Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

ARG: Senado veta projeto de impostos sobre grãos

postado em 17/07/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A presidente da Argentina, Cristina Kirchner, e seu marido, o ex-presidente Néstor Kirchner, sofreram na madrugada desta quinta-feira, 17, uma derrota sem precedentes ao perder a votação no Senado do projeto de lei do governo que determinava o aumento dos impostos sobre as exportações agrícolas argentinas.

Após 16 horas de debates, a votação do projeto do governo acabou em empate. O voto de Minerva coube ao vice-presidente Julio Cobos, que também é presidente do Senado. Contrário ao projeto, Cobos chegou a cogitar votar com o governo para evitar o agravamento da tensão política. Mas acabou votando contra.

Cobos implorou aos senadores que realizassem um recesso para "encontrar um consenso". As lideranças kirchneristas, no entanto, recusaram-se a aceitar maiores demoras. Cobos é o representante dos "Radicais-K", como são denominados os integrantes do setor dissidente da União Cívica Radical (UCR) que há dois anos decidiram aliar-se aos Kirchners.

Durante a madrugada, a reta final da sessão do Senado foi acompanhada por panelaços em Buenos Aires e nas principais cidades do interior em protesto contra Cristina. Os Kirchners apostaram seu prestígio político nesta votação e perderam. Os analistas indicam que Cristina - que ainda tem quase três anos e meio de governo - ficará altamente debilitada. Diversas especulações indicam que ocorreriam eventuais mudanças no gabinete de ministros nos próximos dias.

Os ruralistas protagonizaram durante os últimos 128 dias um intenso conflito com o governo Cristina. Ao longo de quatro meses realizaram quatro locautes, que incluiu marchas de protesto e piquetes nas estradas. Agora, os ruralistas despontam como um novo poder político na Argentina.

As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade