Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Balança do agronegócio teve superávit de US$ 8,9 bi no bimestre

postado em 22/03/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O superávit da balança comercial do agronegócio brasileiro atingiu US$ 8,908 bilhões no primeiro bimestre deste ano. O crescimento foi de 12,1% em relação aos US$ 7,950 bilhões registrados em igual período do ano passado. As exportações nos dois primeiros meses cresceram 11,6% e atingiram US$ 11,702 bilhões. As importações tiveram expansão de 10,2% e somaram US$ 2,794 bilhões.

Os dados divulgados nesta quarta-feira, 21, pelo Ministério da Agricultura mostram que a receita das exportações do complexo soja passaram de US$ 1,116 bilhão em janeiro e fevereiro do ano passado para US$ 2,251 bilhões nos dois primeiros meses deste ano, com um crescimento de 91,9%. O faturamento das vendas externas do complexo carnes subiu 3% e atingiu US$ 2,186 bilhões. Já a receita do setor sucroalcooleiro teve crescimento de 3,8% e somou US$ 1,622 bilhão no primeiro bimestre.

O grupo de produtos florestais teve retração de 2,6% na receita das exportações, que ficou em US$ 1,488 bilhão. O faturamento das vendas externas de café caiu 3,3% e ficou em US$ 1,229 bilhão. O Ministério da Agricultura também destaca entre as variações negativas nas exportações os segmentos de cereais, farinhas e preparações (-29,3%), couros e seus produtos (-15,0%) e cacau e seus produtos (-14,5%).

Do lado das importações, os destaques ficam com produtos florestais US$ 472 milhões, queda de 6,8%); cereais, farinhas e preparações (US$ 461 milhões, menos 27,7%); pescados (US$ 261 milhões, aumento de 22,8%); produtos oleaginosos, excluindo soja (US$ 186 milhões, mais 45%); e lácteos (US$ 128 milhões, mais 27,7%). Entre os principais produtos importados os destaques no crescimento foram malte (+48,9%) e óleo de dendê ou de palma (+45,0%). As principais quedas ocorreram para o trigo (-27,7%) e a borracha natural (-29,1%).

As informações são do jornal O Estado de São Paulo, resumidas e adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade