Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa: cordeiros oriundos da coleta de embriões por meio não cirúrgico nascem

postado em 04/09/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os primeiros cordeiros oriundos da coleta de embriões, por meio não cirúrgico, da raça Crioula Lanada nasceram nos dias 24 e 25 de agosto, na Estação Terras Baixas (ETB), da Embrapa Clima Temperado. Os animais são resultado da coleta transcervical de embriões, realizada no Curso de Biotécnicas da Reprodução em Ovinos. O objetivo da ação é preservar raças em extinção, além de consolidar um método de coleta de embriões não invasiva para os ovinos.

"O procedimento convencional de coleta de embriões é feito por via cirúrgica e nós utilizamos uma nova técnica desenvolvida pelo professor Alberto Gusmão da UFBA. Nessa técnica a coleta é feita por via transcervical, não gerando lesões na fêmea", expôs o professor da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) Arnaldo Vieira. Ele ainda destaca que o problema de cruzamento com outras raças, de maior produção, pode gerar o desaparecimento das Crioulas Lanadas, diminuindo a variabilidade genética da espécie, já que no Brasil não existe nenhuma raça nativa e sim raças nacionalizadas que foram trazidas pelos colonizadores. "O objetivo principal de preservar essa raça é uma futura identificação de gene que possa ser importante em termos de produtividade futura".

Além de ser a primeira vez que a técnica foi utilizada em animais lanados, também marcou o início da transferência de embriões para outras fêmeas, ao contrário do que geralmente é feito, quando os embriões são congelados e conservados em Bancos de Germoplasma. Nove fêmeas receberam o material genético, resultando em 11 cordeiros em ótimo estado de saúde. Segundo a pesquisadora da Embrapa Clima Temperado Ligia Pegoraro, esse é o primeiro relato efetuado no país de coleta transcervical e com nascimento de produtos na raça Crioula Lanada.

O curso, realizado em abril deste ano, capacitou médicos veterinários quanto à tecnologia que pode tranquilamente ser usada por produtores para multiplicação de animais de produção e melhoramento genético. O trabalho é resultado da parceria entre as Unidades Clima Temperado e Pecuária Sul, da Embrapa, além da Faculdade de Medicina Veterinária e Departamento de Zootecnia da Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade Federal da Bahia (UFBA).

As informações são da Embrapa Clima Temperado, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade