Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Governo vai integrar ministérios para fortalecer processo de reforma agrária

postado em 19/04/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, se reuniu na tarde de ontem (18) com líderes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e anunciou uma ação conjunta de vários ministérios para fortalecer o processo de reforma agrária, inclusive com medidas para melhorar a infraestrutura dos assentamentos. “Traremos outros órgãos para o processo de reforma agrária, fortalecendo, portanto, a ação do conjunto do governo. Por exemplo, a moradia passa ser por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida [Ministério das Cidades]. O processo de energia elétrica passa pelo Programa Luz para Todos [Ministério de Minas e Energia]. A questão do abastecimento de água será pelo Programa Água para Todos, do [Ministério da Integração Nacional].Vargas disse também que foi acertada uma série de reuniões com o MST para definir ações específicas em cada estado.

O presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Carlos Guedes, também participou da reunião, na sede do instituto em Brasília. Guedes ressaltou que o Incra continua trabalhando para atender aos trabalhadores rurais sem-terra. “São quase meio milhão de reais de títulos da dívida agrária e benfeitorias parados na Justiça, aguardando a decisão. Nós estamos mostrando aos movimentos sociais uma nova metodologia de trabalho, que permite avançarmos naquilo que está sob responsabilidade do Incra, que é os peritos irem à campo e identificar se os imóveis estão cumprindo a função social da terra. Caso não cumpram, que sejam destinados à reforma agrária”, disse.

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, participou de parte da reunião com os líderes do MST. De acordo com Valdir Misnerovicz, da coordenação nacional do MST, um encontro com a presidenta da República foi acertado com o ministro. “Um dos compromissos políticos acertados é que, nos próximos 45 dias, a presidenta Dilma vai nos receber para fazer uma discussão mais concreta da pauta de reivindicações”, informou. Misnerovicz ressaltou ainda a importância da presença maçica dos trabalhadores em Brasília.

“Essa disposição do governo precisa ser traduzida em ações concretas. Por isso, o movimento vai continuar mobilizado. Vamos fortalecer o acampamento aqui em Brasília. A partir da semana que vem, várias caravanas dos estados virão para cá e a nossa pressão aqui vai continuar. No nosso entendimento, essa pressão do movimento é fundamental para que a gente possa materializar aquilo que está sendo discutido aqui, na negociação, e aquilo que o governo tem anunciado para toda a sociedade”, disse Misnerovicz.

A reportagem é da Agência Brasil, adaptada pela Equipe AgriPoint.  

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade