Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

CE: seca ameaça distribuição de leite

postado em 25/10/2012

3 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A distribuição de leite de gado e cabra do Programa Fome Zero está ameaçada pelos efeitos da seca que tomou conta do Nordeste brasileiro este ano. Na região do Inhamuns, localizada no sertão do Ceará, pelo menos 2.491 crianças, em oito municípios, poderão ficar sem receber o alimento repassado por um programa em parceria entre o governo Federal e Estadual.

O alerta vem da Cooperativa dos Produtores de Leite dos Inhamuns (Cootaleite) e da empresa Laticínios Veneza, responsável pelo beneficiamento do produto em Tauá. Segundo o médico veterinário Antônio Marcos Marcelino, antes do agravamento da seca os pecuaristas cooperados vendiam 64 mil litros de leite por mês para o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). Com a estiagem, "houve uma queda de mais ou menos 60% na produção".

A Cootaleite, que recolhia o leite em 135 propriedades produtoras, reduziu para 92 o números de pontos de coleta. De acordo com Antônio Marcelino, 43 pecuaristas deixaram de vender para o Fome Zero porque perderam ou negociaram os animais.

As causas

A escassez de pastagem e, principalmente, a falta d'água para o consumo animal vem provocando a redução do rebanho leiteiro de gado/caprinos dos Inhamuns. Pelos cálculos de Antônio, antes da seca a região contava com 60 mil cabeças gado. "Não temos números sistematizados, mas há registro de um êxodo de milhares de animais para o Maranhão ou Pará. Ou foram negociados ou é busca por pasto. Quem insistiu com o gado aqui, está tendo prejuízo e arrisca vê-los morrer de novembro pra frente", explica.

Para ele, o custo da venda do leite para o Programa Fome Zero não estaria mais compensando para os produtores cearenses, pois o preço do litro de leite ainda permanece em R$ 0,72, valor pago desde o começo do ano, quando ainda nem se falava em uma seca tão devastadora. "Depois de muita insistência, o governo federal e a Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará aceitaram pagar R$ 0,80. Porém, há dois meses esperamos pelo reajuste e nada", reclamou.

A falta de pastagem no sertão do Inhamuns encareceu o preço do alimento para os animais no comércio. Os pecuaristas estão pagando R$ 46,00 por uma saca de milho (60 kg). Antes da seca, compravam por R$ 28,00. Em outras regiões do Estado, o mesmo produto chega a ser vendido por R$ 50,00. Já a saca de torta de algodão (50 kg), usada como complemento alimentar do rebanho, saltou de R$ 32,00 para R$ 50,00. "Se não houver uma ação emergencial dos governos Federal e Estadual, os animais que restam vão morrer e não haverá leite suficiente para as crianças atendidas pelo Fome Zero", prevê Marcelino.

O secretário do Desenvolvimento Agrário do Ceará, Nelson Martins, prevê para o próximo mês de novembro o pagamento de R$ 0,80 pelo litro de leite fornecido pelos produtores dos Inhamuns. Segundo o executivo, o atraso no reajuste se deve a um processo burocrático entre o Ceará e o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). "O aumento foi autorizado e estamos aguardando a publicação oficial do aditivo", explicou.

De acordo com Nelson, o investimento financeiro para a compra do leite do Fome Zero é suficiente para atender 100 mil famílias no Ceará. No entanto, por causa da estiagem deste ano e a queda na produção, a distribuição está beneficiando 80 mil cadastrados. Apesar de já ter sido registrada a falta do leite de cabra em Centros de Nutrição em Tauá, por exemplo, o secretário descarta a possibilidade de colapso na distribuição do alimento nas regiões atingidas pela seca no Ceará.

Saiba mais

Nos Inhamuns, o Programa Fome Zero repassa o alimento para crianças dos municípios de Tauá, Arneiróz, Parambu, Quiterianópolis, Aiuaba, Antonina do Norte, Assaré e Saboeiro. Cada criança cadastrada tem direito a 1 litro de leite por dia.

Antes do agravamento da seca, nos Inhamuns, a Cootaleite recolhia o leite em 135 pontos. Pelo menos 43 pecuaristas deixaram de vender o produto porque viram o rebanho morrer ou venderam os animais por preços bem abaixo do mercado.

As informações são do portal de notícias O Povo Online, adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

ALVARO CARNEIRO JUNIOR

Quixadá - Ceará - Produção de leite
postado em 25/10/2012

QUANDO MAIS O POBRE PRECISA DO LEITE PARA AS CRIANÇAS,A BUROCRACIA IMPEDE O REAJUSTE NO PREÇO DO LEITE.COMO SE AS CRIANÇAS FAMINTAS
DO NOSSO CASTIGADO SERTAO PUDESSEM ESPERAR PELA MAQUINA EMPERRADA DO GOVERNO.COMO PODEMOS ADMITIR QUE JUSTAMENTE O LEITE
DOS PRONAFIANOS SEJA O MAIS BARATO DO MERCADO.OS CUSTOS DE PRODUÇAO SUPERAM EM MUITO O VALOR DE R$0,72 POR LITRO.O GOVERNO PAGARA A CONTA MAIS NA FRENTE,POIS NAO FICARA NENHUM PEGUENO PRODUTOR NESTE SERTAO.O GOVERNO TERA QUE AUMENTAR CADA VEZ MAIS
O ORÇAMENTO DO FOME ZERO,E AS CIDADES CADA VEZ COM MAIS FAVELAS.

Dr. JAIRO PINTO DE CARVALHO

Salvador - Bahia - APRECIADOR DE LEITES E SEUS DERIVADOS.
postado em 26/10/2012

Salvador-Bahia,26.10.2012-6ª feira.

Ao FarmPoint
Prezados Senhores:

Como já comentei, anteriormente, O BRASIL NÃO É PAIS EM QUE OCORRA A TAL SECA DEVASTADORA, PELO SIMPLES FATO DE SER UM PAÍS QUE OCUPA UMA VASTA ÁREA DO HEMISFÉRIO SUL  SUPLANTANDO A LINHA DO EQUADOR E ULTRAPASSANDO A LINHA DO TRÓPICO DE CAPRICÓRNIO PORTANTO, ABRANGENDO VERTICALMENTE QUASE TODO O HEMISFÉRIO SUL, O QUE IMPOSSIBILITA, GEOGRAFICAMENTE, A INCIDÊNCIA DE SECA EM TODA A SUA EXTENSÃO, O QUE NÃO OCORRE NOS U.S.A. POR SER UM PAÍS QUE OCUPA UMA ÁREA TOTALMENTE HORIZONTAL UM POUCO ABAIXO DO TRÓPICO DE CÂNCER, O QUE POSSIBILITA A INCIDÊNCIA MAIS DEVASTADORA DA SECA COMO ALIÁS, ACABA DE OCORRER, MAS MESMO ASSIM O GOVERNO NÃO PERMITE A FALTA DE ALIMENTOS AOS SEUS, NUMA PERFEITA ATITUDE DE PAÍS SÉRIO!
Pelo que se pode depreender, O PROBLEMA POR AQUI É MAIS DE GANÂNCIA DO QUE DE QUAISQUER OUTROS TIPOS DE IMPOSSIBILIDADES POIS, COMO É SABIDO O LEITE URUGUAIO E ARGENTINO, ESTÃO AÍ PARA SEREM IMPORTADOS INCLUSIVE POR PREÇOS BEM MAIS EM CONTA, BASTA O GOVERNO CONSCIENTIZAR-SE E QUERER COMO BEM DEFENDEU IERING, NA SUA TEORIA DA VONTADE. QUERER É PODER ! É PRECISO  QUE OS GOVERNOS PAREM COM OS SALAMALEQUES E ATUEM PARA VALER, QUE, IMEDIATAMENTE, AS ESPECULAÇÕES DAR-SE-ÁO POR ENCERRADAS. O LEITE BRASILEIRO JÁ NÃO É LÁ ESSAS COISAS TODAS, EM TERMOS DE QUALIDADE,INCLUINDO-SE A FALTA DA GORDURA ORIGINAL E AINDA QUEREM MAIS VALOR PELA AGUACEIRA, INCLUSIVE SEM O MÍNIMO DOS MÍNIMOS CONTROLES DE QUALIDADE POIS OS GOVERNOS FEDERAL, ESTADUAL E MUNICIPAL, NO NOSSO PAÍS, ESTÃO POUCO SE IMPORTANDO COM O BEM ESTAR E A SAÚDE DOS MENOS FAVORECIDOS ! A NÃO SER, EM VÉSPERA DE ELEIÇÕES ! , VER O OCORRIDO EM PORTO ALEGRE COM O "TODDYNHO E EM SANTA CATARINA COM O LEITE "HOLANDÊS" ! SE HOUVESSE EFETIVA FISCALIZAÇÃO SEM CORRUPÇÃO E, NÃO CABIDE DE EMPREGOS, COM CERTEZA HAVERIA UMA EFETIVA E EFICIENTE FISCALIZAÇÃO MAS, POR AQUI SÓ FECHAM A PORTA APÓS O DESASTRE E MESMO ASSIM, AS VEZES NÃO !
SE OS TRÍDUOS GOVERNAMENTAIS PODEM CONSTRUIR ESTÁDIOS E MAIS ESTÁDIOS, PARA "O PAÍS DO FUTEBOL" E OUTRAS "COSITAS MÁS", COM CERTEZA, PODEM SUPERAR A QUESTÃO DA ESCASSEZ DE ALIMENTOS NO ALTO SERTÃO. COMO ESTÃO INDO AS OBRAS DE DESVIO DE ÁGUAS DO RIO SÃO FRANCISCO ? AS QUAIS SERIAM REDENTORAS PARA A SECA NO SERTÃO NORDESTINO ? CADÊ A TÃO PROPALADA OBRA ?,ONDE ESTÃO OS CANAIS DOS DESVIOS DAS ÁGUAS DO RIO DA INTEGRAÇÃO NACIONAL ? FOI TUDO PARA AS "CUCUIAS ?  SÓ VOLTAM AS OBRAS, QUANDO DAS PRÓXIMAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS ?
CASO OS GOVERNOS, NÃO JOGASSEM O DINHEIRO DA SOCIEDADE, NO RALO COM PROPAGANDAS IDIOTAS DE FEITOS QUE, POR OBRIGAÇÃO TÊM QUE POR EM PRÁTICA, HAVERIA BEM MAIS RECURSOS PARA MINIMIZAR AS AGRURAS DOS SOFRIDOS GUERREIROS SOBREVIVENTES DA INÉPCIA GOVERNAMENTAL !
GOVERNO NENHUM, FEZ ALGO REALMENTE DEFINITIVO PARA ACABAR COM O SOFRIMENTO SAZONAL DESTE POVO DESASSISTIDO, PERDEM QUASE TUDO, MENOS A PERSEVERANÇA ! E OS GOVERNOS SÓ DEMAGOGIAS E HIPOCRISIAS !
É PRECISO  DAR-SE UM BASTA !
Grato pela atenção.

Dr. JAIRO PINTO DE CARVALHO

Salvador - Bahia - APRECIADOR DE LEITES E SEUS DERIVADOS.
postado em 26/10/2012

Salvador-Bahia, 26.10.2012-6ª feira.

Ao FarmPoint
Prezados Senhores

Complementando o meu raciocínio sobre a questão, nos u.s.a. ocorreu
uma grande quebra na safra do milho, por aqui, também falou-se em
safra menor em razão da seca mas, POR INCRÍVEL QUE POSSA PARECER ,
ESTAVAM OS AGRICULTORES QUE PLANTARAM O MILHO, EUFÓRICOS COM A MISÉRIA
ALHEIA E COMEMORANDO AS DIFICULDADES DOS U.S.A. SOMOS MESMO É SEM
CARÁTER !, ISTO SIM ! GOSTAMOS DE TIRAR PROVEITO DA DESGRAÇA DOS
OUTROS É A "LEI DO GERSON" ! UMA POUCA VERGONHA, UM ABSURDO ! TAMBÉM,
APRECIAMOS MUITO, MUITO MESMO, É PUXAR O TAPETE DE QUEM ESTÁ
PROGREDINDO, FAZENDO SUCESSO, SOMOS DESPEITADOS E INVEJOSOS ! POR
ESTAS E OUTRAS, NÃO SOMOS BEM VISTOS LÁ FORA, NO "1º MUNDO"  SOMOS
CONSIDERADOS UM ZÉ POVINHO DE 5ª CATEGORIA !
AO INVÉS DE EXPORTAR O MILHO PORQUE NÃO MANDA-LO PARA O SERTÃO QUE
PASSA POR GRANDES DIFICULDADES ? ONDE ESTÃO OS GOVERNOS ?
POR HOJE CHEGA !
Grato pela atenção.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade