Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Entrevistas

Rafael Camargo do Amaral e Patrick Schmidt, dão dicas para o sucesso da produção animal com o uso de cana-de-açúcar

postado em 06/05/2010

5 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Rafael Camargo do Amaral é zootecnista e atualmente doutorando em Ciência Animal e Pastagens pela Esalq/USP, onde desenvolve pesquisas na área de conservação de forragens e nutrição de ruminantes.

Patrick Schmidt é zootecnista, D.Sc., professor da Universidade Federal do Paraná, e consultor ad hoc da Revista Brasileira de Milho e Sorgo, Revista Acta Scientiarum, Animal Sciences e Revista Brasileira de Zootecnia. Sua experiência é em forragicultura e pastagens, atuando nos seguintes temas: silagem, cana-de-açucar, aditivos, braquiária e pastagens. Recebeu Prêmio Octavio Domingues, da Sociedade Brasileira de Zootecnia pela melhor tese de doutorado defendida no Brasil no ano de 2006.

Os dois profissionais são instrutores de Cursos Online da AgriPoint, e destacam na entrevista os principais pontos sobre a utilização de cana-de-açúcar para alimentação de ruminantes. Confira abaixo!

AgriPoint: O que você considera mais importante na utilização de cana-de-açúcar para alimentação animal?

A cana-de-açúcar é um excelente volumoso, fonte de fibra e energia. Apesar dos teores baixos de proteína e minerais, a alta energia é bastante favorável, desde que bem corrigidos os outros nutrientes.

Outro ponto importante a se considerar é o baixo custo por tonelada de matéria seca, sendo a cana considerada a forrageira suplementar mais barata dentre todas as opções disponíveis

AgriPoint: Quais são os principais erros cometidos nas fazendas que utilizam a cana para alimentação animal?

Os erros se acumulam, desde a produção da cana até o fornecimento no cocho. O produtor deve se preocupar com a produtividade, o momento ideal do corte da cana, o tamanho das partículas, a quantidade oferecida e o balanceamento das rações. Observando-se esses fatores, os erros serão mínimos.

AgriPoint: Qual a importância do balanceamento de rações com cana? Quais principais pontos que se deve ter conhecimento para realizar um balanceamento correto?

A cana é rica em energia, proveniente do açúcar, e pobre em proteínas. Isso impede que essa energia seja bem aproveitada, se não houver um bom balanceamento das rações. A suplementação com fontes de proteínas (ureia, farelos de soja, algodão, etc.) traz um grande benefício, desde que as quantidades sejam compatíveis com o teor de energia da cana. Além disso, a fibra da cana é um fator agravante que deve ser considerado.

AgriPoint: Qual a função dos aditivos para cana-de-açúcar in natura e ensilada? E sua viabilidade econômica?

Para cana in natura, os aditivos estudados recentemente buscam principalmente a hidrólise da fibra, como a cal virgem. Porém, os resultados disponíveis ainda são bastante confusos. Por outro lado, na silagem da cana o uso de aditivos é extremamente recomendável. É necessário bloquear a fermentação alcoólica durante a ensilagem, e caso não haja uso de aditivos, as perdas podem ser muito altas, reduzindo a qualidade da silagem e elevando o custo de produção.

AgriPoint: Como tornar eficiente o sistema de produção animal aliado a produção de cana-de-açúcar?

A cana-de-açúcar é um volumoso de baixo custo e de valor nutritivo razoável. Um sistema de produção animal eficiente deve aliar técnicas de manejo agronômico do canavial, para maximizar a produtividade, e tecnologia adequada no fornecimento da cana aos animais, realizando os ajustes físicos e nutricionais necessários. Cuidando-se desses dois pilares, o sucesso no uso da cana estará garantido.

AgriPoint: O que o produtor, ou técnico, poderá aprender de mais importante neste curso?

O intuito neste curso é unir diversos profissionais que atuam junto a produção animal, focando em suas especialidades, e trazendo o que há de mais moderno no uso da cana para alimentação animal. O objetivo principal é que o aluno aprenda a manejar o canavial, e conheça os pontos importantes relacionados à colheita da cana, avaliação da qualidade, ensilagem, e nos dois últimos módulos conheça assuntos relacionados com a nutrição dos ruminantes (bovinos, ovinos e caprinos) e formulação de diferentes dietas usando cana.

Começa no dia 18 de maio, o Curso Online Cana-de-Açúcar para alimentação animal: produção, balanceamento de rações e desempenho. Nos 5 módulos deste curso você conhecerá a composição nutricional da cana-de-açúcar; identificará a melhor variedade de plantio e o ideal manejo do canavial; saberá calcular o custo-benefício da utilização de aditivos para silagem ou cana in natura; e aprenderá como balancear dietas para bovinos de leite, carne, ovinos e caprinos.

Clique aqui para ver a programação completa e faça sua inscrição!

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Renee Luis Nascimento Granato

Ijuí - Rio Grande do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 07/05/2010

Fala Schimidt, espero que o curso seja excelente.
Abraços do amigo e Zootecnista, Renne Granato.

EVANDRO

Teresópolis - Rio de Janeiro - Produção de leite
postado em 11/05/2010

olá, qual o melhor aditivo para silagem de cana? A uréia que se usa é a mesma que se põe em plantas com 46% de nitrogênio?
O que falta de minerais e proteinas pode ser complementado pura e simplesmente com sal com complemento de micronutrientes e capim (braquiária)?

Rafael Camargo do Amaral

Piracicaba - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 13/05/2010

Prezado EVANDRO,

Não existe melhor aditivo, mais sim aquele que se adeque as suas características locais. No nosso curso abordaremos todos os aditivos que são viáveis para ser utilizado na ensilagem da cana-de-açúcar.

A uréia que é utilizada pode ser a mesma da agricultura.

Geralmente não. A formulação de uma dieta vai depender de vários fatores.

Atenciosamente.

Rafael Amaral

sid assis castro

Oliveira - Minas Gerais - Instituição pública
postado em 17/07/2011

posso misturar cal sulfato de amônia e ureia e fazer a hidrolise da cana de uma unica vez e armazenar por 3 dias?

Rafael Camargo do Amaral

Piracicaba - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 18/07/2011

Prezado Sid,



Primeiramente não sou a favor de se adicionar cal virgem para tratamento em montes. Trabalhos demostram que o efeito de hidrólise não é efetivo, ocorrendo a hidrólise em porção muito pequena da planta. Porém, no campo já me deparei com respostas positivas de alguns produtores que dizem que o manejo da propriedade e a incidência de abelhas na cana picada acaba.



Caso misture juntamente com a cal, a mistura de uréia   sulfato de amônio acredito que parte da uréia será perdida, pois em contato com a umidade ela se transformará e poderá ser volatilizada.



Atenciosamente



Rafael Amaral

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade