Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

FAO: Graziano diz que Brasil pode promover expansão da agropecuária pelo mundo

postado em 03/08/2011

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O novo diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), José Graziano, defendeu que os países de renda média (como Brasil, Argentina e Chile) assumam o papel de difusores de novas tecnologias para promover a expansão da agropecuária pelo mundo e, assim, combater a fome.

"Esses países talvez não possam atuar como doares financeiros, mas como prestadores de assistência técnica", disse Graziano.

Segundo o novo diretor da FAO - que assume o posto no começo do ano que vem -, o Brasil tem contribuições substanciais a oferecer em pelo menos três áreas: combate ao greening, que afeta a citricultura; recuperação de pastagens degradadas; e produção de biocombustíveis.

Graziano, que chegou nesta segunda, dia 1º, a Brasília, disse que estava no Mapa para agradecer ao ministro Wagner Rossi pelo apoio dado durante a eleição da FAO, realizada em Roma, em junho. Rossi e outros ministros brasileiros foram à Itália, durante a reunião, para defender a candidatura de Graziano.

Segundo Graziano, atualmente há condições técnicas para promover a erradicação da fome no mundo, mesmo com o crescimento da população, mas argumentou que é necessário desfazer os entraves políticos para permitir a expansão produtiva.

As informações são da Agência Estado, resumidas e adaptadas pela Equipe BeefPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Fernando Melgaço

Goiânia - Goiás - Mídia especializada/imprensa
postado em 03/08/2011

Em primeiro lugar quero parabenizar o Sr. José Graziano, pela sua escolha para um cargo tão importante como esse de diretor - geral da FAO.

Estou de pleno acordo com o que ele disse a respeito da fome no mundo.

Confesso que sou uma pessoa muito preocupada com a fome que acomete, segundo dados da FAO/OMS,em torno de um bilhão de pessoas em todo o mundo, mormente na África Sub-Saariana.

Quero aproveitar a oportunidade para sugerir ao Sr. Diretor Geral, a ser empossado, que faça todos os esforços possíveis para que o leite possa chegar à mesa de todas as crianças subnutridas do mundo.

Acredito, Sr. José Graziano, que pela sua riqueza em princípios nutritivos, o leite seria o melhor alimento existente, para reduzir em muito, a fome dessa população subnutrida.

Por outro lado, sabemos que existem grandes quantidades de leite em pó estocado, mormente nos países ricos.

"Leite, o mais nobre dos alimentos."

Atenciosamene,

Fernando Melgaço.

Darlani de Souza Porcaro

Muriaé - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 07/08/2011

Espero que o Sr. Graziano  nos ajude perante o governo Brasileiro , mesmo nós não sendo profissional na pecuária de leite. , mas trabalhamos direito, com higiene, e com respeito ao consumidor de nosso leite, fazendo com que  possamos  pagar nossas contas com o leite e investirmos  melhor em nossas  propriedades. A normativa 51, espero que seja cada vez mais aplicada, por todos nós do setor leiteiro, e principalmente onde fala que nós temos o direito de saber um mês antes  o  seu valor , o quanto , o valor correto,de quanto vamos receber por litro vendido. Já é uma grande ajuda para que o numero de profissionais aumentem mais.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade