carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

3D da ovinocultura: quais os 3 desafios para 2014?

postado em 23/12/2013

10 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 



Em 2013, a demanda por carne ovina se manteve firme no mercado brasileiro, os preços mantiveram-se aquecidos e a produção de carne de cordeiro com qualidade, volume e padronização foi um dos assuntos mais discutidos ao longo do ano.

O FarmPoint pergunta aos leitores: na sua opinião, quais são os 3 principais desafios da ovinocultura em 2014? Por quê?

Deixe o seu comentário no box abaixo e com as principais respostas, prepararemos um artigo.

Desde já muito obrigado.

Equipe FarmPoint
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Rodolfo

Uibaí - Bahia - Produção de ovinos de corte
postado em 23/12/2013

3 desafios aqui no sertão baiano:
1. Seca.Porque com ela os desafios para se conseguir alimento com preço acessível, para os animais são enormes,dependendo de sua intensidade.
2.Comercialização.Porque a cadeia produtiva está desorganizada.
3.Crédito.Para se produzir com racionalidade , necessitamos de crédito desburocratizado e portanto, tempestivo.

Enio Rogério Cardoso Fagundes

Alegrete - Rio Grande do Sul - Estudante
postado em 26/12/2013

Qualidade, constância e comprometimento.

FERNANDO LIMA

Fortaleza - Ceará - OUTRA
postado em 26/12/2013

Saudações aos Amigos Criadores! Estou debutando na Ovinocultura, tenho maior vivência na criação de bovinos, e em função disso, ainda não possuo uma opinião ampla e abalizada sobre as nuances mercadológicas dessa atividade ao nível de Brasil. Porém, já carrego certa preocupação com relação à resistência de consumo, principalmente, por parte do público feminino cearense, e nosso Estado, geralmente, são as mulheres que vão aos supermercados adquirir os gêneros alimentícios domésticos, fazendo com que a carne ovina seja a preterida no rol de opções existentes nas gôndolas, razão pela qual, não há tanta oferta como as de outras espécies. Comentam, que os motivos são de ordem cultural (redução do status é um dos parâmetros histórico desse grupo) e preços avultados dos cortes. Tem sido complicado reverter tal situação! Alguém tem alguma sugestão? Abraços, Fernando

Eliseu Gonçalves

Cachoeira do Sul - Rio Grande do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 30/12/2013

Sistema de produção, escala e fidelização de mercado.

Gabriel Alves Maciel

Recife - Pernambuco - Instituições governamentais
postado em 30/12/2013

1. Infraestrutura Hídrica;

2. Produção e conservação de comida para os animais;

3. Melhoramento Genético.

Jaime de Oliveira Filho

Itapetininga - São Paulo - Ovinos/Caprinos
postado em 31/12/2013

Vimos a alguns anos que existia um duelo entre o setor produtivo e a indústria e vimos que a indústria acreditou no mercado,mas o setor produtivo deixou a desejar, precisamos:
  1- Profissionalizar o produtor;
  2- O uso de técnicos para assistência;
  3- Fazer uma ovinocultura com custo reduzido,suplementar com consciência,pois aqui no sudeste a suplementação é exagerada,na minha opinião.

Luciano Ferreira dos Santos

Mirante - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 01/01/2014

  01 - CONSCIENTIZAÇÃO DO PRODUTOR: O produtor principalmente do Semiárido, precisa querer verdadeiramente, deixar de ser criador e querer ser produtor, com comprometimento com a agroindústria e fornecimento de produtos com qualidade e regularidade.
02 - MERCADO CLANDESTINO: O mercado clandestino vem se mostrando uma barreira para a consolidação da cadeia, sem despesas com pessoal, impostos entre muitos outros, seduz o produtor e oferece um produto de risco para o consumidor final.
03 - ALIMENTAÇÃO: Precisamos sempre estar buscando para cada região, formas de alimentação que venham proporcionar uma melhor qualidade dos animais, e menor custo aos produtores.

Wilmar Gomes Braz

Santana do Livramento - Rio Grande do Sul - Ovinos/Caprinos
postado em 02/01/2014

Melhoramento genético do rebanho;
Controle sanitário;
Alimentação adequada em cada fase da criação;

Rodolfo

Uibaí - Bahia - Produção de ovinos de corte
postado em 02/01/2014

Caro Luciano,tb pratico a ovinocultura no semi-arido, região de Irecê,em pequena escala e se pretender entregar minha mercadoria a algum abatedouro/frigorifico legalizado, tenho que viajar 70 km (até Jussara),entregar os cordeiros( não aceitam animais com mais de 6 meses) dormir em algum hotél ou pensão (pq o animal só é pesado no dia seguinte).Analise as dificuldades para quem produz em pequena escala! O maior interessado em acabar com o mercado informal é o governo, entretanto , ele não cumpre sua função , ou seja,onde estão os abatedouros públicos?Uibaí tem 13,5 mil habitantes e não tem abatedouro. Irecê tem cerca de 60 mil hab. e tem um abatedouro/ frigorífico sim.Mas há mais de 3 anos está fechado e tão pouco fora inaugurado.Portanto, entendo que cada região tem as suas particularidades  e dificuldades.

Felipe Azevedo Cavalcanti Reis

Salvador - Bahia - Produção de ovinos
postado em 03/01/2014

Os desafios são muitos, mas escolhendo apenas três:
1- Assistência técnica ao produtor para manejo, nutrição, instalações, armazenamento de alimentos e viabilidade econômica da atividade.
2- Crédito especifico para ovinocultura em cada região.
3- Investimento em publicidade na divulgação do consumo de carne de carneiro de boa qualidade.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade