideal, Romney Marsh, Ile de France, etc"

"Hoje a associação faz a seleção dos animais, porém, estes, ainda não são registrados e a ideia é que cada raça, cada tipo de animal, seja registrado dentro do seu padrão, cada um dentro do seu tipo animal. A associação já vem fazendo a 2 anos a seleção desses animais, então, os criadores nos chamam e a associação disponibiliza os seus técnicos, que vão até a propriedade, verificam o rebanho e analisam quais animais estão dentro do padrão que nós queremos em cada uma das raças"

"Estamos fazendo também um trabalho de divulgação dos ovinos naturalmente coloridos e levamos materiais em eventos. Na FEINCO por exemplo, estamos com um quantidade enorme de materiais de produtores que já estão produzindo para que possamos valorizar o produto"

"Os produtos de ovinos naturalmente coloridos têm um nicho de mercado. É importante que as pessoas saibam que nós não estamos inventando nada. Outros países como Estados Unidos, Canadá e Austrália, já possuem ovinos naturalmente coloridos registrados"

"Na Nova Zelândia, por exemplo, a lã de um ovino naturalmente colorido vale o dobro da lã branca. Isso ainda não é a nossa realidade, estamos indo na "carona" do pelego. O pelego preto hoje é um dos produtos mais valorizados, podendo custar 4 vezes mais que o valor de um animal vivo. Se você pensar que do animal, tirando o pelego, ainda sobra a carne, o retorno em cima do animal é muito maior"

"Queremos dar início aos registros já em 2010 e acredito que a 1ª raça a ser registrada junto a ARCO e ao Ministério seja a Romney Marsh, pois já possui embriões e animais nascidos no Brasil, acelerando esse processo"

"Estamos bastante focados no Rio Grande do Sul, queremos extrapolar essas fronteiras para termos mais associados"

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Henrico Dinapolli

Santa Maria - Rio Grande do Sul - Produção de ovinos
postado em 12/05/2010

A ABCONC tem uma ideologia muito bacana e o nicho de mercado que eles pretender atingir está crescendo e trazendo oportunidades para os criadores. Parabéns pelo trabalho.

Kelly Louveira

Bragança Paulista - São Paulo - Distribuição de alimentos (carnes, lácteos, café)
postado em 13/05/2010

Realmente muito interessante os ovinos naturalmente coloridos. Acredito que tenham um público alvo para a compra desses produtos.

Igor Vaz

Pelotas - Rio Grande do Sul - Produção de ovinos
postado em 13/05/2010

Parabéns Eduardo, tu és o espírito desta associação!

Um grande abraço ao amigo

Pedro Nobre

Belo Horizonte - Minas Gerais - Produção de ovinos de leite
postado em 14/05/2010

Prezado Eduardo Amato,

Já tenho conversado por diversas vezes com a Raquel do FarmPoint a respeito da grande necessidade de viabilizar financeiramente os pequenos rebanhos ovinos agregando valor a tudo o que possam produzir de matérias primas para a comercialização, incluindo a lã e também o leite ovino.

Assim, tive uma grata surpresa ao ver sua entrevista constatando que não estamos sozinhos nessa cruzada em favor da ovinocultura nacional.

Relativo a expansão das fronteiras, estamos em Minas Gerais a disposição da Associação para também fazer este trabalho por aqui.

Acredito que se junto com a inscrição de novo associado houver a transferência tecnológica do processamento da lã naturalmente colorida, em curto espaço de tempo terão se expandido para boa parte do território brasileiro.

Cordiais Saudações,

Pedrovis

EDUARDO AMATO BERNHARD

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Consultoria e Assessoria Veterinária
postado em 17/05/2010

Agradeco imensamente a todos os comentarios de apoio e incentivo. No momento estou nos Estados Unidos e tive a oportunidade de conhecer alguns rebanhos coloridos e visitar 2 feiras e pude observar que o ovino colorido está se difundindo cada vez mais por aqui. Isto me faz acreditar cada vez mais que estamos no caminho certo.

EDUARDO AMATO BERNHARD

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Consultoria e Assessoria Veterinária
postado em 17/05/2010

Igor,

Muito obrigado pelas palavras de incentivo, mas minha inspiração vem de algumas pessoas abnegadas e batalhadoras, sendo uma delas a minha grande amiga e sua mãe, Dra. Clara Vaz, que com muita obstinação conseguiu o registro da ovelha Crioula e hoje trabalha conosco para seguirmos no mesmo caminho com os ovinos coloridos.

Um forte abraco!

EDUARDO AMATO BERNHARD

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Consultoria e Assessoria Veterinária
postado em 17/05/2010

Pedro,

Como profissional veterinário, com 14 anos de experiência na ovinocultura, sempre foi minha preocupação que meu trabalho fosse considerado um investimento para o propriedade, e nunca somente mais uma despesa. Imagino que esta deve ser a conduta de qualquer profissional que atue na área, e não vejo outra maneira de fazer isso que não seja otimizar a produção, aumentando produtividade, e extraindo todas as vantagens que a espécie possa nos proporcionar. Tudo isto baseado na prevenção de doenças e em um manejo sustentável do rebanho.

Pessoas como nós, sentem-se compromissadas em fazer algo para que realmente a ovinocultura nao seja rentavel só no papel.

Um grande e forte abraço!

Angela Lucrecia Silva Gonçalves

Camaçari - Bahia - Produção de leite
postado em 18/05/2010

Amigo Eduardo,

É de grande importancia a observação feita sobre a produção de ovinos. Pois devemos pensar que esta produção esta sustentada sobre três pilastras ( sanidade, nutrição e reprodução) e que sem a equilibrio entre as três a mesma estará simplesmente comprometida. Sendo assim, reforço ainda mais a sua observação e devemos a cada dia concientizar ainda mais nossos colegas e apreciadores da produção que a prevenção de doenças é a melhor saida para que possamos ter uma produção de excelencia em rentabilidade.

Grande abraço

sergio saretto

Sobradinho - Distrito Federal - Produção de caprinos de corte
postado em 31/07/2012

Eduardo,

Tenho um rebanho de 25 matrizes coloridas e gostaria de participar da associação, já preenchi o formulário, mas obtive resposta, estou na região de Brasilia e pretendo comercializar os pelegos. Como faço para registrar meus animais e fazer parte da associação.

grato
Att
sergio

EDUARDO AMATO BERNHARD

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Consultoria e Assessoria Veterinária
postado em 31/07/2012

Olá Sérgio Saretto,

Estamos com problemas no recebimento dos formulários via site. Me mande o seu e-mail para amato@cpovo.net e eu encaminho o formulário para inscrição. Que raça você cria ?

Abraço,

Eduardo

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade