Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Governo discute fortalecimento da defesa agropecuária nos estados

postado em 21/06/2013

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

As agências de sanidade agropecuária estaduais vão definir as prioridades para a utilização dos R$ 150 milhões previstos para o Sistema Unificado de Atenção à Sanidade Agropecuária (Suasa), em 2013. O tema foi discutido durante encontro na última quinta-feira, 20 de junho, em Brasília, entre integrantes do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e do Fórum Nacional dos Executores de Sanidade Agropecuária (Fonesa), que representa os estados das cinco regiões brasileiras.

Ao todo, o Brasil possui mais de 4,7 mil escritórios de atendimento à comunidade entre agências e órgãos executores de sanidade agropecuária. Devido às diferenças estruturais entre elas, a Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) do Mapa vai abrir um sistema para o estabelecimento de convênios com os estados. O objetivo é aperfeiçoar e modernizar os processos operacionais da defesa agropecuária para ampliar o alcance e a abrangência dos serviços. “Por meio dos convênios, são os estados que definem quais são as necessidades locais para melhorar o processo de inspeção”, explica o secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Ênio Marques.

Produtos inspecionados por qualquer instância do sistema Suasa podem ser comercializados em todo o território nacional, além de garantirem a capacitação de profissionais para inspecionarem produtos alimentícios a partir de padrões internacionais.

Em 2012, o Mapa celebrou convênio com o governo do Rio Grande do Sul para investir R$ 2 milhões na reestruturação e implementação do Suasa no estado. Com duração de um ano, a parceria vai garantir melhor qualidade nos alimentos, produtos mais seguros e proteção da economia brasileira.

Além do Suasa, o encontro do Fonesa com representantes do Mapa discutirá outras pautas nesta sexta-feira (21), como a criação de uma comissão com a finalidade de apresentar aos gestores estaduais a necessidade de adesão ao Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA).

As informações são do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, adaptadas pela Equipe AgriPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

RONALDO CARVALHO SANTOS

Curitiba - Paraná - Mídia especializada/imprensa
postado em 21/06/2013

Cento e cinquenta MILHÕES de reais!!!!!!! serão repassados a "Agencias Estaduais de Defesa Agropecuária". No momento em que o País se mobiliza por uma Gestão séria dos recursos públicos, gostaria de chamar a atenção dos formadores de opinião sobre mais um fato que deve ser investigado. Vale recordar que a delegação  de Competência  se não bem fundamentada, pulveriza recursos que muitas vezes não são devidamente rastreados , bem como a execução das atividades. Exemplos os recursos repassados a certo Estado para executar serviços, mas que mal usado  criaram problemas no Diagnóstico da Vaca Louca, que pasmem, demorou dois anos , criou desprestigio e afetou nossas exportações. Que se examine a criação das chamadas "Agencias Estaduais de Defesa Agropecuária", já que  aumenta a possibilidade de má Gestão do dinheiro Público e, estimula clientelismo e etc...

Raoni Beni Cristovam

Dracena - São Paulo - Zootecnista
postado em 24/06/2013

Concordo com o Ronaldo.

Pessoal vamos parar de fazer confusão, as leis e diretrizes estão aí faz tempo já para serem cumpridas e fiscalizadas, o problema é que não tem fiscal o suficiente e o nosso país é uma nação com fortíssimas tendências a corrupção para a não fiscalização e atuação condizente destes profissionais do setor público.
Claramente que existem profissionais sérios e honestos também no setor público, mas nesse país espero que agora as coisas se acertem, mas não é o que vejo, porque agora após tantas demonstrações na mídia de representantes do povo e funcionários do povo se corromperem tanto e nada ser feito, esta prática se espalhou por grande parte da nação, inclusive fiscais.
E agora por último e como o Ronaldo disse, lá vai esse monte de milhões pra resolver o problema de fiscalização, onde as normas já estão prontas, ou seja, em plenos protestos ainda tem a coragem de chamar e continuar chamando o povo de idiota.

Magal Melo

Recife - Pernambuco - Consultoria/extensão rural
postado em 24/06/2013

Discordo do comentário do Ronaldo Carvalho. Pois, o Ministério da Agricultura não dá conta de resolver todos os problemas da Defesa Agropecuária Nacional. Ficando o dever para os estados que precisam se equipar e melhorar a remuneração de seus servidores.

RONALDO CARVALHO SANTOS

Curitiba - Paraná - Mídia especializada/imprensa
postado em 24/06/2013

Não é o caso de não dar conta mas o caso de deixar de fazer. Nada mais acrescento, respeito Magal sua manifestação que, entendo.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade