Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Chip de genotipagem é um marco para a indústria ovina da Nova Zelândia

postado em 05/09/2013

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

“Uma nova ferramenta de genotipagem de ovinos coloca a indústria ovina da Nova Zelândia à frente do melhoramento genético”, disse o diretor executivo do FarmIQ, Collier Isaacs. O “Ovine Infinium® HD SNP BeadChip” foi recentemente anunciado e significa que o desempenho dos ovinos pode ser previsto por testes de DNA ao invés de extensivos testes de progênie que atualmente são necessários. “A criação do novo chip de alta densidade e seu uso para criar benefícios para produtores comerciais resulta da colaboração entre os setores comercial e científico”, disse Isaacs.

O FarmIQ teve um papel significante no desenvolvimento desse projeto. “Junto com o rendimento e a qualidade da carne, os quais o FarmIQ está interessado, o chip também será usado para melhorar o desempenho nas áreas de produtividade da fazenda e redução nas emissões de gases de efeito estufa”.

“O desenvolvimento desse chip de alta densidade foi um trabalho tão grande e tecnicamente complexo que requereu a experiência, o tempo e as instalações de muitos grupos diferentes. Equipes de cientistas na Nova Zelândia trabalharam com equipes dos Estados Unidos e da Austrália para desenvolver isso”.

Eleanor Linscott, do Consortium Manager for Ovita, disse que com o uso do novo chip o seu trabalho para aumentar a produtividade nas fazendas crescerá e alcançará um novo nível. “Trabalhamos com um chip de densidade menor nos últimos cinco anos e correlacionamos 28 características na fazenda a variantes de DNA. Esse novo chip nos dará mais detalhes sobre essas características”.

O novo chip também preza pela redução nas emissões de metano pelos ovinos visto que pesquisas concluíram que a genética influencia na quantidade de gás emitida a partir da quantidade de alimento ingerida.

O foco do FarmIQ é ter animais com rendimentos conhecidos com relação à produção de carne, bem como com a qualidade da carne ao consumo. O chip também busca construir uma base de dados de correlação entre o genótipo e algumas características expressas. A equipe desenvolvedora do produto testou 5.000 animais usando o novo chip.

A reportagem é do http://www.scoop.co.nz, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Rafael Gomes

Osório - Rio Grande do Sul - Estudante
postado em 09/09/2013

E nós ainda não saímos dos "Grandes Campeonatos" de feiras e exposições...

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade