carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

EUA: registrados aumentos dramáticos nos preços de cordeiros no quarto trimestre

postado em 26/12/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Após ficar em média em US$ 207,81 por 100 quilos no terceiro trimestre de 2013, os preços dos cordeiros em San Angelo, Texas, nos Estados Unidos, viram aumentos dramáticos em outubro (US$ 322,98/100 kg) e novembro (US$ 315,37/100 kg). Os preços no quarto trimestre de 2013 deverão ser de US$ 318,57/100 kg. Cordeiros mais leves e de maior qualidade vendidos para o abate provavelmente são um fator que contribui para o aumento dos preços. Os preços mais altos, entretanto, são vistos em todos os estágios do complexo ovino.

Uma série de outros fatores pode ter contribuído com o recente aumento nos preços da carne de cordeiro e de carneiro. Primeiro, o problema gerado com cordeiros excessivamente terminados na primeira metade do ano diminuiu. Levou um tempo para esses animais terminados em excesso se moverem no sistema, mas, a partir de setembro, os pesos começaram a normalizar para o que é considerado média da indústria, resultando em animais de qualidade maior sendo abatidos. Os pesos das carcaças em setembro e outubro ficaram em média em 29 quilos.

Segundo, o Festival Muculmano de Sacrifício, Eid ul-Adha, que foi realizado no meio de outubro desse ano e tipicamente durante esse feriado, existe um aumento na demanda por cordeiros. Nesse ano, a produção de outubro foi de 907,18 mil quilos a mais do que em setembro.

Terceiro, no outono de cada ano, os pesos dos abates tendem a cair levemente, porque os produtores tendem a selecionar cordeiros maiores que vêm para pastar nas montanhas e os enviam diretamente para o abate ao invés de coloca-los nos confinamentos. Esses cordeiros são geralmente mais leves e de maior qualidade do que seriam normalmente se tivessem sido colocados em confinamento antes do abate. O maior preço também pode ter sido influenciado pela decisão dos produtores de abater esses cordeiros mais cedo e isso pode ter influenciado o número enviado diretamente para abate das montanhas.

Por último, no começo desse ano, usando uma porção dos fundos disponíveis no Sheep Loan Fund da Associação Nacional de Produtores Pecuários, a indústria agiu para promover sua campanha “Let’s Grow”, designada a encorajar os produtores a aumentar seus rebanhos. Se obtiver sucesso, isso deverá resultar em ofertas escassas em curto prazo, à medida que é altamente improvável que a produção possa ser expandida enquanto a retenção aumenta. Para os primeiros 10 meses desse ano, o número de ovinos adultos e cordeiros comercialmente abatidos nos Estados Unidos caiu em 12,3% com relação ao mesmo período de 2012. O número de abates deverá cair ainda mais em 2014.

O número de cordeiros comercialmente abatido pode ser uma boa medida da maior retenção. É típico para os produtores responderem aos maiores preços expandindo o tamanho de seu rebanho em antecipação dos contínuos altos preços. Os números de retenção de ovelhas no relatório de janeiro de 2014 fornecerá uma boa pista sobre como os produtores estão respondendo a esses preços mais altos, bem como à iniciativa “Let’s Grow”, da indústria.

A produção comercial de carne de cordeiro e de carneiro no quarto trimestre de 2013 deverá ser de 17,7 milhões de quilos, quase 3% a menos que no mesmo período de 2012. A produção comercial de outubro foi de 5,94 milhões de quilos e a produção comercial de novembro foi prevista em 5,58 milhões de quilos. Os pesos ao abate caíram consideravelmente desde a primeira metade do ano, resultando em pesos para cordeiros e carneiros em níveis não vistos desde agosto de 2010. Entretanto, os pesos deverão aumentar em 2014, à medida que os menores custos dos alimentos animais e as ofertas escassas podem encorajar os confinadores a engordar cordeiros em pesos mais altos.

As importações de carne de cordeiro e de carneiro pelos Estados Unidos continuam compensando as ofertas domésticas escassas. As importações de carne de cordeiro e carneiro no terceiro trimestre de 2013 foram de 16,33 milhões de quilos, 5% a menos do que no mesmo período do ano anterior. As importações no quarto trimestre de 2013 deverão ser de 19,05 milhões de quilos, 2% a mais que no ano anterior, à medida que deverão continuar compensando as escassas ofertas domésticas. As exportações de carne de cordeiro e carneiro mostraram um forte declínio no terceiro trimestre, totalizando apenas 453,59 mil quilos e caindo em 67% com relação ao mesmo período do ano anterior. As exportações ao Caribe se enfraqueceram consideravelmente. As exportações no quarto trimestre deverão se recuperar à medida que a demanda sazonal no final do ano se fortalece.

Os dados são do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), traduzidos e adaptados pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade