Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Dilma decide manter Wagner Rossi no Ministério da Agricultura para evitar problemas políticos

postado em 17/08/2011

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A presidente Dilma Rousseff decidiu manter Wagner Rossi no Ministério da Agricultura para não brigar com o PMDB do vice-presidente Michel Temer, mesmo com todas as denúncias de suposto tráfico de influência envolvendo o ministro. Em contrapartida, Dilma vai impor uma faxina nos cargos hoje ocupados por amigos de Rossi. Há 12 pessoas que ocupam cargos hoje na Agricultura, por indicação política e amizade com o ministro, que estão na mira da presidente e devem ser substituídos por nomes técnicos.

Essa é a base do acordo de convivência com a base aliada, que tem no vice-presidente da República - eleito com ela na mesma chapa - um dos seus principais líderes. Temer é o padrinho da nomeação de Rossi.

Segundo informações de auxiliares da presidente da República, Dilma fará o máximo de esforço para evitar repetir com o PMDB a experiência traumática que vive com o PR, alijado do Ministério dos Transportes. O PR na terça-feira, 16, abriu mão dos cargos que ocupa no governo e disse que atuará com independência nas votações no Congresso.

Por causa da tensão na base, a presidente aceitou manter Rossi - pelo menos por enquanto, por não considerar graves as denúncias contra o ministro. Ela sabe que não pode perder o apoio do PMDB, além do agravante de o presidente do partido ser também o seu vice. Temer tem hoje o controle quase absoluto do partido, apesar dos peemedebistas dissidentes, como os senadores Jarbas Vasconcellos (PE) e Pedro Simon (RS).

Apesar das concessões ao PMDB, Dilma demonstra algum controle sobre a pasta da Agricultura. Um dos exemplos é a nomeação de José Gerardo Fontelles para a Secretaria Executiva do ministério, em substituição a Milton Ortolan, que pediu demissão no dia 6 após a revista Veja divulgar a ligação dele com o lobista Júlio Fróes. Fontelles havia sido secretário executivo do ministro anterior, o deputado Reinhold Stephanes. É um técnico com 40 anos de carreira.

A matéria é de João Domingos, publicada no jornal O Estado de São Paulo, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Darlani de Souza Porcaro

Muriaé - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 17/08/2011

A nossa presidenta está de parabéns, essa turma da mamata estava já acostumada com a negligência do Sr. Lula , que não sabia de nada o que estava acontecendo. Espero que a Sra.  Dilma moralize todos os seguimentos de seu govêrno, e dê satisfação primeiramente ao povo que à elegeu ,antes de qualquer partido.

ANTONIO AUGUSTO REIS

Varginha - Minas Gerais - Produtor Rural
postado em 17/08/2011

É preocupante como a máfia está instalada em nossas instituições/repartições,etc,etc. Todo lugar que mexe encontra-se maracutaia.

Temos que avançar no combate a esses desvios no tempo certo, mas de forma constante. A Presidenta Dilma talvez esteja certa. Se resolver apurar tudo que está errado de uma só vez, o país para.

Somente através de denúncias bem fundamentadas conseguiremos mitigar os efeitos perverso da corrupção no país.

A imprensa está prestando um bom serviço ao país, permitindo o crescimento da presença mais acentuada da meritocracia nos postos de comando. ESTAMOS AVANÇANDO...

Louis Pascal de Geer

Barretos - São Paulo - Consultoria/extensão rural
postado em 17/08/2011

Que pena de ver um ministro de Agricultura sendo mantido no cargo por medo da presidente Dilma de ter um confrontação com o PMDB do Temer.


Que pena para um setor que no mesmo tempo é tão importante para o bem estar do País, mas é infelizmente tão mal tratado.


Um ministro na corda bamba não serve, na minha opinião, para representar a agro-pecuaria de uma maneira que faz jus ao povo brasileiro que vive e trabalha na terra!

carlos anastacio r. moura

Dom Pedrito - Rio Grande do Sul - compra e venda de gado gordo e invernar
postado em 17/08/2011

Brasil rumando para o primeiro mundo, agricultura e pecuária fortes povo trabalhador e ordeiro e politicos corruptos.

Falta educação e a saúde é um caos, não temos estradas para escoar a produção, não temos segurança.

Depois reclamam quando somos classificados como um país que NÃO É SERIO.

Fabiano Rodrigues Justino

São Luís de Montes Belos - Goiás - Analista de Qualidade
postado em 18/08/2011

Resumindo tudo: A maracutaia continua. Vão continuar saracutiando com dinheiro público e nós vamos continuar sendo "burros de carga". O que mais me impressiona é a capacidade deplorável do brasileiro de aceitar ser roubado descaradamente sem tomar atitude nenhuma.


Se o ditado que diz que cada povo tem o governo que merece então nós brasileiros somos a escória desse planeta.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade