Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

EUA analisam condições de carne ovina do Uruguai

postado em 16/03/2007

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Reportagem do jornal El País informou que estão ocorrendo duas missões sanitárias dos Estados Unidos no Uruguai. Por um lado, uma equipe de técnicos do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) está fazendo auditoria do sistema de vigilância epidemiológica aplicado no Uruguai para se manter livre de febre aftosa, bem como todo o trabalho realizado no país desde 2001 para recuperar os mercados e demonstrar que não há atividade viral em campo.

As amostras de sangue habitualmente realizadas pelo Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca (MGAP) são a prova mais eficiente de que não existe vírus em campo. Nos estabelecimentos pecuários, os ovinos convivem com os bovinos, mas só esta última espécie recebe a vacina de forma que, se houvesse vírus vivo, os ovinos seriam os primeiros a pegar a doença.

Porém, a Direção Geral de Serviços Pecuários do MGAP do Uruguai, com o apoio do Secretariado Uruguayo de la Lana (SUL), fez outro trabalho que vigia os ovinos que sofrem de enfermidades podais e que estariam mais vulneráveis a contrair aftosa, no caso hipotético de haver vírus vivo. Esta é outra prova científica que assegura a inexistência de aftosa no Uruguai.

Os técnicos dos EUA levarão mais dados para terminar a análise de risco antes de uma possível entrada da carne ovina uruguaia neste país. Este é um grande anseio do setor de carnes do Uruguai e dos produtores porque o mercado norte-americano ajudaria nas vendas de carcaças ovinas pesadas.

Em paralelo, outra equipe técnica de inspetores norte-americanos revisa 23 frigoríficos e depósitos de frio habilitados para exportar carne bovina desossada e maturada aos EUA, o principal mercado.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade