Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Você está em: Cadeia Produtiva > Especiais

Sistemas de acasalamento. Confira a opinião dos produtores

postado em 10/09/2010

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A eficiência produtiva de um rebanho ovino ou caprino está diretamente relacionada ao número de cordeiros/cabritos desmamados por fêmea/ano. Para a obtenção de altas produções com eficiência econômica é necessário o produtor investir em genética associada a tecnologias modernas, sanidade, nutrição e práticas de manejo reprodutivo.

Diversos sistemas de acasalamento podem ser empregados e na escolha daquele que melhor convém, devem ser analisados o número de fêmeas no rebanho e os objetivos da criação. O método a ser empregado deve reunir vantagens como simplicidade, concentração das atividades em um curto espaço de tempo, dar bons resultados econômicos e permitir o aproveitamento máximo do reprodutor.

Na semana passada, o FarmPoint realizou uma nova enquete com o objetivo de conhecer qual é o sistema de acasalamento mais utilizado hoje pelos produtores de ovinos e ou caprinos. A enquete teve a participação de 13 estados brasileiros (RS, BA, SP, MA, SC, MS, CE, PB, MG, PE, ES, SE e PA).

A maioria dos produtores (58,82%) de ovinos e/ou caprinos que participaram da enquete responderam que utilizam monta controlada. Em seguida, o sistema de acasalamento mais comentado foi a monta natural (26,47%) e por último e menos citado, o método de inseminação artificial (14,71%). Muitos produtores disseram não fazer inseminação artificial devido a ausência de mão de obra capacitada para realizar tal procedimento.



Destaques e comentários dos leitores

Monta controlada

Henrico Dinapolli, produtor de ovinos de Santa Maria/RS, comentou que utiliza monta controlada pois é um sistema prático e mais confiável do que a monta natural. "Já tentei experimentar a inseminação artificial, mas, é tudo muito minucioso e por isso acabei desistindo". Na mesma linha, Luiz Carlos Nunes dos Santos, produtor de ovinos de Salvador/BA, tem obtido êxito com este método. "Na minha fazenda uso rufião para marcar as ovelhas que serão colocadas a noite com o reprodutor. Pretendo usar inseminação artificial, não o fiz ainda por causa das dificuldades com profissionais especializados". Enéas José Coelho, produtor de caprinos de leite de Santo André/SP, também destacou a ausência de profissionais especializados. "Uso apenas monta controlada devido a enorme dificuldade de encontrar profissionais gabaritados para fazer inseminação artificial e pela dificuldade de achar quem venda sêmen de procedência. Seria ótimo se esse trabalho fosse resolvido".

Adriano Antonio Lisot, produtor de ovinos de Rio das Antas/SC, citou que na sua agropecuária utiliza monta controlada. "Na minha opinião, esse sistema de acasalamento é melhor que a inseminação artificial, pelo menor custo. Sempre obtemos bons resultados". De acordo com Maurício Prestes Bragagnollo, da Fazenda Santa Anna em André da Rocha/RS, a monta controlada é uma técnica de baixo custo, simples e acima de tudo muito eficiente. "Usamos também a monta dirigida com auxílio de hormônios durante a estação de monta de nossas matrizes".

Ronald Peach, produtor de ovinos de São Paulo/SP, citou que o melhor resultado que obteve foi com monta controlada. "Os resultados com IA transcervical são baixíssimos, além do sêmen ser muito mais caro. A transferência de embriões apresenta um problema similar e só se justifica para quem consegue vender os animais a preços muito acima da média do mercado".

Monta natural

Jonas Rodrigues, produtor de ovinos de Dourados/MS utiliza monta natural. "Sempre obtive sucesso com esse sistema apesar de saber que existem novas tecnologias acessíveis ao produtor. Como tenho uma boa taxa de prenhez e pouca mão de obra na minha propriedade, preferi manter esse sistema até hoje".

De acordo com José Guilherme Ferreira dos Santos, produtor de ovinos de Vila Velha/ES, o uso da monta natural é decorrente da deficiência de mão de obra. "Estou conseguindo uma boa taxa de parição, com 1,5 filhotes por fêmea".

Denis Sabin, produtor de ovinos de Pinhão/SE, utiliza monta natural e diz que obtêm bons resultados com esse sistema. "Pretendo experimentar em breve a monta controlada para ver se há melhoras. Para inseminação artificial, ainda falta profissionais na região para fazer a técnica com qualidade e confiança". Paulo Dalmaso, produtor de ovinos de Dom Pedrito/RS, comentou que os resultados decorrentes da monta natural são excelentes. "Meu rebanho é pequeno mas faço seleção rigorosa das fêmeas e o carneiro entra na fase de monta testado".

Inseminação artificial

Wallace Newton Scott Junior, produtor de caprinos de corte de Piedade/SP, comentou que está implantando inseminação artificial (I.A) nas fêmeas de maior qualidade zootécnica. "Na falha da IA e nas outras fêmeas. Usamos monta controlada em baia individual presencial assistida, com retirada do casal depois do coito completado". Marcos Delamain Pupo Nogueira, produtor de ovinos de Florianópolis/SC, comentou que utiliza a monta natural nas fêmeas primíparas e após uma classificação com algumas ovelhas, passa a fazer IA ou TE.

Antonio Fontenele de Carvalho, produtor de caprinos de corte de Fortaleza/CE, utiliza sistema de monta controlada mas "já fizemos, anteriormente a IA com bons resultados". José Lopes Lima Pontes, produtor de ovinos de Pindoretama/CE, disse que utiliza monta controlada e brevemente IA.

Outros

Amanda Luiza Moury Fernandes, estudante de medicina veterinária da Universidade Federal Rural de Pernambuco, citou que utiliza os três métodos citados em diferentes situações. "No rebanho mais comercial, utilizamos a monta natural, deixando o carneiro com as fêmeas durante toda a estação de monta (60 dias), utilizando a proporção de 1 carneiro para 40 fêmeas; nas fêmeas de elite (animais de exposição), utilizamos a monta controlada, utilizando rufião (vasectomizado) para marcar as fêmeas no cio e colocando em seguida com o carneiro, também utilizando a inseminação artificial, quando queremos acasalamentos com reprodutores especialmente selecionados; para as fêmeas, tanto comerciais como de elite que não emprenharam depois dos métodos citados acima, utilizamos a sincronização de cio com inseminação artificial em tempo fixo, sem observação de cio e indução da ovulação, com sêmen fresco, coletado dos próprios carneiros da fazenda".

Equipe FarmPoint

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

RICARDO JOSÉ DE ALMEIDA SILVA

Sinop - Mato Grosso - Produção de ovinos
postado em 12/09/2010

Nós aqui em Sinop - MT, também fazemos monta controlado, temos uma boa eficiencia reprodutiva e uma taxa de desmama boa. Aqui fazemos confinamento, por isso temos que ter escala de abate o ano todo, então este método de estação de monta controlado para nós é eficiente.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade