Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa lança Cordeiro Acaraú

postado em 27/12/2011

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Sobral Cordeiro Acaraú, esta é marca de uma proposta inicial de projeto tocado a quatro mãos na Zona Norte do Ceará. A proposta vai se transformar, a partir de 2012, em Projeto de Desenvolvimento da Cadeia de Carne Ovina de Qualidade na Região de Sobral. A ideia é que exista uma produção de ovinos para suprir o mercado e que os produtores sejam beneficiados, fazendo com que não haja apenas animais para exposição, mas também para consumo humano.

"Queremos que os produtores possam produzir as técnicas desenvolvidas na Embrapa Caprinos e Ovinos e parceiros um cordeiro de qualidade que gere negócios, emprego e renda", revela o chefe adjunto de Transferência de Tecnologia da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Caprinos e Ovinos, Francisco Selmo Fernandes Alves.

A proposta já cumpriu algumas etapas, neste ano, com a identificação de mercado e caracterização dos produtores. Para 2012, deve seguir já com possibilidade de um maior envolvimento das instituições e dos produtores escolhidos.

Centrais

Serão criadas centrais de terminação, onde o animal, após a engorda, será abatido para beneficiamento. A localização dessas centrais de terminação está ainda sendo escolhida em Sobral. "A princípio, temos ideias para a localização das centrais tendo em vista aquelas que viabilizem o processo, mas nada impede de avaliar outros locais", esclarece Selmo Alves.

O que as entidades envolvidas na proposta Cordeiro Acaraú querem é que o animal seja bem tratado para um beneficiamento de qualidade. As exigências para o bem-estar animal é uma forte tendência de mercado. Em países da Europa, por exemplo, produtos de origem animal só podem ser comercializados com a certificação do bem-estar das espécies, ou seja, os animais não passaram por situação de dor ou sofrimento na geração do produto.

"Isto, desde que siga o modelo que estamos estabelecendo de direcionamento de uma inspeção animal, selecionando frigoríficos e uma organização de unidade de corte" salienta Selmo.

As centrais de terminação serão aglomerados de produtores organizados que podem criar separados ou mesmo em ambiente em conjunto com objetivo de terminação dos cordeiros.

Os primeiros passos para a proposta do Cordeiro Acaraú já foram dados. O marco zero foi o diagnóstico do setor em Sobral. Houve uma análise de mercado da carne caprina e ovina comercializada no Município. Foi feito levantamento de sete estabelecimentos que comercializam o produto (restaurantes, supermercados e açougues). Os técnicos agora cruzam os dados para organizar um relatório que deve ser discutido em um encontro com todos envolvidos.

A Embrapa, a Prefeitura de Sobral, por meio da Secretaria de Agricultura e Pecuária, e as instituições em Sobral fazem parte do Comitê Gestor que coordena a proposta com objetivos de tratar assuntos tecnológicos e não tecnológicos.

Alinhamento

A proposta visa especialmente desenvolver a cadeia produtiva da ovinocultura de corte da Zona Norte, desde o produtor rural até o consumo final. Nas reuniões já realizadas, foi discutida a proposta para promover o alinhamento entre Embrapa, Ematerce, Instituto Agropolos, Adagri, Sebrae, Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA), Instituto Federal de Educação do Ceará (IFCE), Associações de criadores, Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado do Ceará (Fetraece), Prefeitura de Sobral (Secretaria de Agricultura e Pecuária), Governo do Estado (Secretaria de Desenvolvimento Agrário) e Banco do Nordeste do Brasil.

Com a identificação das características do mercado consumidor e das necessidades tecnológicas dos produtores rurais, a proposta partirá para a formatação final do projeto, capacitação dos técnicos e, em seguida, dos produtores. O projeto poderá colaborar de forma participativa para planejar as políticas públicas para o desenvolvimento desse segmento.

Já transformado em projeto, o Cordeiro Acaraú pretende também realizar um evento para divulgar e validar as informações obtidas pelas instituições parceiras, aos técnicos e produtores rurais, agentes de desenvolvimento e comercialização.

Metodologias

"Essa é a ideia de que o projeto tenha como dono todas as instituições e os produtores envolvidos. Por isso, vamos discutir com todos as formas de entendimento do projeto, validação de metodologias, a captação de recursos para realizar as ações, planejar de forma participativa as capacitações aos técnicos e produtores rurais", salienta Francisco Selmo Alves.

A busca por recursos para viabilizar o projeto será a próxima etapa. "Com os recursos, as ações integradas acontecerão desde reuniões entre os parceiros e produtores ao planejamento e monitoramento das atividades realizadas e tomada de decisões estratégicas", enumera.

Há ainda, na proposta, toda definição da gestão dos recursos financeiros e a elaboração de relatórios e estratégias de divulgação dos resultados obtidos.

Festival do Borrego será estratégia de divulgação

Sobral Entre as estratégias de divulgação do Cordeiro Acaraú, está a realização anual do Festival do Borrego. "Vamos realizar o festival gastronômico para conhecimento dos pratos que podem ser derivados do Cordeiro Acaraú", informa a secretária de Agricultura e Pecuária de Sobral, Luíza Barreto.

Luíza Barreto destaca que o Cordeiro Acaraú começou a ser gestado em março passado. "Vamos envolver inicialmente 200 produtores de pequeno e médio porte para gerarmos animais para o corte. Queremos o selo Cordeiro Acaraú, oferecendo uma carne de qualidade e uniforme. O projeto se propõe, então, a organizar a cadeia produtiva da ovinocaprinocultura de corte na região e desenvolver a médio prazo um projeto, que produza cordeiros padronizados e, no futuro, com selo com identificação geográfica", diz a secretária.

A implantação de um núcleo de melhoramento genético de ovinos na Embrapa consta na proposta. Também está na unidade a seleção de produtores multiplicadores na Região de Sobral. Outro ponto de destaque é a implantação de escrituração zootécnica nas propriedades de produtores multiplicadores. Há ainda a previsão, como condição fundamental, de avaliação genética constante dos rebanhos.

Para a transferência de tecnologia, a proposta estabelece a capacitação continuada para técnicos, viagens técnicas para os produtores e técnicos multiplicadores. "Lá eles vão visitar arranjos produtivos com projetos de sucesso na área", afirma o chefe adjunto de Transferência de Tecnologia da Embrapa Caprinos e Ovinos, Selmo Alves.

Ele aposta no sucesso do programa citando um pensamento de Brandão: "A grande vocação é a maior aventura humana residem no aprender a saber, no partilhar o saber, e no transformar vidas pessoais e mundos sociais por meio de um saber tornado ação, e uma ação coletiva vivida como processo de formação".

Mais informações

Embrapa Caprinos e Ovinos
Fazenda Três Lagoas
Estrada Sobral-Groaíras Km 4
Zona Norte do Estado
Fone: (88) 3112.7455

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

HERMEZIO SERRANO FILHO

Brasília - Distrito Federal - Instituições governamentais
postado em 23/02/2012

Gostaria de obter informações técnicas e resutados do referido projeto.

Hermézio Serrano Filho

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade