Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

AL: Estação de Desenvolvimento Tecnológico impulsiona ovinocaprinocultura

postado em 29/05/2013

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Governo de Alagoas, por meio da Secretaria de Estado da Agricultura e do Desenvolvimento Agrário (Seagri), firmou parceria recentemente com a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), por meio de termo de cessão de uso das instalações do antigo Instituto Xingó, no município de Piranhas. No local, está sendo implantada a Estação de Desenvolvimento Tecnológico do Alto Sertão alagoano com foco na ovinocaprinocultura, avicultura e uma biofábrica para produção de forragens baseada em palma e sorgo.

O investimento para a implantação da Estação de Desenvolvimento Tecnológico é de cerca de R$ 500 mil, com o apoio da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (Aecid). O espaço será gerido pela Seagri e transformado em uma estação de desenvolvimento e difusão de tecnologias rurais para o Sertão alagoano.

Foram garantidos R$ 1,5 milhão pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para investimento no local e instalação da biofábrica, que será composta por laboratório e estufa, para produção e multiplicação de sementes e mudas.

Sobre a difusão de tecnologia da ovinocaprinocultura, a unidade vai beneficiar agricultores familiares de todas as regiões, mas, principalmente, da Bacia Leiteira e do Sertão. O novo empreendimento também vai realizar pesquisa agropecuária e produzir sementes de palma forrageira e sorgo, que serão repassadas aos agricultores para composição dos bancos de forragens, além de mudas de árvores e frutas.

Somente com o investimento de R$ 500 mil, estão garantidos ações como o diagnóstico das cadeias produtivas do leite, de ovinos e caprinos, aquicultura e pesca e fortalecimento da assistência técnica e extensão rural.

Estudo e pesquisa

Além da biofábrica, o Centro de Desenvolvimento Tecnológico terá alojamentos, auditório e laboratórios equipados para capacitação de técnicos, agricultores e profissionais da área.

“São pelo menos setenta hectares. Teremos alojamentos, auditório e laboratórios equipados para capacitação de técnicos, agricultores e profissionais especializados nessas áreas”, explica Francisco Filho, conhecido por “Chico do Bode”, um ex-funcionário do já extinto Instituto Xingó, que funcionava no local onde será instalada a Estação de Desenvolvimento Tecnológico.

Mesmo esperando o início das reformas no local, Chico diz que o centro já conta com 17 caprinos que servirão para estudos direcionados ao melhoramento genético com itens como transferência de embrião, além de uma casa de forragem para experiências que beneficiem a pequenos e médios produtores.

Embora sem funcionamento pleno, o futuro centro já dispõe de gente interessada em ciência e tecnologia no local. É assim que três estudantes da Universidade Rural de Pernambuco no curso de mestrado em zootecnia estão realizando pesquisas com ovinos e caprinos.

É um olhar para a melhoria na produção de carne e na produção de leite”, informa Liberato Lins de Oliveira, um dos estudantes da Rural de Pernambuco. Segundo Chico do Bode e o próprio Liberato, a estação de Piranhas será basicamente para cortes especiais, com o objetivo de agregar valor à produção.

Na estrutura para ovinos e caprinos, o centro dispõe de box para reprodutores - sendo dois para ovinos e três para caprinos - matrizeiras ou apriscos para fêmeas até cinco anos e de uma maternidade (cabriteiras). Também já existem as esterqueiras e um curral para manejo com sistema de criação chamados de semi-intensivos, hoje orientado pelos três estudantes de Pernambuco.

A Estação de Desenvolvimento e Difusão de Tecnologias Rurais para o Sertão alagoano também vai receber apoio da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Sebrae Alagoas, Emater, Embrapa, Secretaria de Estado da Ciência, da Tecnologia e Inovação (Secti), Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Instituto Federal de Alagoas (Ifal), Instituto Ambiental Brasil Sustentável (Iabs) e Prefeitura de Piranhas.

As informações são da Agência Alagoas, adaptadas pela Equipe FarmPoint.  

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Luciano Ferreira dos Santos

Mirante - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 29/05/2013

  Parabéns a todas as instituições envolvidas nesse projeto.

josé Carlos Rodrigues da Luz

Serra Talhada - Pernambuco - Consultoria/extensão rural
postado em 02/06/2013

Parabéns seu Chico do Bode e aos alunos da UFR-PE! Pelo que podemos observar no papel o apoio que vocês terão será  muito amplo pelos órgãos que mencionam. Se for verdadeiramente duradouro feito união da Asa Branca do sertão, aí sim, valerá o investimento. O nosso Nordeste precisa encontrar um meio de registrar em cartório os projetos políticos da vez, de maneira que quando àqueles que entrarem tenham seus projetos realizados pelos seus sucessores.Quantos milhões,bilhões já foram desperdiçados no Nordeste e o desenvolvimento,NADA.Isto vem acontecendo em nosso PE. Gostaria de manter contato com  o Sr. Liberato Lins da UFR-PE. sobre o desenvolvimento  destes em nossa região.Abraços-JCLUZ., 02.06.13-Serra Talhada -PE. 87.99683196tim ou 91271400-claro

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade