Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

EUA confirmaram abertura de mercado para carne ovina uruguaia

postado em 19/11/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os Estados Unidos habilitaram a entrada de carne ovina uruguaia sem osso e maturada. O mercado ficará efetivo a partir do dia 29 de novembro, após uma extensa negociação que começou em junho de 2005. O presidente da Associação da Indústria Frigorifica do Uruguai (Adifu), José Costa, disse que a entrada de carne ovina maturada e desossada nos Estados Unidos “é uma grande notícia”, não somente por somar um mercado tão seleto, mas também, porque facilitará nas negociações ao “acesso de outros destinos de alto potencial”.

O vice-ministro da Agricultura dos Estados Unidos, Edward Ávalos, anunciou que a abertura do mercado será efetivada em 29 de novembro, uma vez que se chegou a um acordo sobre o certificado sanitário. A norma final foi publicada no Registro Federal dos Estados Unidos em 13 de novembro. Diferentemente do caso da carne bovina, na carne ovina não existe cota.

Nos Estados Unidos, a carne uruguaia deverá competir com a exportada pela Austrália e Nova Zelândia. O ministro da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai, Tabaré Aguerre, entregou a Ávalos o pedido formal para que o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) comece a estudar a possibilidade de admitir carne ovina uruguaia com osso; são muito poucos os mercados que permitem entrar com cortes com osso procedentes de um país livre de febre aftosa com vacinação.

Ávalos disse que os Estados Unidos têm interesse em colocar no Uruguai animais em pé e produtos pecuários. Em torno desse ponto, todavia, continua a negociação entre os serviços sanitários de ambos os países, além do compromisso das autoridades uruguaias em dar esse passo.

O Uruguai começou a negociar a entrada de carne ovina sem osso nos Estados Unidos em 30 de junho de 2005. “É um mercado muito importante por seu tamanho e por seu consumo”, disse Aguerre. A abertura dos Estados Unidos para a carne ovina se soma a outra grande conquista. Na semana passada, o Chile – país livre de febre aftosa sem vacinação – abriu o mercado para carne ovina uruguaia com osso, demonstrando sua confiança.

A reportagem é do El País Digital, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade