Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa: estudo mostra perfil dos ovinos do Pantanal

postado em 08/12/2009

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Uma pesquisa de caracterização do sistema de criação de ovinos naturalizados do Pantanal avaliou as pastagens nativas preferidas por esses animais. A pesquisadora Sandra Santos, da Embrapa Pantanal, constatou que os ovinos preferem as pastagens de menor porte e superpastejadas que estão localizadas próximo das sedes das fazendas avaliadas.

As principais forrageiras consumidas variaram conforme os tipos de pastagens nativas existentes nas fazendas, tais como capim-mimoso e capim-mimosinho, geralmente presentes nas áreas mais baixas e intermediárias do Pantanal.

Próximo às sedes, eles consomem espécies forrageiras comuns de locais perturbados (muito pisoteados) como a grama-de-burro e a grama-forquilha. Das espécies forrageiras exóticas, observou-se que os ovinos consomem Brachiaria humidocola e Panicum repens, embora prefiram as forrageiras nativas de áreas baixas do Pantanal, como bordas de lagoas e vazantes. "Em uma das fazendas, observou-se que os animais procuravam avidamente folhas de seriquela, ricas em proteína", comentou Sandra.

Amostras de fezes foram colhidas para análise microhistológica da dieta, que será feita no laboratório de Dieta Animal da Embrapa Pantanal (Corumbá-MS), Unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A pesquisa constatou que, de maneira geral, ocorreu um grau muito baixo de infecção em todas as fazendas durante o período de amostragem (final da seca). Mas a pesquisadora afirma que essa coleta precisa ser refeita no período de cheia, quando a ocorrência de infecções é mais comum. Adicionalmente será importante realizar esta coleta de forma comparativa com raças comerciais na região para evidenciar a rusticidade deste animais.

Ao todo, oito fazendas tradicionais foram pesquisadas. Todas criam ovinos nas mesmas pastagens de outras espécies de animais domésticos e utilizam apriscos (estrutura para recolher os animais) para proteção do rebanho durante a noite. Os principais predadores são o porco monteiro, a onça parda e o carancho.

O estudo indicou ainda que cada propriedade apresentou, em média, 80 animais. Outro dado importante é que apenas 20% dos ovinos recebiam sal mineral específico, de forma que a grande maioria recebia mineralização conjunta com os bovinos.

A reportagem é da Embrapa Pantanal, resumida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade