Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Governo quer irrigar 10 milhões de hectares até 2019

postado em 15/04/2013

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Dobrar a área irrigada no Brasil e tornar o país um dos principais players mundiais nessa área são metas audaciosas do governo federal. Para isso, foram lançados a Política Nacional de Irrigação, em janeiro de 2013, e o programa Mais Irrigação, em novembro de 2012. A expectativa é alcançar 10 milhões de hectares irrigados nos próximos seis anos. Somente o programa Mais Irrigação deverá abranger 538 mil hectares com vocação para a produção de diversas culturas de maior valor agregado, como biocombustíveis e a fruticultura. “O objetivo é garantir não só a infraestrutura do projeto, mas uma série de ferramentas como assistência técnica e crédito para os produtores”, afirma Guilherme Orair, secretário Nacional de Irrigação do Ministério da Integração Nacional.

Ambas as iniciativas federais têm como estratégia proporcionar aumento da renda, geração de empregos e alta produtividade. “Esse tipo de sistema permite o uso racional tanto do solo como da água, o plantio de culturas com maior valor agregado e de outras que possam ser cultivadas o ano todo”, afirma Orair. Segundo ele, a irrigação oferece garantias como a redução de riscos climáticos para a agropecuária, como a falta de chuva. As novas tecnologias existentes para esse tipo de sistema de produção impulsionam melhorarias na produção de pequenas, médias e grandes propriedades rurais.

De acordo com Orair, o aumento da produtividade é bastante variável, pois depende de cada cultura. No entanto, dados oficiais apontam que 10% da área voltada para a agricultura no Brasil é irrigada, o que representa 20% do valor dessa produção. “Isso mostra que a irrigação produz mais e traz melhor renda ao produtor”.

A Política Nacional de Irrigação fará com que construção de barragens e açudes para uso na irrigação fique caracterizada como de utilidade pública. A Lei federal fortalece ainda a disponibilização de crédito rural para viabilizar a aquisição de equipamentos de irrigação. Estes contribuirão para o uso eficiente dos recursos hídricos (captação da água por meio de chuva e rios). Além disso, a Política incentiva a formação e a capacitação de recursos humanos para o setor e prevê a articulação do Ministério da Integração Nacional e Ministério do Desenvolvimento Agrário (MI/MDA) para assistência técnica rural ao agricultores que adotarem o sistema de irrigação.

Já o programa Mais Irrigação, voltado para incluir o pequeno e médio produtor, já tem garantidos R$ 3 bilhões – recursos provenientes do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) – e outros R$ 7 bilhões virão de projetos de parcerias público-privadas. O programa está dividido em quatro eixos e está presente em 66 áreas de 16 Estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Goiás, Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Roraima, Sergipe e Tocantins.

As informações são do Rural Centro, adaptadas pela Equipe AgriPoint.  

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

edson luiz hacker

OUTRA - OUTRO - Pesquisa/Ensino
postado em 16/04/2013

Muito bom o programa Mais Irrigação pois teremos mais garantia de boa produtividade,no que se refere a falta de chuva.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade