Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Espaço Aberto

O leite de cabra - Capítulo 2

Por Neyd M M Montingelli
postado em 15/08/2007

16 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Quando iniciei as minhas pesquisas com o leite de cabra com a ajuda de meus clientes, constatei diversas qualidades que eu gostaria muito de ver a comprovação científica. Sempre se ouviu falar que o leite de cabra é "mais forte" que os outros leites. Procurei então o que o tornava tão "forte".

Todos os tipos de leite têm quase a mesma quantidade de componentes, a variação de % de um ou outro item, chegando a valores perto de 0,1. Para quem não conhece, estes valores são pequenos e sem importância. Mas, para uma pessoa que tem, por exemplo, deficiência em cálcio, potássio ou fósforo faz uma enorme diferença a ingestão de alimento com maior concentração e possibilidade de absorção destes minerais.
No capítulo 1 (clique aqui para ler) coloquei dados coletados de consumidores de leite de cabra com idade inferior a 7 anos. Agora vou expor uns dados de clientes adultos e de crianças maiores, que consumiam não só o leite de cabra, como também os queijos, iogurtes e outros derivados:

O cliente da ficha 53 era um rapaz de 30 anos, extremamente magro, que fumava muito. Por indicação da médica que estava fazendo o acompanhamento do seu tratamento para alcoolismo, ele começou a tomar o leite de cabra, como forma de auxiliar na absorção dos nutrientes da alimentação. Ele mesmo explicava o seu problema para qualquer pessoa que encontrava quando vinha comprar o leite.

Fazia questão de enaltecer as qualidades do leite, pois somente depois de iniciar o consumo é que ele não perdeu mais peso, sem os incômodos vômitos devido aos remédios. Alguns meses depois, começou a engordar e já não sentia os enjôos e já estava até pensando em fazer um outro tratamento para deixar de fumar.

A ficha n° 18 era de um senhor com mais de 60 anos, taxista, que trabalhava muito e tinha grandes problemas gastrointestinais. Sofria de azia, má digestão, dor abdominal constante, por alimentar-se incorretamente, comendo muitas gorduras, carnes e salgados fritos de bar. O leite de cabra foi indicado por vizinhas mais velhas. Depois de alguns meses de uso do leite, veio pessoalmente falar comigo e dizer que se não fosse este tratamento "caprino", ele teria se aposentado.

Na ficha n° 22 encontramos um rapaz de 30 anos que sempre teve alergia ao leite de vaca, e nunca podia comer queijos ou tomar um copo de leite. Ele gostava demais de queijos e era impossível comer até mesmo uma lasanha ou pizza. O leite ele deixou de tomar para sempre e quando começou a consumir os queijos de cabra e não sentiu nenhum desconforto digestivo, ficou muito contente. A esposa encomendava os queijos e vinha buscar a cada 15 dias. Eu fazia especialmente para ele, queijos "parecidos" com os que tinham no supermercado e que poderiam ser usados em lasanhas e pizzas: prato (colocava até corante de urucum para deixar mais amarelo), mussarela, reino e frescal.

Um rapaz de 16 anos, da ficha n° 19, foi o meu cliente mais antigo, assíduo e que até hoje toma leite de cabra. A mãe dele comprava 4 litros por semana, porque "o menino tinha que tomar o leite pela manhã e pela noite" dizia ela, "senão que adulto ia se tornar?" Eu gostava muito de ouvir ela falar isso. Agora muitos anos depois, quando nos encontramos, ela diz que graças ao leite, o "menino" dela cresceu, pode estudar e trabalhar sem incômodos dos transtornos digestivos, e até hoje ele consome o leite regularmente, pela manhã e pela noite. Um detalhe, o "menino" tem hoje 1,95m de altura.

Um caso bem interessante é o da ficha 29. Uma família com pai, mãe e 2 filhos com 8 e 10 anos, o cliente vinha comprar o leite todo ano, do mês de maio a julho. Ele dizia que a família tomava o leite nessa época para evitar que no inverno a bronquite que todos tinham ficasse pior, acompanhada de resfriados e gripes. Era um preventivo. Tomavam o leite como remédio, em copinhos de 50ml 3 vezes ao dia, todos.

Tenho historias de muitos outros clientes com problemas pequenos, graves, ou sem problema nenhum, que simplesmente gostavam muito do sabor do leite, dos iogurtes, do doce de leite, dos diversos queijos e até dos remedinhos caseiros, aqueles de nossas avós, que eu dava a receita.

Estes casos são de pessoas que consumiam o leite para um fim específico, como problemas digestivos, respiratórios, dermatológicos, pós-operatório e convalescença. Quando a venda do meu leite passou a ser feita por panificadoras e mercados, eu vi que toda esta historia foi se perdendo. Eu não tinha mais acesso aos clientes e não tive mais conhecimento de quem estava consumindo e para que fim e do sucesso do uso como tratamento, prevenção ou mesmo como alimento. Saiu do meu controle e acredito que perdi dados importantíssimos para a divulgação do leite de cabra e de seus usos.

Sem os dados reais de uso, passei a pesquisar o que já existia de estudo sobre o leite, carne, queijos e outros derivados:

Revendo as pesquisas com o leite de cabra

Muitas pesquisas foram feitas com base nas qualidades do leite de cabra, para comprovar as propriedades e buscar explicações para o uso como remédio:

• Combater a pressão arterial alta: A Embrapa caprinos de Sobral/CE em 2002, através do professor Antonio Silvio do Egito, estava pesquisando a possibilidade da fabricação de um medicamento para combater a hipertensão, utilizando uma proteína do leite de cabra, a caseína. A partir de partes da caseína, haveria a possibilidade de inativar uma enzima que induz os vasos a se contraírem, aumentando, assim, a pressão sanguínea. "Ainda não temos um anti-hipertensivo", ressalta o professor Egito. "O que temos é a possibilidade de esses peptídeos serem utilizados como anti-hipertensivos, mas para isso serão necessários vários anos de estudos." (Instituto Ciência Hoje)
• Estimular a produção de insulina: a insulina é o hormônio responsável pela entrada de açúcar dentro da célula, e para a produção de energia. Com a ingestão do leite de cabra, este processo é potencializado graças a presença de substâncias bio-ativas que estimulam a produção da insulina, além disso, o efeito de rápida digestão, facilita a absorção de seus nutrientes.
• Síndrome da má absorção dos alimentos: os ácidos caprílico, capróico e cáprico são encontrados na gordura do leite de cabra, duas vezes mais que no leite de vaca e são indicados para pessoas com problemas na absorção dos nutrientes dos alimentos e nos distúrbios intestinais.
• Elevados teores de vitamina A: não existe no leite de cabra o pigmento B-caroteno, a cor amarela do leite de cabra, mas a Vitamina A aparece com 1850 UI a 2264 UI de retinol, que ajudam a manter esta vitamina no organismo evitando a ocorrência de doenças degenerativas da visão, reprodução, pele e perda de funções orgânicas.
• Rápida absorção: As partículas de gordura do leite de cabra são de tamanho reduzido em relação ao leite de vaca. Com isso, o leite é rapidamente absorvido, em cerca de 40 minutos, enquanto o leite de vaca demora, em média, de 2 horas, deixando menos resíduos no intestino, evitando assim fermentação, formação de gases, má digestão, constipação, etc. Também possui capacidade tamponante. Para quem precisa de uma rápida reposição e aquisição de nutrientes, o leite de cabra é uma ótima alternativa, o leite de cabra é alcalino, como o leite materno. (A criação da Cabra & da Ovelha no Brasil, p72 e 73)
• Alergia ou intolerância ao leite de vaca: este distúrbio ocorre pela deficiência na absorção da proteína que é feita no intestino. Quando é fornecido o leite de vaca ao bebê muito cedo, o intestino não está preparado para esta absorção e causa inúmeras reações de pele, gastrointestinal, respiratória e cardiovascular. Neste caso, o pediatra constata o distúrbio alimentar logo e recomenda a substituição do leite de vaca por leite de soja, ou por outro leite modificado e só em último caso pelo leite de cabra.

Os principais sinais e sintomas da alergia ao leite de vaca são:
• Pele: urticária, rubor, dermatite atópica.
• Gastrointestinal: prurido ou edema de lábios, náusea, dor abdominal, vômitos e refluxo, diarréia, obstipação intestinal, hemorragia.
• Respiratórios: prurido nasal, espirros, edema laríngeo, tosse rouca ou disfonia, chiado, tosse crônica.
• Cardiovascular: hipotensão, choque, desmaio, vertigens.

Na prática clínica dos pediatras observou-se que aproximadamente 6% das crianças tem sintomas de alergia ao leite vaca. O pediatra destaca que diarréias, otites, bronquites, erupções cutâneas e corrimento nasal ocorrem pela presença em grande quantidade das proteínas Alfa S1 - caseína e Beta lacto-globulina. O leite de cabra apresenta apenas traços da primeira e não contém a segunda, tornando-se uma das principais opções para as crianças com essa sintomatologia.

Problemas digestivos: isto devido a sua composição, diminui a acidez e contribui para a cicatrização das paredes do estômago nos casos de úlcera, gastrite e desconforto. Como o leite de cabra é mais conhecido como remédio, vamos divulgar estas pesquisas e outras que existem, para que ele seja cada vez utilizado. Talvez, depois que estas particularidades do leite forem bem conhecidas, poderemos divulgar o outro lado do leite: como alimento saboroso, matéria prima de iogurtes, queijos, doces, todos finos, delicados, e que qualquer indústria brasileira pode fabricar e colocar no mercado, com aceitação garantida.

Saiba mais sobre o autor desse conteúdo

Neyd M M Montingelli    Curitiba - Paraná

Pesquisa/ensino

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Ana Gabriela Pombo Celles Cordeiro

Campina Grande - Paraiba - Estudante
postado em 16/08/2007

Adorei a matéria e acredito na divulgação do leite de cabra por suas qualidades.

Resposta da autora:
Cara Ana,
Agradeço a msg. Com a ajuda de todos da nossa área, vamos conseguir fazer do leite de cabra mais que um remédio, um alimento aceito e consumido por grande parte dos brasileiros.
Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

Paulo José Theophilo Gertner

Lauro de Freitas - Bahia - Médico Veterinário
postado em 16/08/2007

Cara Neyd, seu trabalho é fantástico, e é muito bom dispormos de um canal como o Farmpoint para divulgá-lo. É muito bom ver a movimentação que está fazendo, pela participação e comentários tanto na parte 1 como nesta parte 2.

Eu pessoalmente salvei as duas partes e encaminhei para vários nutricionistas e coordenadores de cursos de nutrição que conheço. Sem duvida é unânime a percepção da necessidade de divulgarmos mais nossos produtos, mas como não temos muitos canais como este e o alcance é limitado, temos todos com espírito missionário fazermos essa catequese.

Sou desde já fã e divulgador do seu trabalho. Um a um, vamos somando forças e construindo uma grande rede de relacionamento entorno do caprino-ovinocultura.
Parabéns e "inté mais..."

Resposta da autora:
Prezado Paulo,
Agradeço a msg. Este é o meu trabalho agora e sempre: divulgar as qualidades e usos do nosso leite de cabra.
Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

larissa magna souza seabra

Natal - Rio Grande do Norte - Estudante
postado em 17/08/2007

Oi Neyd, sou estudante de zootecnia e gostei muito da sua linha de pesquisa. Também estou fazendo uma pesquisa aqui em Natal, onde moro, para avaliar o consumo das pessoas e a disponibilidade dos produtos. Caso tenha outros materias que possa compartilhar vou adorar ler. Obrigada!

Resposta da autora:
Oi Larissa,
Gostei de saber que você também esta fazendo este tipo de trabalho. Vamos compartilhar o que temos, assim teremos mais dados a respeito do consumo e vamos divulgar.
Qualquer dúvida, estou à disposição.
Att,
Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

cleudes da costa brandão

Cuiabá - Mato Grosso - Produção de caprinos de leite
postado em 25/08/2007

Adorei a materia, vai me ajudar muito no meu trabalho.
Sou criador de cabras em Cuiabá - MT hoje eu ja produzo alem do leite pasteurizado, queijos frescal (branco e com condimentos:azeitona e oregano ; azeitona, oregano, pimenta calabreza e alho desidratado), sabonetes, shampoo e creme hidratante.

Resposta da autora:
Prezado Cleudes,
Gostei de saber disso. Espero que goste dos capítulos que virão, pois estou reunindo os dados que tenho sobre os queijos e cosméticos. Vamos compartilhar nossas experiências.

São muitas as áreas na caprinocultura que o criador pode seguir, montar seu negócio, ter lucro e satisfação. É nosso trabalho divulgar estas áreas para que todos tenham cada vez mais oportunidades.

Visite regularmente o site, sempre tem novidades.
Neyd Maria Makiolka Montingelli
Curitiba/Pr

Rodrigo Carlos Wansovicz

Mafra - Santa Catarina - Produção de caprinos de corte
postado em 28/08/2007

Oi Neyd, muito legal suas pesquisas, sem dúvida o leite de nossas meninas tem qualidades nutritivas e terapêuticas, uma pena carecermos de pesquisas científicas que venham a comprovar o que já é de conhecimento da sabedoria popular.
Fico ansioso por novos artigos seus aqui no Farmpoint.
Grande Abraço.
Rodrigo

Resposta da autora:
Rodrigo,
É sempre um prazer escrever sobre o leite de cabra e suas qualidades. É bom saber que os visitantes do site apreciam estes trabalhos e eu espero que divulguem as qualidades e os usos do nosso gostoso e nutritivo leite de cabra.
Neyd Maria Makiolka Montingelli

Roger Wagner A. de Souza Filho

Petrolina - Pernambuco - Produção de caprinos de corte
postado em 12/04/2010

Muito boa a reportagem. Estou estudando os benefícios do leite de cabra orgânico.

Chirleiy Batista

Monte Carmelo - Minas Gerais - OUTRA
postado em 13/12/2011

Oi, Neyde.
Hoje descobri qu meu filho de 01 ano e 06 meses, tem alergia ao leite de vaca e desta forma o medico solicitou que a troca fosse feita por leite de soja ou de cabra, porem o leite de soja acho que ele não vai aceitar.
Lendo a sua materia vi que o leite da cabra e otimo para substituir o da vaca, mas em cima vc relata que este é o ultimo que o medico receita.
Sabe me informar se devo trocar pelo de cabra? Ele não ira continuar com a alergia, os leites são diferentes?
Desde ja agradeço e aguardo a sua orientação.

Abraços, Chirleiy

Neyd M M Montingelli

Curitiba - Paraná - Pesquisa/ensino
postado em 13/12/2011

Prezada Chirleiy Batista,
Os leites são diferentes sim,  no sabor e na composição, pois vem de fontes completamente diferentes: uma é vegetal e a outra é animal. O fornecimento de nutrientes é balanceado, mas não é o mesmo.
Primeiramente você precisa saber se o que seu filho tem é ALERGIA ou INTOLERÂNCIA ao leite de vaca.
O pediatra indica primeiro o leite de soja por ser mais barato e mais fácil de ser encontrado e não por ser melhor. Isto porque se  indicar o leite de cabra, é bem provável que a mãe irá ligar para ele perguntando ONDE comprar ou reclamando que não encontra mais esta ou aquela marca.
O leite de cabra é facilmente encontrado em supermercados em pó e em caixinhas UHT, ou em pequenos mercados em saquinhos congelados.
Quanto mais novas, mais rapidamente as crianças adaptam-se ao leite. Comece com um pouco misturado com água, na mesma forma que ele está acostumado a tomar (mamadeira, copo,  mingau). Se ele gostar e não sentir diferença, aumente a  quantidade de leite até que em dois dias fique com o leite puro. Se ele sentir muita diferença no gosto, use a criatividade e coloque gotinhas de baunilha, noz moscada, açúcar mascavo.
Estou à disposição para qualquer dúvida.
Neyd Montingelli
Curitiba/Pr

Chirleiy Batista

Monte Carmelo - Minas Gerais - OUTRA
postado em 13/12/2011

Boa tarde, Neyde.

Muito obrigada pelas informações.
Hoje encontrei um fornecedor de Leite de cabra, que entrega na porta de casa, e fiz uma mamadeira normal para meu bebe com o leite, e acredita, nem notou, tomou a mesma todinha .
Queria que me informasse o seguinte, o leite ( cabra ) de caixinha UHT, é puro não contem conservantes como os de vaca?
E se congelado ele perde algum de seus nutrientes?
Abraços.

Neyd M M Montingelli

Curitiba - Paraná - Pesquisa/ensino
postado em 13/12/2011

Prezada Chirleiy Batista,
Que bom que achou um fornecedor. Certifique-se da procedência do leite e se é pasteurizado. Se na embalagem tem SIF ou SIM (qualquer Certificação Municipal) tudo bem. Não deixe ferver o leite por muito tempo, pois perde propriedades quando é de saquinho. Se for UHT não pode ferver.
O leite UHT não contém conservantes pois o processo consiste em elevar o leite a altas temperaturas para acabar com os microrganismos e colocá-lo nestas caixas especialmente desenvolvidas para conservar pelo prazo do fabricante. É claro que com as altas temperaturas perdem-se alguns componentes que são depois devolvidos ao leite.
O leite de cabra é uma maravilha, mesmo congelado não perde nada de suas propriedades. Pode ficar com a textura um pouco diferente depois de 20 dias de freezer, mas é só aquecer e agitar que volta ao normal.
Minha filha mais nova teve intolerância ao leite de vaca até os 7 anos e eu sempre usei leite de caixinha, depois que não tive mais o meu fornecedor de leite fluído, que era o Pediatra dela, olha só.
Continuo à disposição.
Neyd Montingelli
Curitiba/Pr

jonas willian

Curitiba - Paraná - Produção de ovinos de leite
postado em 13/08/2013

ola neyd
espero q vc possa me ajudar
quero comprar caprinos para produção d leite
c vc poder me indicar algun criador aqui de curitiba eu  agradeço muito muito,,,
ah e adorei o post a cima!!

Neyd M M Montingelli

Curitiba - Paraná - Pesquisa/ensino
postado em 22/08/2013

Oi Jonas Willian,
Curitiba já teve grandes criadores de cabras! Tínhamos uma Associação atuante com membros integrados e preocupados com os animais e o mercado.
Os tempos mudaram ou mudamos nós. A necessidade do leite de cabra para as crianças com intolerância existe. A necessidade de um alimento nutritivo como os derivados também. Um pequeno produtor precisa de um produto para sua subsistência e aumento de renda que seja de fácil manejo, como é o leite de cabra. Um médio produtor poderia montar uma queijaria em sua propriedade e trazer benefícios para o município. Acho que está faltando gente com fôlego novo para fazer voltar à vida a Caprinocultura no Paraná e trazer aquele espírito de quando comecei a criar cabras em 1994. Entre em contato com a Associação de Caprinos de São Paulo 011-3672-8980, para conseguir criadores de cabras leiteiras. No interior do Paraná temos alguns criadores de cabras Boer.
Neyd Montingelli
Curitiba

lucimar

Cuiabá - Mato Grosso - OUTRA
postado em 14/01/2015

Quero  comprar leite puro de cabra!! Como faço?? sou de cuiabá..onde consigo?

Zania de Fatima A. Sousa

Cuiabá - Mato Grosso - Pesquisa/Ensino
postado em 16/07/2015

Eu também gostaria de saber, onde encontrar para comprar, o leite de cabra aqui em Cuiabá. Minha cunhada necessita urgentemente desse leite.

Zania de Fatima A. Sousa

Cuiabá - Mato Grosso - Pesquisa/Ensino
postado em 16/07/2015

Eu também gostaria de saber, onde encontrar para comprar, aqui em Cuiabá o  leite de cabra. Minha cunhada precisa urgentemente desse rico alimento.

Neyd M M Montingelli

Curitiba - Paraná - Pesquisa/ensino
postado em 16/07/2015

Prezada Lucimar e Zania,
Os supermercados oferecem o leite de cabra UHT (caixinha) na sessão de leites especiais e o leite de cabra em pó na sessão de leite e café.
Caso não encontre, ligue para Suprilev Comércio e Distribuição
(65) 3028-2939 - Avenida 8 de Abril 1650 A ou então entre em contato com a Associação dos Criadores de Caprinos do Mato Grosso do Sul.
Boa sorte.
Neyd Montingelli
Curitiba/Pr

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade