Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Conab projeta queda na produção de grãos devido à seca

postado em 10/02/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Problemas regionalizados como a estiagem no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina afetaram a produção das lavouras de soja, milho e trigo. A quebra na produção de milho no Rio Grande do Sul chega a 40%e, em Santa Catarina, 35%. A situação agrícola foi apresentada durante o quinto levantamento da safra 2011/2012 de grãos, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), nesta quinta-feira, 9 de fevereiro, em Brasília.

Para o secretário de Política Agrícola do ministério, Caio Rocha, o governo já está adotando medidas de apoio à comercialização do milho e também para o trigo para amenizar os prejuízos dos produtores rurais. Portaria autorizando o leilão de trigo foi publicada hoje, no Diário Oficial da União (DOU).

O levantamento realizado pela Conab, entre os dias 16 e 21 de janeiro, destaca o crescimento de 6% na produção de milho safrinha. Fatores como preço, adoção de tecnologias, como o uso de fertilizantes, e também as condições climáticas favoreceram o incremento da produção do milho safrinha, no entendimento do secretário. Os estoques de passagem chegam a 1,8 milhões de toneladas de milho no país, grande quantidade no Mato Grosso, indica que não haverá desabastecimento do produto no mercado interno.

O diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Sílvio Porto, lembrou que a estiagem que começou em novembro no Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Mato Grosso do Sul se acentuou em meados de dezembro, gerando quebra nas lavouras de milho e soja. Paraná plantou sementes de variedades precoces, suscetíveis às condições climáticas. "Os produtores arriscaram colher a soja e resolveram plantar mais cedo o milho. Foi uma aposta equivocada. Cada semana que passa, temos percebido a recuperação das chuvas no Rio Grande do Sul mas a situação ainda é preocupante. Com relação à soja, os próximos levantamentos poderão se reajustados em valores menores", alertou Porto.

Ele acrescenta que o clima favorável no Mato Grosso, onde os produtores já colheram a soja e plantam milho safrinha foi positivo. "Vamos ter uma compensação de produção crescimento da área de 29% em relação ao ciclo anterior, um incremento de 25 milhões de toneladas", disse.
A matéria é do Mapa, adaptada pela Equipe Agripoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade