Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Argentina: forte perda de ovinos em Chubut

postado em 27/03/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Nos últimos 14 meses, a principal província produtora de lã da Argentina, Chubut, perdeu 1,2 milhão de cabeças de ovinos devido à seca, informou fonte do governo provincial ao La Nación. A situação é de extrema gravidade e o horizonte se apresenta mais complexo ainda, pois se o inverno chegar seco e frio, como se espera, a mortandade de animais será maior.

"Durante todo o ano de 2007, a maioria dos estabelecimentos teve um registro de chuvas de 60 milímetros e isso fez com que houvesse uma menor quantidade de parições. Os animais estão fracos. Se o inverno for tão duro como ocorreu no ano passado, será letal para o setor", disse o presidente da Federação Rural de Chubut, Juan Carlos Goya.

Os produtores pedem socorro e o governo, a quatro meses de declarada emergência agropecuária, admite que não existem soluções mágicas para enfrentar a seca. Fornece água aos estabelecimentos mais afetados, subsidia a entrega de forragem e alimento balanceado e oferece crédito Propatem, uma linha histórica a nível nacional que se executa para desastres deste tipo.

Segundo dados oficiais, na Província existem 3245 estabelecimentos que se dedicam a produção de ovinos e foram 1650 os que até a semana passada tinham completado os certificados de emergência agropecuária.

Através de um monitoramento de satélite, técnicos de diferentes áreas do governo e do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA) concluíram que em Chubut se registra uma importante diminuição na biomassa verde em todo o território.

Para o vice-secretário de Recursos Naturais, Rubén Manfredi, o setor ovino deverá redefinir o negócio, pois diante da perda de recurso forrageiro e deterioração crescente do solo, será indispensável diminuir a carga nos campos.

Setenta por cento dos 3245 estabelecimentos que estão em atividade na Província de Chubut têm rebanhos de 1500 a 2500 ovelhas e são os mais castigados. Chubut é a principal produtora de ovinos da Argentina, com 4,5 milhões de lanares. Nesta cidade se processa 95% da lã que a Argentina exporta.

Desta forma, a seca também terá um impacto na próxima safra de lã, tanto na quantidade como na qualidade do produto.

Nenhuma das ações tomadas pelo estado está agradando os pecuaristas. A distribuição de água e forragem é operativamente inviável pelas distâncias a percorrer e pela quantidade de afetados que existe, até os próprios prejudicados admitem que é impossível que esta ajuda chegue a todos.

Os produtores propõem que o Estado fixe uma compensação para quem for obrigado a vender seus animais fracos, um valor fixo por quilo de lã vendida e até uma compensação, se o negócio for mal, para quem investir em alternativas forrageiras para manter seu rebanho.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade