Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

CNA apresenta proposta para manutenção do rebanho de ovinos e caprinos

postado em 14/03/2013

14 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apresentou uma proposta de linha de crédito para a retenção de matrizes caprinas e ovinas durante a 33ª reunião ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Caprinos e Ovinos, realizada nesta terça-feira, 12 de março, na sede da entidade.

O projeto prevê R$ 250 por matriz retida com limite de até R$ 50 mil por produtor, conforme o tamanho da sua criação (pequena, média ou grande). O prazo sugerido para o pagamento seria de até cinco anos com carência de um ano. “O nosso objetivo é fortalecer o rebanho brasileiro com capital de giro para incentivar o produtor a manter o seu plantel, além de viabilizar plantas frigoríficas e o abastecimento do mercado”, explica o presidente da Comissão Nacional de Caprinos e Ovinos da CNA, Francisco Edilson Maia da Costa.

A proposta ainda depende de aprovação da Câmara e será encaminhada para avaliação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os representantes do setor solicitarão que os recursos para a linha já estejam previstos no Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2013-2014.

No encontro também foi apresentada a nota técnica com as conclusões do estudo de Viabilidade da Planta de Referência. O trabalho é fruto de um estudo realizado pela CNA, pelo Sebrae e pelo Mapa ao longo de mais de um ano e servirá como modelo para a instalação de frigoríficos de animais de médio porte dentro dos critérios ambientais e sanitários estabelecidos pela legislação. “Chegamos à conclusão da viabilidade econômica desta planta. Era uma demanda antiga do setor que agora está sanada. Distribuiremos esse material para cooperativas, sindicatos e associações utilizarem”, declara Costa.

Os outros assuntos debatidos na reunião foram a isenção de PIS/Cofins para a ovinocultura e caprinocultura de corte – a exemplo do modelo de tributação já concedido para a cadeia de produção de bovinos, aves e suínos –, o desenvolvimento e integração produtiva da cadeia da lã entre Brasil e Uruguai e a regionalização do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA), que faz parte do Sistema Unificado de Atenção a Sanidade Agropecuária (Suasa).

As informações são da CNA, adaptadas pela Equipe FarmPoint.A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) apresentou uma proposta de linha de crédito para a retenção de matrizes caprinas e ovinas durante a 33ª reunião ordinária da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva de Caprinos e Ovinos, realizada nesta terça-feira, 12 de março, na sede da entidade.

O projeto prevê R$ 250 por matriz retida com limite de até R$ 50 mil por produtor, conforme o tamanho da sua criação (pequena, média ou grande). O prazo sugerido para o pagamento seria de até cinco anos com carência de um ano. “O nosso objetivo é fortalecer o rebanho brasileiro com capital de giro para incentivar o produtor a manter o seu plantel, além de viabilizar plantas frigoríficas e o abastecimento do mercado”, explica o presidente da Comissão Nacional de Caprinos e Ovinos da CNA, Francisco Edilson Maia da Costa.

A proposta ainda depende de aprovação da Câmara e será encaminhada para avaliação da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Os representantes do setor solicitarão que os recursos para a linha já estejam previstos no Plano Agrícola e Pecuário (PAP) 2013-2014.

No encontro também foi apresentada a nota técnica com as conclusões do estudo de Viabilidade da Planta de Referência. O trabalho é fruto de um estudo realizado pela CNA, pelo Sebrae e pelo Mapa ao longo de mais de um ano e servirá como modelo para a instalação de frigoríficos de animais de médio porte dentro dos critérios ambientais e sanitários estabelecidos pela legislação. “Chegamos à conclusão da viabilidade econômica desta planta. Era uma demanda antiga do setor que agora está sanada. Distribuiremos esse material para cooperativas, sindicatos e associações utilizarem”, declara Costa.

Os outros assuntos debatidos na reunião foram a isenção de PIS/Cofins para a ovinocultura e caprinocultura de corte – a exemplo do modelo de tributação já concedido para a cadeia de produção de bovinos, aves e suínos –, o desenvolvimento e integração produtiva da cadeia da lã entre Brasil e Uruguai e a regionalização do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (SISBI-POA), que faz parte do Sistema Unificado de Atenção a Sanidade Agropecuária (Suasa).

As informações são da CNA, adaptadas pela Equipe FarmPoint. 

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Delcino Tavares da Silva

Joaquim Távora - Paraná - Produtor de cordeiros
postado em 15/03/2013

Gostei da proposta.
Acho muito importante que os produtores sejam capitalizados com um capital de giro de custo baixo e de longo prazo. Parabéns ao CNA. Espero que os legisladores e os gestores  do Ministério da Agricultura tenha sensibilidade para priorizar essa proposta

Gualter Luiz Baldi

Nova Petrolândia - Pernambuco - Ovinos/Caprinos
postado em 15/03/2013

Muito boa proposta. Precisamos de linhas que dê condições de sobrevivência e crescimento dos rebanhos, além da possibilidade de melhor colocação de nossos produtos. Represento a Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos de Petrolândia -  ASCCOPETRO, e necessitamos de um frigorífico especializado em ovinos e caprinos para melhor aproveitar nossa produção. Acredito que, agora, a CNA, o Sebrae e o Mapa estão realmente preocupados com os pequenos e médios produtores. Uma planta de referência para um frigorífico, era o que nos faltava para melhorar os preços de nossos produtos.

Pedro Porto

Vassouras - Rio de Janeiro
postado em 15/03/2013

      Os planos e programas para fomento da agropecuaria no Brasil estao cada vez mais bem elaborados e planejados, com juros subsidiados compativeis com a nossa realidade.Exemplos estes sao varios: Pronaf, Pronaf Mais Alimentos, ABC(carbono), MCR, entre outros... o problema e que estao esquecendo de avisar aos funcionarios do Banco do Brasi, que este dinheiro ja pode ser repassado aos produtores rurais!

Paulo de Tarso dos Santos Martins

Várzea Grande - Mato Grosso - Consultoria/extensão rural
postado em 15/03/2013

Muito boa a proposta, agora aguardamos enciosos a aprovação e validação da mesma.

Francisco José Sales Castro

Fortaleza - Ceará - Produção de ovinos
postado em 15/03/2013

A proposta e muito boa, Parabens: Porem para o Nordeste como sitou o colega de Pernanbuco, é uma questão de sobrevivencia, o Governo precisa tomar medidas urgentes, para evitar a exterminação do rebanho ocasionado pela SECA que estamos enfrentando, e o ano de 2013 com serteza será mais dificil que 2012.

Carlos Otavio Lacerda

São José dos Campos - São Paulo - Produção de leite
postado em 15/03/2013

Excelente a questão da Nota Técnica sobre abate, vai trazer transparência e competitividade à cadeia produtiva da carne de ovinos e caprinos. Farmpoint poderia por favor nos dar mais informações sobre o assunto?

Gualter Luiz Baldi

Nova Petrolândia - Pernambuco - Ovinos/Caprinos
postado em 16/03/2013

Pedro,  Acontece que o Pronaf atende apenas aos agricultores familiares. Se você tiver uma  renda fora da agropecuária, como é o meu caso e de muitos outros, fica de fora.  Assim, acho necessário que o Banco do Brasil, e o Banco do Nordeste, tenham mais atenção, e principalmente, vontade de financiar a ovinocaprinocultura. Linhas existem, só falta vontade para que os gerentes das agências façam as linhas chegarem aos produtores. Por exemplo, aqui em Petrolândia-PE, você só consegue financiamento se tiver Escritura da Terra. E como esta área foi objeto de indenização para a Usina Hidroelétrica Luiz Gonzaga, a Chesf, após mais de 15 anos ainda não conclui as Escrituras. Assim, os agropecuaristas ficam sem acesso às linhas de crédito dos bancos.

vantuir rodrigues dos santos

taguatinga - Distrito Federal - gestão ambiental
postado em 17/03/2013

É de grande  importância que o produtor tenha um capital de giro com juro baixo e longo prazo. Espero que não fique só no papel e que os políticos dêem prioridade a essa proposta;

Eugênio Rodrigues da Silva

Natal - Rio Grande do Norte - Produção de ovinos de corte
postado em 18/03/2013

Parabens a CNA, aguardamos os efeitos dessas propostas que tanto ajuadarão ao desenvolvimento da nossa atividade. Solicito receber as notas técnicas da planta de referência do frigorifico.

Edimo Aires Peres Bordin

Paranavaí - Paraná - Produção de ovinos de corte
postado em 28/03/2013

Faltou na reportagem a taxa de juros para as faixas de  produtores. Oque é considerado pequeno ,medio, grande, na visão do ministerio.

Isa Maria L. Ferreira

Rio de Janeiro - Rio de Janeiro - Produção de leite
postado em 20/04/2013

Boa noite a todos os amigos.
Olá Pedro, lendo algumas postagem sua , vc é criador de ovelhas Lacaune, pois estou com projeto de tb criar, e gostaria de ter mais contato com vc, pois tb sou do Rj, e estou vendo alguns sitios e, Paty de Alferes.
Agradeço sua atenção.
email- isammaria@ig.com.br

Pedro Porto

Vassouras - Rio de Janeiro
postado em 22/04/2013

        Boa tarde Isa Maria!

    Estou a sua disposicao para qualquer duvida ou ajuda. Penei quando comecei, pois todos que sabiam se omitiram. Nao desejo o mesmo a ninguem.
E-mail para contato: araguaiariver@hotmail.com
Tel: (24)24712501.
Paty e bem proximo de Vassouras.
No aguardo, abs, Pedro Porto.

Gualter Luiz Baldi

Nova Petrolândia - Pernambuco - Ovinos/Caprinos
postado em 23/04/2013

Já se passaram mais de 30 dias e ainda não temos notícias sobre a proposta da CNA.
Enquanto isso, os rebanhos vão sendo dizimados pela seca no nordeste.
Faltam recursos para a aquisição de alimentos para os animais, e os bancos, especialmente o BNB-Banco do Nordeste do Brasil, nada sabe a respeito.

Pedro Porto

Vassouras - Rio de Janeiro
postado em 24/04/2013

O pior, sou produtor familiar, pequena propriedade e ja chegou a cobranca do CNA, com o absurdo valor de R$ 99,15,  valor este fora de razao, pois pago um ITR de R$ 10,00.
Nunca recebi nenhum beneficio da CNA, e o que ando lendo, e que ja abriram um escritorio em Pequim e vao abrir outro na Belgica. Como podemos assistir, outra maquina com intuito de cabide de emprego, e mais, ainda tem o nem sei quanto cache do Rei Pele, que nem produtor e!!!!!!!!!!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade