Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

CE: região de Inhamuns se especializa em culinária ovinocaprina

postado em 30/01/2012

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 


A gastronomia da região dos Inhamuns será beneficiada com um restaurante especializado em culinária de ovinos e caprinos. A instalação do empreendimento integra o programa "Rota do Cordeiro", do Ministério da Integração Nacional. O convênio foi firmado no final de dezembro, entre o Ministério e o Governo do Ceará. O novo programa deve beneficiar produtores de ovinos e caprinos dos Inhamuns e regiões vizinhas com investimentos iniciais de R$ 1,4 milhão.

A apresentação do programa aos produtores acontecerá em fevereiro, o primeiro a ser implantado no Estado. A Embrapa, unidade descentralizada de caprinos e ovinos, localizada em Sobral, juntamente com a Secretaria de Desenvolvimento Agrário (SDA) são os órgãos responsáveis pela execução no Estado do Ceará. Além de Tauá, o programa englobará os municípios de Crateús, Quixadá e Quixeramobim. Serão beneficiadas entre 600 a 3.000 famílias em cada município.

Porém, antes da construção do novo restaurante, técnicos da Embrapa estão constantemente vindos ao município trabalhando os Arranjos Produtivos Locais (APL), com vistas a prepará-los para o início do programa. A meta é congregar esforços para viabilização dos arranjos produtivos, a fim de estabelecer pontes entre as instituições de pesquisa e o setor produtivo.

De acordo com Selmo Fernandes, chefe adjunto de transferência de tecnologia da Embrapa, o programa iniciará por Tauá, no Estado. No próximo mês, serão definidas as ações estratégicas no município. "Aqui já existe organização, parceria das instituições e arranjos produtivos, além de ser grande produtor de ovinos e caprinos", ressalta. O setor da ovinocaprinocultura é considerado como prioridade pelos programas de desenvolvimento regional em implementação pelo Ministério.

O programa foi lançado em outubro do ano passado pelo Ministério, em João Pessoa (PB), por ocasião do 5° Simpósio Internacional sobre Caprinos e Ovinos de Corte (Sincorte). Agora chega ao Ceará. No mesmo evento foi assinado termo de cooperação técnica entre o Ministério da Integração Nacional e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), com o objetivo de planejarem, em conjunto, ações em prol do desenvolvimento regional.

Por meio desse acordo, serão realizadas atividades de cooperação institucional voltadas ao Programa Rotas de Integração Nacional, do qual o Programa Rota do Cordeiro faz parte. O Programa significa a inserção do Ministério da Integração Nacional na execução de ações do Plano Brasil sem Miséria, eixo de inclusão produtiva. Segundo a Embrapa, o programa implantará no município Núcleos de Inovação, com vistas a efetivar a inclusão produtiva. Essas unidades deverão ser Núcleos de Excelência na Produção Ovina. Dentro dos Núcleos, quatro eixos serão enfocados: Centro de Inteligência, Melhoramento Genético, Excelência na Produção e Centrais de Terminação.

Fernandes destaca que em cada eixo haverá estrutura física e capacitação. No eixo de Melhoramento Genético, por exemplo, o esforço será para que os melhores animais saiam dos leilões. "Tudo para que os rebanhos sejam qualificados e que os melhores animais cheguem à base", frisa. Já o eixo Centro de Inteligência tratará de abastecer produtores com treinamentos, informações e acompanhamento da cadeia produtiva, até a comercialização.

Bolsas de estudo para estudantes fazem parte desse eixo, inclusive com formação na residência zootécnica, na Embrapa. Três localidades deste município possuem unidades de processamento de ovinos e caprinos. As unidades de Lustal e Assentamento Angicos foram criadas em 2005 e a da Vila Joaquim Moreira, em 2009. Contam com prédio próprio e equipamentos e os trabalhos são realizados por meio das Associações Comunitárias.

A expectativa entre os produtores é grande, pois mesmo o município tendo um rebanho de 135 mil ovinos e 65 mil caprinos e a economia gira em torno dos negócios advindos da produção e comercialização dos animais, vivos e abatidos. "É um produto novo. Mesmo já estando com cinco anos que trabalhamos, a inovação e o cooperativismo na região ainda é acanhado. Mesmo assim é viável. O segredo é vender muito. Para isso, precisa de linhas de crédito para capital de giro para facilitar a produção e comercialização", defende José Roberto, presidente da Associação Comunitária de Lustal, que parte na frente e já começa a produzir carne para hambúrguer.

Novo fôlego

Para a Agência de Desenvolvimento Econômico de Tauá (Adecont), o trabalho junto às cadeias produtivas e a implantação do restaurante darão novo fôlego à caprinocultura local.

"Já temos uma base feita, com as unidades de processamento, o produto em si, a Casa da Manta, que tem uma excelente estrutura, restaurantes que comercializam pratos à base de carneiro e agora, com esses novos investimentos, tudo tende a crescer", ressalta Ana Ricarte, titular da pasta, provando otimismo que predomina entre produtores.

As informações são da Embrapa Caprinos e Ovinos e do Diário do Nordeste, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Ricardo Vales Domingues

Araçatuba - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 30/01/2012

Há muito tempo insisto com amigos zootecnistas e criadores aqui de Araçatuba-SP, para inovar em culinária ovina. Há até que se importar novas receitas, claro, popularizando as já existentes nesse Brasil tão grande e que a maioria de nós talvez ainda desconheça. Pelo artigo, a Embrapa parece pensar da mesma forma.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade