Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

China se torna maior mercado para lã neozelandesa

postado em 27/03/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A China se tornou o principal mercado para a lã da Nova Zelândia, comprando quase metade das exportações, à medida que o mercado europeu declinou e as vendas para a Austrália caíram, de acordo com dados da indústria.

O presidente do Conselho de Exportadores de Lã, John Dawson, disse que os problemas na zona do euro e o aumento da força da China como um importante produtor de têxteis levaram a essa mudança para onde a lã neozelandesa é vendida.

"Comparado à estação anterior, nossos clientes europeus estão comprando muito menos lã, com as exportações caindo 14,5%", disse Dawson. "Porém, a China continua crescendo e, até agora nessa estação, comprou 15,4% a mais que no mesmo período do ano anterior. A lã exportada à Austrália teve uma forte queda de 75%".

Dawson disse que a UE compra apenas 31% das exportações neozelandesas de lã, enquanto a China aumentou sua participação para 47%.

As exportações totais de lã no ano que terminou em janeiro de 2012 caíram 8%, mas os maiores preços significaram um valor de exportação 28% maior.

Dawson disse que a queda repentina nas exportações à Austrália é uma preocupação real ocasionada por um aumento nos tapetes de náilon bastante promovidos. "O impacto disso tanto na Austrália como na Nova Zelândia tem sido marcado e as indústrias de tapetes de lã em nossos dois países estão realmente lutando. A queda nas exportações para a Austrália reflete isso e isso deverá ser uma preocupação importante para a indústria em geral e para os produtores de lã em particular", disse ele.

A demanda por lã se manteve estável, mas o alto valor do dólar neozelandês tornou a lã neozelandesa muito cara e prejudicando a capacidade da Nova Zelândia para capitalizar a demanda renovada, disse ele.

A reportagem é da agência Xinhua, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade