Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa e ABCOL debatem estratégias para leite ovino

postado em 01/03/2011

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral-CE) recebeu nesta segunda-feira (28) o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Ovinos Leiteiros (ABCOL), Érico Tormem. Em reunião com pesquisadores das linhas de Melhoramento Genético Animal e de Ciência e Tecnologia de Alimentos, Érico apresentou demandas do setor que, segundo ele, podem ser priorizadas em estratégias de pesquisa e inovação para o desenvolvimento da ovinocultura leiteira. Entre elas, o melhoramento genético e a organização da cadeia produtiva.

"Há um grande potencial para o leite de ovelha no campo, principalmente no caso de pequenos produtores. E os produtos desse leite podem ser de ótima qualidade. O que ainda falta são programas de desenvolvimento do setor e até mesmo melhor informação: já estive em feiras agropecuárias onde até mesmo produtores de ovinos não sabiam que o leite poderia ser explorado", afirmou Érico. O presidente da ABCOL também ressaltou a necessidade de importação de reprodutores da Europa e de solucionar gargalos na cadeia, para garantir melhor estrutura e mercado consumidor ao leite ovino.

Na avaliação do pesquisador Octavio Morais, da área de melhoramento genético, a ovinocultura de leite concede "oportunidades interessantes" para produtores brasileiros. "Ela permite aos ovinocultores a exploração de mais um produto, além da carne, pele ou lã", afirmou ele. Octavio também destacou que os derivados do leite ovino ocupam um nicho específico de mercado, já com clientes fiéis em estados como Minas Gerais. Segundo Octavio, apesar da atividade hoje estar mais concentrada nas regiões Sul e Sudeste do país, há a possibilidade de se testar raças como Assaf, Awassi e Lacaune nas demais regiões brasileiras.

Para Raimundo Lobo, também pesquisador de melhoramento animal, é importante que haja um processo controlado de importações de material genético. "Percebo que há um setor produtivo bem focado, que não quer tanto volume de produção, mas busca garantir mercado e qualidade para seus produtos", afirmou Lobo. O chefe-geral da Embrapa Caprinos e Ovinos, Evandro Holanda Junior, propôs ao presidente da ABCOL a elaboração de um plano de trabalho para a definição de diretrizes para o setor, com envolvimento da Embrapa, produtores e outras instituições parceiras. Ao fim da reunião, houve degustação de produtos derivados do leite de ovelha.

Atualmente, o rebanho de ovinos leiteiros no Brasil conta com cerca de seis mil matrizes. A atividade tem maior concentração nos estados de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo, Paraná e Minas Gerais, com produção que lida principalmente com as raças Lacaune, East Frisian e Bergamácia.

As informações da Embrapa Caprinos e Ovinos, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Wilson Ashidani

Madre de Deus de Minas - Minas Gerais - Cereais, reflorestamento e ovinocultura corte
postado em 04/08/2012

Na ovinocultura, as atividades leite/corte acabam por se inter-relacionarem mais que noutras cadeias das carnes. Afinal, pra se obter precocemente um bom cordeiro com carcaça apresentando ótimo acabamento, é essencial que a matriz que o gerou e o amamentou nesse período tenha também aptidão leiteira.
Me parece que existem raças leiteiras excelentes, rústicas, e com boa configuração de carcaça que podem ser utilizadas nos cruzamentos.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade