Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

EUA: FDA autoriza as novas restrições aos antibióticos dados aos animais de produção

postado em 09/06/2015

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A Administração de Alimentos e Medicamentos (FDA) dos Estados Unidos preparou o caminho para novas restrições aos antibióticos administrados em vacas, frangos e outros animais de produção à medida que a administração de Barack Obama busca formas de combater as chamadas “superbactérias” que estão cada vez mais se tornando resistentes ao atual arsenal de drogas que combatem infecções.

O FDA na semana passada emitiu uma série de diretrizes para veterinários que em breve serão responsáveis por prescrever antibióticos para animais destinados à alimentação humana. “Isso muda um pouco a dinâmica”, disse o chefe do Centro para Medicina Veterinária do FDA, William Flynn. “A meta é afetar os comportamentos a nível de fazenda”.

A medida foi anunciada à quando a administração de Obama convocou o Fórum da Casa Branca sobre a Administração de Antibióticos, uma conferência que reuniu oficiais do governo e representantes da indústria privada que se comprometeram a tomar passos para prolongar a utilidade dos antibióticos existentes. Mais de 150 hospitais, grupos médicos e produtores de alimentos participaram da conferência e se comprometeram a usar os medicamentos de forma mais sábia.

Pelo plano do FDA, que entrará em vigor em dezembro de 2016, os produtores rurais precisarão ter uma prescrição para antibióticos que são considerados medicamente importantes aos humanos. Eles também não poderão usar os medicamentos para promover um crescimento mais rápido em seus animais, restringindo o uso para tratar e prevenir doenças.

Em 2013, o FDA anunciou que requereria prescrições para antibióticos e as determinações recentes implementam esse plano com um grupo formal de diretrizes para veterinários. A lei detalha o processo de autorização do uso de medicamentos na ração dos animais (medicamentos usados no alimento do animal que requerem a supervisão de um veterinário licenciado) e fornece aos veterinários de todos os estados um sistema de autorização do uso de antimicrobianos medicamente importantes na ração quando necessários para propostas específicas de saúde animal.

A lei final do FDA continua requerendo que os veterinários emitam todas as prescrições dentro de um contexto de relação veterinário-cliente-paciente e especifiquem os elementos mais importantes que definem essa relação. Estes elementos incluem o fato de que o veterinário se envolva com o cliente (ou seja, animal de produção ou como cuidador) para assumir a responsabilidade de fazer julgamentos clínicos sobre a saúde do paciente, ter conhecimento suficiente do animal para conduzir exames e/ou visitas até o estabelecimento onde o animal é manejado e fornecer todas as avaliações ou cuidados de acompanhamento necessários.

“As ações que o FDA tomou até agora representam passos importantes em direção a uma mudança fundamental sobre como os antimicrobianos podem ser usados legalmente nos animais de produção de alimentos”, disse o vice-comissário para alimentos do FDA, Michael R. Taylor.

A reportagem é do The Wall Street Journal e Dairy Herd Management. 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade