Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Brasil: avanço no exterior graças a alta de preços

postado em 18/04/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Dados da Organização Mundial do Comércio (OMC) indicam que o Brasil tem apresentado desempenho bem acima da média mundial em suas vendas. A alta nos preços das commodities permitiu que o país registrasse taxa de crescimento em 2008 acima dos índices da China, pela primeira vez em décadas.

Em 2007, pelo ranking divulgado ontem, o país conseguiu avançar uma posição e hoje ocupa o 23º lugar, ainda que a taxa de crescimento esteja abaixo da média do Mercosul e seja a menor entre os BRICs (grupo que reúne Brasil, Rússia, Índia e China).

Segundo a análise da OMC, mais da metade da alta nas exportações ocorreu por causa dos preços, e não do volume embarcado. Em 2007 as exportações brasileiras cresceram 17% em valor, com US$ 161 bilhões. Em 2006, o país havia caído para a 24ª posição no ranking da OMC e, no atual relatório, retoma a posição de 2005. Em volume, porém, o Brasil viu suas vendas crescerem apenas 6,9%.

"A diferença é muito grande e demonstra que parte do aumento das exportações ocorreu mesmo por causa dos preços", confirmou o economista da OMC, Michael Finger.

Apesar de ter subido um lugar na tabela e superado os Emirados Árabes Unidos, o país ainda teve taxas de crescimento das vendas abaixo da China, com 26%, e da Índia, com 20%. Entre os BRICs, é o último, ao lado da Rússia.

Apesar do resultado positivo, para a OMC, o Brasil tem que se preocupar com as tendências futuras. Uma das advertências é para que não passe a depender das exportações de produtos de base. "Obviamente que os fazendeiros estão felizes. Mas será necessário ver o que dizem os demais setores", destacou Finger em reportagem de Jamil Chade, do O Estado de S.Paulo.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade