Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa mapeia as principais doenças de caprinos e ovinos no Brasil

postado em 14/03/2012

7 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Está em fase avançada os estudos realizados por pesquisadores da Embrapa Caprinos e Ovinos em nove estados do Brasil para identificar o nível de infecção dos rebanhos de pequenos ruminantes pelas nove principais doenças que afetam caprinos e ovinos.

O trabalho de campo foi concluído no Nordeste e estão sendo coletadas amostras nos três estados de outras regiões do país. A pesquisa, iniciada em janeiro de 2009, resultará na caracterização do perfil zoossanitário da caprinocultura e da ovinocultura tropical por território.

Três das doenças são contempladas pelo Programa Nacional de Sanidade de Caprinos e Ovinos (PNSCO), do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA): Artrite Encefalite Caprina (CAE), Maedi-Visna (MVV) e Brucelose Ovina. O resultado da pesquisa envolvendo esse grupo irá subsidiar o estabelecimento do programa e orientar políticas públicas e privadas para o controle das enfermidades.

As outras seis doenças impactam negativamente a produtividade dos rebanhos, daí a importância do diagnóstico. Trata-se de Linfadenite Caseosa, Clamidofilose, Neosporose, Toxoplasmose, Língua Azul e Leptospirose. Para prevenir as doenças, é necessário aplicar as técnicas de manejo sanitário de pequenos ruminantes.

A Embrapa oferece tais instruções em documento disponibilizado no link: http://www.cnpc.embrapa.br/admin/pdf/03155000120122.doc77.pdf

Os estados que participam das análises são os que possuem maior representatividade na caprinocultura e na ovinocultura tropical. Seis estão na região Nordeste (Ceará, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Sergipe e Bahia), um estado é da região Centro-Oeste (Mato Grosso do Sul) e dois do Sudeste do Brasil (Minas Gerais e Rio de Janeiro). Para mapear os outros estados da federação, os pesquisadores preveem um novo projeto.

A atuação em cada estado consiste na coleta de amostras de sangue em várias propriedades para o diagnóstico das doenças de caprinos e ovinos e na aplicação de questionário aos produtores, contemplando os temas nutrição, reprodução, sanidade e manejo geral. Relacionando os diagnósticos clínicos e os questionários, a pesquisa identificará os fatores de risco e o impacto econômico das enfermidades.

A Embrapa tem como parceiros no projeto universidades, institutos federais de educação, ciência e tecnologia e institutos estaduais de extensão rural. Quatro trabalhos de mestrado e doutorado já foram produzidos a partir da pesquisa e as informações foram apresentadas em oito eventos científicos.

As informações são da Embrapa Caprinos e Ovinos, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (3 estrelas)

Comentários

Luiz Alberto Oliveira Ribeiro

Porto Alegre - Rio Grande do Sul - Pesquisa/ensino
postado em 14/03/2012

Bastante mérito no levantamento de enfermidades em ovinos/caprinos no rebanho brasileiro. Entretanto gostaria de comentar duas preocupações: i. no grupo de doenças monitoradas não encontrei scrapie (doença bastante grave e de prevalência crescente em nossos rebanhos pedigree), ii. em nosso ponto de vista não constam da pesquisa as duas doenças mais prevalentes e com enorme impacto econômico que são footrot e verminose gastrintestinal e finalmente  iii.por que o RS, que possui o maior rebanho ovino do país, não foi incluído no estudo?

Cecília José Veríssimo

Nova Odessa - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 17/03/2012

Lembro também da linfadenite caseosa e ceratoconjuntivite, além, é claro, das doenças comentadas pelo prof. Ribeiro.
O levantamento feito pelo Instituto Biológico, em São Paulo, avaliou muitas doenças infecciosas e parasitárias, mas não entrou na avaliação o footrot (que tem altíssima prevalência no Estado).

GILBERTO VARGAS LIMA

Magé - Rio de Janeiro - Produção de caprinos de corte
postado em 08/11/2012

        BOA NOITE
TENHO UM PEQUENO REBANHO DE CAPRINOS E OVINOS,OCORRE  QUE A  3 MESES + OU  -  COMPREI  UNS ANIMAIS NO ESCURO SO QUE OS ANIMAIS AO AMANHECER TINHA 2 MORTOS E OS OUTROS ESTAVAM MUITOS MAGROS E DOENTES. BEM NO OUTRO DIA ENTREI COM TERRAMICINA L\A  E VERMIFUGO INJETAVEL + RAÇÃO  JA QUE EU NÃO TENHO PASTO E ALEM DOS ANIMAIS CONTINUARAM A MORRER E CONTAMINOU MEUS ANIMAIS SADIOS.    CONCEGUI CONTROLAR A MORTANDADE  MAIS DERREPENTE  DEPOIS DOI(2)S ANIMAIS MELHORAREM E PEGAREM CORPO DE DOIS EM DOIS DIAS ESTÃO MORRENDO E COM BOM CORPO . NÃO VEJO SINAIS DE FERIMENTOS OU PICADAS,BABAS,LINGUA ROXA OU QUALQUER SINTOMAS DE DOENÇAS.   EU SEMPRE CRIEI CAPRINOS E OVINOS E NUNCA TIVE ESTES PROBLEMAS NOS MEUS ANIMAIS E NUNCA PERDI ANIMAIS COM ESTES SINTOMAS.        PRECISO DE ORIENTAÇÃO JÁ QUE NÃO EXISTE SINTOMAS VISÍVEIS  A PROPOSITO AMANHà ENTRAREI EM CONTACTO UM  VETERINÁRIO

deizinho

Seabra - Bahia - Estudante
postado em 14/01/2014

meu animal esta com baba e lingua roxa ele tem dois messes é um caprino devo da

Roberto Monzem

Jundiaí - São Paulo - Técnico
postado em 06/04/2014

Orelha do ovino com casca e provocando coceira foi aplicado 1ml de vermectina e apos 7 dias foi repitido não melhorou apareceu mais cascas dentro da orelha oque é eo que devo fazer

nilson

Bodoquena - Mato Grosso do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 27/04/2014

eu tenho umas cabeças de ovinos faço uso de terramicina q nesc. vacino toda as vacina faço uso de vermifigo repercol; e ivomek oral dosagem certa ok e hj me dei apar um bovino doente passando mal n conseguia parar em pé ferifiquei a capa do olho dela branco muitos disse q é verme mas eu aplico vermifugo porque acontece isso o q devo fazer orientaçao     

Jaime de Oliveira Filho

Itapetininga - São Paulo - Ovinos/Caprinos
postado em 28/04/2014

Nilson
Vamos ver se posso ajudar! 1
  O fato de vc estar dando vermifugo a seus animais  não quer dizer que vc esta fazendo com que vc elimine os vermes deles,vamos aos pontos:
  1- Vermifugar o rebanho só com um princípio ,até que vc note que não está fazendo mais efeito;(vc tá dando 2 tipos),quando deixar de fazer efeito,procure dar outro princípio,tem que ser diferente do que vc tá dando,pois com o tempo,principalmente se for com mau uso os vermes adquirirão resistência e o vermifugo não faz mais efeito.
  2  - vc precisa acompanhar com o processo FAMACHA,que o método que vc usou para ver a capa do olho do bovino,e se esse método em seus ovinos para vermifugar somente que precisa,conforme o FAMACHA;
  3- O FAMACHA  deve fazê-lo na época de chuvas de 15 em 15 dias e no tempo seco a cada 30 dias;
  4- dependendo da categoria dos bovinos tem alguns vermes que ataca as duas espécies;precisa vermifugar ambos.
  5- Procure crias padrão de conduta em seus animais(gestão),para vc ter um histórico de cada ;

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade