carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa Pecuária Sudeste lança software para controle de verminose em ovinos

postado em 30/07/2014

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Sistema para Análise de Risco de Desenvolvimento de Resistência Parasitária a anti-helmínticos em Ovinos (SARA) identifica os fatores na propriedade que podem aumentar a proliferação de vermes nesses animais, orientando o criador quanto a melhor opção de manejo. O software, gratuito, on-line e de fácil utilização, vai auxiliar na tomada de decisões.

A verminose ainda é um dos grandes desafios da ovinocultura e um dos maiores problemas enfrentado pelos produtores. Os prejuízos vão desde gastos na compra de vermífugos até a perda de animais.

De acordo com a pesquisadora, Simone Cristina Méo Niciura, a tecnologia, além de ter impacto na melhoria do manejo, pode reduzir o uso de medicamentos veterinários. O SARA fornece um relatório com orientações de estratégias de controle de parasitas e de utilização racional de anti-helmínticos, visando retardar o desenvolvimento da resistência parasitária nos rebanhos ovinos. O SARA está disponibilizado em http://tecnologias.cppse.embrapa.br/sara.

Além do software, a Embrapa Pecuária Sudeste vai apresentar durante a Agrifam o sistema de integração lavoura-pecuária-floresta (iLPF), uma alternativa para diversificar a renda do produtor rural e reduzir os impactos ambientais.

Quando o pecuarista inclui florestas no sistema de produção, ele proporciona bem-estar aos animais, aumenta a produção de carne e, ainda, dispõe de uma fonte de renda adicional. O sistema de integração envolve a produção de grãos, fibras, madeira, energia, leite ou carne na mesma área, em cultivo consorciado, em sucessão ou rotacionado.

Vários modelos de iLPF já são utilizadas. Não existe um padrão que funcione em todas as situações. Por isso, é importante que o produtor conheça as possibilidades e busque a melhor alternativa para sua realidade. Basicamente ocorre o plantio, durante o verão de culturas agrícolas anuais (arroz, feijão, milho, soja ou sorgo) associadas a espécies forrageiras e árvores.

A pastagem após a cultura agrícola é utilizada para engorda de animais, ou para palhada, auxiliando a recuperação de matéria orgânica no solo para plantio direto. As árvores geram sombra para os animais, garantindo melhor ambiência e, ainda, proporcionam renda extra ao produtor, com a venda da madeira.

As informações são da Embrapa Pecuária Sudeste, adaptadas pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Francisco Teixeira Lucio

Porto Velho - Rondônia - Ovinos/Caprinos
postado em 08/08/2014

GOSTARIA DE SABER DA EFICACIA  DAS VAC. CERATOCONJUTIVITE, FOOT ROT.,E CROSTIDIOSES, AGUARDO RESPOSTA. POIS OU PEQUENO PRODUTOR, E, EM RONDONIA, A OVINOCULTURA É IRRELEVANTE, POR FAVOR ME AJUDEM. LUCIO

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade