Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Espanha: Consórcio demanda sistema claro de preços

postado em 06/01/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O Consórcio de Promoção de Ovinos, grupo de produtores de ovinos e caprinos mais importante da Espanha, quer uma regulamentação de "boas práticas comerciais" que evitem desajustes no setor e estabeleça um sistema "transparente" de preços e quantidades de referência.

Para isso, o Consórcio propõe que o Real Decreto Lácteo que atualmente se discute no Ministério inclua a "obrigatoriedade de que todas as transações de leite de ovelha e de leite de cabra sejam realizadas mediante contrato, com pelo menos fixação de preços de entrega ou uma indexação de preços para leite de ovelha e cabra". O Consórcio de Promoção de Ovinos, com sede em Villalpando, incide especialmente na consolidação do preço do leite de ovelha e de cabra na França; preço de venda ao público dos queijos de ovelha, cabra e misturados; produtos industriais (gordura, proteínas, leite em pó, etc.); e preço das matérias-primas de alimentação animal (soja, aveia, milho, algodão, cevada, polpa, alfafa e girassol).

Também se propõe a fixação de quantidades de entrega, de forma que "o volume previsto para os meses de dezembro a maio deverá ser conhecido no mês de outubro, enquanto que o volume de entregas para os meses de julho a novembro deverá ser conhecido no mês de maio". Eles também querem a fixação de um "período de garantia de 6 meses, de dezembro a maio, e de junho a novembro, com pré-aviso de 4 meses para qualquer circunstância que seja contrária ao acordo inicial".

Outra preocupação do Consórcio de Promoção de Ovinos é a identificação de origem de queijos "com o fim de combater a invasão derivada das importações, que não respondem aos gostos nem às expectativas dos consumidores e cujo controle de qualidade deveria estar vigiado como o de queijos do mercado nacional". Nesse sentido, "é obrigado vincular o produzido com o transformado através de sistemas de rastreabilidade que identifiquem o primeiro produtor e o primeiro comprador".

Os produtores demandam também um "apoio decisivo por parte das instituições ao modelo cooperativo de integração, com relação às boas práticas comerciais, outorgando o tratamento do setor estratégico à pecuária que permita ações efetivas e rápidas no apoio do setor em momentos de crise, como os atuais".

A reportagem é do Eurocarne, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade