Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Bancada ruralista não apóia Stephanes para o Mapa

postado em 21/03/2007

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A indicação do deputado Reinhold Stephanes para a pasta de Agricultura já encontrou resistências no Congresso. O deputado Abelardo Lupion (PFL-PR), um dos integrantes da bancada ruralista na Câmara, disse que Stephanes não é do setor do agronegócio e não terá o apoio dos ruralistas.

Na avaliação de Lupion, é fundamental que o escolhido para esse ministério seja um produtor agrícola ou pecuário, o que não é o caso do deputado indicado.

Entre as preferências de Lupion estão Moacir Micheletto (PR), Waldemir Moka (MS) e Valdir Colatto (SC), todos do PMDB, partido ao qual cabe, na divisão de cargos do Executivo, a indicação de um nome para o Ministério da Agricultura.

"Demos sustentação ao governo Lula durante quatro anos, com o Roberto Rodrigues (ex-ministro da Agricultura). Se Lula entender de colocar alguém que não é do ramo, ele não quer o apoio da bancada. É um desrespeito ao setor rural", afirmou Lupion.

As informações são do Estadão/Agronegócios.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Louis Pascal de Geer

Barretos - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 21/03/2007

Pelo que sei, o deputado Reinhold Stephanes já passou por cargos importantes no antigo Ministério da Agricultura e tambem foi um Ministro competente, em dois governos.

Ser do ramo definitivamente não é uma garantia de sucesso, mas se nos queremos iniciar uma luta para reunificar os Ministérios da Agricultura e do Desenvolvimento Agraria, Reinhold Stephanes pode ser um verdadeiro coringa e, por isso, gostaria de ver o deputado ser o próximo Ministro da Agricultura.

Edir Rocha

Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 21/03/2007

Eu tento imaginar o que o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva tem na cabeça. Seus pensamentos são totalmente mesquinhos e de extrema ignorância.

Acredito que um ministro da Agricultura deve possuir uma harmonia com o ambiente agrícola, conhecendo o mesmo profundamente, concordam? Realmente não entendo as idéias deste governo, alguém entende?

Cristina Marcia Coppede

Rondonópolis - Mato Grosso - Produção de gado de corte
postado em 21/03/2007

Acho que o que importa é que seja um bom ministro e trabalhe pela causa da Agropecuária, pois este ministério ja teve tanta gente que é do setor e não conseguiu um programa que pudesse acabar com a aftosa.

Acho que este nosso deputado Lupion devia ser mais inteligente e ir cuidar da fazenda dele, ao invés de ficar em Brasília falando sem pensar.

Luciano Andrade Gouveia Vilela

Araguatins - Tocantins - Produção de gado de corte
postado em 21/03/2007

Só emendando a prosa do Louis Pascal, realmente não sei de nomes, nem entendo de acordos políticos que garantam que este ministério tenha realmente que ser de algém do PMDB, mas concordo plenamente que deveria ser uma bandeira da Bancada Ruralista unificar os dois ditos ministérios!

Abraço a todos!

Jose Eduardo Ferreira da Silva

Belo Horizonte - Minas Gerais - Analista de Desenvolvimento
postado em 22/03/2007

Já disse em manifestação anterior que o problema central não está em o ministro ser ou não do ramo.
Mas está no fato de o presidente não ser do ramo (aliás, de que ramo ele é? talvez futebol). O ministro da Fazenda também está fora da área dele (acho que o ramo dele deve ser corte e costura, bordado, chochê... mas economia não é!).

Também o ministro do planejamento não é do ramo. Deve ser do ramo de lavanderia, perfumaria, ou qualquer coisa parecida. Mas planejamento definitivamente não é!

Agronegócio depende muito de macroeconomia, abertura de mercados, etc. Talvez mais que outras ações endógenas. Mas é claro que a atuação do ministério para melhorar sanidade/defesa animal e vegetal, atuar junto às instâncias de mercado externo, entre outras atribuições típicas de governo é importante. Pra isso depende de dinheiro. O volume destinado à pasta já é ridículo, mas...

O contingenciamento de verbas para o ministério da Agricultura por "quem não é do ramo", lá nos ministérios ditos "econômicos" e a falta de prioridade para quem sustenta 37% dos empregos, o saldo da balança comercial, 30% do PIB, ou seja o agronegócio, demostrada pelo presidente, que não é de ramo nenhum, é que faz com que não interesse quem esteja no comando: um Roberto Rodrigues, um Pratini de Moraes ou qualquer outra pessoa, por mais competente e séria que seja.

Li na Folha de São Paulo (20/março), na coluna do Simão: "E o chargista Frank revela como o Lula está escolhendo o ministro da Agricultura: ´Esse usa laranjas, esse tem muitos pepinos, esse é o maior abacaxi, tenho que achar logo um perfeito banana´. Um banana pra Agricultura!"

É isso aí! 4 anos passam muito lentamente... Para ver como o filósofo Faustão tem razão: "urna não é penico"!

Jucelino dos Reis

Cascavel - Paraná - Produção de gado de corte
postado em 22/03/2007

Senhora Cristina Copped, não tenho procuração para defender o deputado Lupion, porém penso que a senhora cometeu uma injustiça.

O deputado Lupion é , sem nenhuma dúvida, a voz mais forte do Paraná, no Congresso, na defesa dos interesses, principalmente da pecuária.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade