Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Entrevistas

Especial Marcas - VPJ Alimentos - "Projetamos um abate de 100.000 cordeiros para 2011"

postado em 11/02/2011

9 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Devido o sucesso do Especial Associações lançado em 2010, o FarmPoint está inaugurando este ano o Especial Marcas, projeto que visa divulgar aos leitores as marcas de carne ovina presentes hoje no mercado e o que elas vêm fazendo para fortalecer a atividade. Nesta terceira edição, entrevistamos Michell Araújo e Silva, zootecnista e responsável pela compra de animais da VPJ Alimentos.

Figura 1 - Michell Araújo e Silva.



FarmPoint - Qual é a história do VPJ e o principal objetivo?

Michell - "A VPJ Alimentos está há 7 anos no mercado de carnes especiais, tanto na carne Angus quanto na carne ovina. Partimos da ideia que o mercado interno necessitava de um fornecedor que garantisse constância e padrão. Solidificamos nosso principais clientes, aumentamos nossos produtores parceiros e projetamos um abate de 100.000 cordeiros para 2011".

FarmPoint - Onde os cordeiros comercializados pelo VPJ são abatidos? Como vocês fazem para manter a padronização?

Michell - "Todos os cordeiros são abatidos em frigoríficos com S.I.F perto de onde está o animal. Como os abates são realizados em todo o território nacional, a compra é efetuada, a VPJ certifica um frigorífico da região e então é concretizado o abate. A padronização é realizada desde a introdução de alta qualidade da genética Dorper que a VPJ possui, organização de estação de monta da propriedade para se ter cordeiros na hora em que o mercado quer, até idade final ao abate. Só se consegue isso com uma boa parceria com os produtores. Hoje só abatemos cordeiros com 4 meses de idade, acabamento com no mínimo de 4 mm de gordura, animais com cruza Dorper ou animais de raça carniceira e que obedeçam uma criação baseada em bem-estar animal".

FarmPoint - Onde e como os produtos da VPJ são comercializados?

Michell - "Os produtos VPJ são comercializados através de um call center e todas as vendas são feitas através do telefone (019) 3565 5700. Fazemos o pós venda e novos contratos através de gerentes comericais espalhados por toda região. Os produtos são encontrados principalmente nos principais restaurantes de São Paulo e nos restaurante de todo o Brasil. Também estamos em grandes redes como Pão de Açúcar e Wal Mart".

Figura 2 e 3 - Pernil de cordeiro com osso e picanha ovina.



FarmPoint - Você acredita que a criação de marcas fortes de carne ovina no Brasil pode contribuir para uma maior fidelização e credibilidade dos consumidores?

Michell - "Quanto mais se solificadar marcas de alta qualidade em carne ovina, melhor para as marcas que já possuem um histórico de qualidade e padrão. A VPJ acredita e incetiva toda e qualquer iniciativa em busca do crescimento do comércio da carne ovina. Precisamos de uma vez por todas, cravar no mercado que temos ótimas opções de carne ovina dentro do próprio país".

FarmPoint - Como está a demanda por carne ovina?

Michell - "A demanda está aumentando cada vez mais a cada ano. Pode-se observar sensivelmente o aumento do consumo deste tipo de carne. A procura deixou de ser apenas em épocas comerativas ou especias para estar presente no dia a dia".

Figura 4 - Hambúrguer de cordeiro VPJ.



FarmPoint - O que você espera do mercado ovino para os próximos anos?

Michell - "Temos certeza de um enorme crescimento. Projetamos um crescimento do número de animais abatidos de mais de 150% visando atender um mercado que já existe. Não se trata de projeção, e sim de realidade".

Veja as outras edições do Especial Marcas:

Especial Marcas - Cordeiro Real - "A marca é consequência da nossa obsessão por qualidade"

Especial Marcas - Cordeiro Herval Premium - "O mercado ovino está passando por uma fase maravilhosa"

Você conhece outras marcas de carne ovina? Participe entrando em contato pelo box abaixo ou através do email: contato@farmpoint.com.br

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Julio Erasmo Reich

Querência - Mato Grosso - Produtor de ovinos
postado em 14/02/2011

Ótima abordagem. Gostaria de saber qual é o estado que está mais prometendo em ovinocultura em 2011, por exemplo, maior oferta de animais.

Julio

KiLOViVO - Ovinocultura de precisão - (65)99784004

Tangará da Serra - Mato Grosso - Técnico
postado em 14/02/2011

Prezada Equipe do FarmPoint:

Me permitam externar uma opinião sobre este artigo.

É de extrema importância o Projeto Especial Marcas para o fomento da Ovinocultura de Corte Brasileira. No entanto, é preciso cuidado para não haver desvio dos objetivos.

"... , projeto que visa divulgar aos leitores as marcas de carne ovina presentes hoje no mercado e o que elas vêm fazendo para fortalecer a atividade."

Nessa matéria não é citado:

1- Onde a empresa está sediada. Será Pirassununga-SP?
2- Qual o modelo, numa visão genérica, da relação entre a empresa e os seus fornecedores de matéria-prima.
3- Que tipo de estabelecimentos produtores de carcaças estão envolvidos.
4- Qual a característica dos rebanhos envolvidos.
5- Qual o milagre que possibilita a existência de um rebanho de matrizes com o potencial produtivo capaz de abastecer com regularidade a demanda do universo de pontos de venda e consumo de carne ovina citados na entrevista e, ainda, atender o projeto de aumentar em 150% o número de animais abatidos.

Esses são exemplos de algumas contribuições que a empresa poderia ofertar para, de fato, poder dizer:

"Quanto mais se solificadar marcas de alta qualidade em carne ovina, melhor para as marcas que já possuem um histórico de qualidade e padrão. A VPJ acredita e incetiva toda e qualquer iniciativa em busca do crescimento do comércio da carne ovina. Precisamos de uma vez por todas, cravar no mercado que temos ótimas opções de carne ovina dentro do próprio país."

Temo que o Projeto Especial Marcas acabe por se transformar num espaço de divulgação e propaganda, apenas, das "marcas" que estão aparecendo por aí.

Um abraço.

Michell Araújo e Silva

Pirassununga - São Paulo - Produção de ovinos
postado em 18/02/2011

Sr. Julio Erasmo Reich,

Com certeza o RS possui um número de matrizes e passando a observar de perto o Estado de São Paulo, que está tecnificando e otimizando suas criações.

Michell Araújo e Silva

Pirassununga - São Paulo - Produção de ovinos
postado em 18/02/2011

Giorgi Kuyumtzief,

1- Está situada em Pirassununga/SP;

2 - Parceria, compromisso de compra e venda de maneira superior ao mercado existente;

3 - Estabelecimentos? Apenas produtores;

4 - Apenas compramos cordeiros 1/2 sangue Dorper, 6 meses de idade, cobertura de gordura, 35 a 45 kg de peso vivo;

5 - Tirando toda a ironia, estamos falando de uma empresa que já abateu mais de 40.000 cordeiros no ano passado sem nenhum incentivo ao produtor, trata-se de um mercado muito aquecido e já existente. Não estamos falando de projeção e sim de realidades. Precisamos sim otimizar e melhorar nossas técnicas de produção de carne de qualidade.

Marcos Vinicius Grein

Balsas - Maranhão - Consultoria/extensão rural
postado em 18/02/2011

Muito oportuna a questão levantada pelo Sr. Giorgi. O fundamental no processo é estabelecer vínculos comerciais com o produtor/fornecedor de maneira a garantir o atendimento desta suposta demanda com sustentabilidade econômica.

JOAO CARLOS LUFT

Rondonópolis - Mato Grosso - Produção de ovinos
postado em 21/02/2011

Gostaria muito de começar a criação de ovinos de corte mas a cada reportagem que vejo em vários sites agrícolas eu fico mais em dúvida, pois o meu pasto só tem brachiaria e uns falam que criam e não tem problemas, já outros falam que tem. Já não sei se vale a pena ou não criar ovinos, o que vocês acham disso?


Airton C Camargo

Ibiúna - São Paulo - Produção de leite
postado em 23/03/2013

Estou começando uma criação  de ovinos em Ibiuna sp  com pastos e instalaçoes prontas.

Minha idéia é texel e dorper  ou dorper  e pool dorset  e tenho muitas duvidas quanto a comercialização  poderia me ajudar?

Jaime de Oliveira Filho

Itapetininga - São Paulo - Ovinos/Caprinos
postado em 25/03/2013

Bom dia Airton
Em 1º lugar quero parabelizar por fazer algo que dificilmente alguém que entra na atividade faz, fazer instalações e pastagens antes dos animais.
Presto consultoria aqui na região em que resido e em um projeto que aqui participo, trabalhamos com ovelhas Sta Ines, devido ser uma matrizes mais fácil de se comprar em quantidade e custo melhor e temos a experiência com cruzamentos com White Dorper,Dorper e Pool Dorset,para produção de cordeiros e matrizes F1 de cada raça,afim de substituir as Matrizes Sta Ines após sua vida útil.
Porque esse cruzamento? Devido trabalharmos com animais não estacionais, animais que se bem nutridos podem apresentar 3 parições em 2 anos ,aumentando assim o numero de cordeiros para o mercado tão carente dessa materia prima enquanto se pode também agregar valor nas borregas F1 resultados das várias cruzas.
Em especial gosto do cruzamento com Pool Dorset por ser animais que vem de genética da Austrália e N.Zelandia onde se tem F1 com fortes caracteristicas da parte paterna passando assim todo potencial materno desta raça  para as futuras matrizes
,o resultado deste gera animais de boa carcaça e pouca gordura,e tendo já por pesquisa uma carne com mais mármoreio e sabor, onde nestes países ditos logo atraz tem até 80 % dos animais de abate esta raça.
Outra raça que apreciei muito dos cruzamentos foi o White Dorper ou Dorper,dando mais enfase ao White, por produzir cordeiros com bom desenvolvimento e borregas de boa conformação e caracteristicas de boa mãe.
Isso aconselho até que tenha o numero de matrizes que cabe em seu projeto e depois sim ,manter um percentual de cruzamentos para reprodução de matrizes e poderá fazer nas demais F1 futuras matrizes cruzamentos de ambos cruzamentos citados atraz com o Texel que é uma excelente raça, mas tem uma estacionalidade muito forte, podendo ser cobertas as matrizes por 2 a 3 meses no ano , daí o fruto deste tricrós será todas para abate tendo uma Heteróse bem avantajada.
Se precisar de orientações técnicas posso prestar serviços,porque faço o que gosto e tenho formação e tempo de criador para te assistir e também fazer treinamento de MO(mão de obra),algo como um grande gargalo para ovinocultura de SP.
Estou a disposição email:casoconsultoria@yahoo.com.br
  

Jaime de Oliveira Filho

Itapetininga - São Paulo - Ovinos/Caprinos
postado em 26/03/2013

Bom dia João Carlos Luft
Realmente voce corre alguns riscos,mas da para criar muito bem ovelha na braquiária,o cuidado que voce vai ficar atento é que os cordeiros não tenham ascesso a ela e terá que ter sombra na área de pasto.
Se voce conduzi-la sempre a uma altura de 35 a 45 cm de altura, porque para que não forme estruturas de acumulo de matéria morta dela e crie fungos, o qual pederá dar fotosensibilização em algumas ovelhas,por isso a altura do pasto, para que os raios solares possa atingir o solo e matar os fungos.
Outra coisa é que o conceito de que braquiaria  requer baixa fertilidade do solo é que voce terá um capim com poucos nutrientes ( cor amarelada) e sua capacidade de lotação por área será reduzida,deve fazer rotacionada se possível para melhor aproveitamento e maior capacidade de lotação e ajuda um pouco contra a verminóse.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade